sexta-feira, outubro 07, 2022

O poeta Cristovam Pavia nasceu há 89 anos

(imagem daqui)

 

Cristovam Pavia, ou Cristóvam Pavia, pseudónimo de Francisco António Lahmeyer Flores Bugalho (Lisboa, 7 de outubro de 1933 - Lisboa, 13 de outubro de 1968) foi um poeta português, filho do também poeta Francisco Bugalho (da geração da revista Presença), oriundo de Castelo de Vide.
Além do pseudónimo Cristovam Pavia, António Flores Bugalho assinou composições com os pseudónimos Sisto Esfudo, Marcos Trigo e Dr. Geraldo Menezes da Cunha Ferreira.
Para José Bento, "A poesia de Cristovam Pavia é a revelação de si próprio, de uma personalidade em conflito com o mundo em que vive e que procura uma fuga pela recuperação da infância morta, pela aceitação do seu conhecer-se diferente e despojado do que lhe é mais caro (a infância, o amor, o espaço e o tempo em que ambos se situavam), a transformação do seu próprio ser pelo sofrimento, num movimento de ascese e de autodestruição, quando o poeta atinge a consciência de si próprio e da sua voz."
   

 

Ao meu cão
 
 
Deixei-te só, à hora de morrer.
Não percebi o desabrigado apelo dos teus olhos
Humaníssimos, suaves, sábios, cheios de aceitação
De tudo... e apesar disso, sem o pedir, tentando
Insinuar que eu ficasse perto,
Que, se me fosse, a mesma era a tua gratidão.
 
Não percebi a evidência de que ias morrer
E gostavas da minha companhia por uma noite,
Que te seria tão doce a minha simples presença
Só umas horas, poucas.
Não percebi, por minha grosseira incompreensão,
Não percebi, por tua mansidão e humildade,
Que já tinhas perdoado tudo à vida
E começavas a debater-te na maior angústia, a debater-te com a morte.
E deixei-te só, à beira da agonia, tão aflito, tão só e sossegado.

 

Cristovam Pavia

John Cougar Mellencamp faz hoje setenta e um anos

    
John Cougar Mellencamp ou, simplesmente, John Cougar, ou ainda John Mellencamp (Seymour, Indiana, 7 de outubro de 1951), é um cantor, compositor e guitarrista norte-americano. Já vendeu mais de 40 milhões de discos na sua extensa carreira, iniciada nos anos 70. Teve 22 músicas no Top 40 americano e foi nomeado para 13 Grammy Awards, ganhando um pelo trabalho em "American Fool". Tendo um estilo em que mescla rock, folk e country de raiz americano, o artista destaca-se pelas suas letras empenhadas e de cunho social, sendo por muitas vezes comparado com os trabalhos de Bruce Springsteen. Mellencamp entrou para o Rock and Roll Hall of Fame, em março de 2008, ele também é conhecido como um dos fundadores do Farm Aid, uma organização que começou em 1985 para ajudar a angariar fundos para os agricultores, e as suas famílias, que perderam as suas terras. Entre os seu discos mais conhecidos estão: "American Fool" (1982), "Scarecrow" (1985), "Life, Death, Love and Freedom" (2008) e o recente "No Better Than This" (2010).
   

 


Mario Lanza morreu há 63 anos...

        
Mario Lanza, pseudónimo de Alfred Arnold Cocozza (Filadélfia, 31 de janeiro de 1921 - Roma, 7 de outubro de 1959) foi um tenor norte-americano de ascendência italiana e astro de Hollywood.
   

 


Yo-Yo Ma - 67 anos

       
Yo-Yo Ma (Paris, 7 de outubro de 1955) é um músico norte-americano nascido na França, de origem chinesa, considerado um dos melhores violoncelistas da história.

    

in Wikipédia

 


Música adequada à data...

O Massacre de Ipatinga foi há 59 anos


Soldado armado num camião tenta conter a multidão de operários em greve, intimidada pela força policial
(foto de José Isabel do Nascimento, poucas horas antes do massacre)
      
O Massacre de Ipatinga foi um evento acontecido no então distrito de Ipatinga, em Coronel Fabriciano, Minas Gerais, no dia 7 de outubro de 1963. Considerado por alguns estudiosos como uma ação prévia do que seria a exibição do poder militar que tomaria posse do governo brasileiro no ano seguinte, o facto consistiu em um atrito entre militares e funcionários da Usiminas, revoltados com as más condições de trabalho e a humilhação que sofriam, ao serem revistados antes de entrar e sair da empresa para a sua jornada de trabalho.
A situação de tensão culminou com a polícia militar responsável pela vigilância patrimonial da Usiminas, então sob ordens do governador mineiro Magalhães Pinto, que mais tarde participaria com afinco na ditadura brasileira, atirando, inclusive com metralhadoras, contra os funcionários desarmados que se manifestavam na portaria da empresa, resultando oficialmente em 8 mortos (inclusive uma criança, no colo da sua mãe) e 80 feridos.
Os números sempre foram contestados pelas testemunhas presentes que tiveram a verdadeira noção da tragédia ocorrida. Daniel Miranda Soares narra, em seu artigo nos Cadernos do CEAS, n. 64, de nov/dez de 1979 "O Massacre de Ipatinga" que foram mais de 3 mil feridos e 33 teriam morrido até o dia seguinte, por causa  dos ferimentos. O jornal "Em Tempo" apresentou depoimentos de que seriam mais de 80 mortos. O padre Abdala Jorge do distrito de Timóteo, então parte da mesma cidade, afirma que, apesar de não poder precisar o número de mortos, contou pessoalmente 11 cadáveres no Hospital Nossa Senhora do Carmo (atual Hospital Unimed, em Coronel Fabriciano) para onde foram levadas as vítimas.
Na noite anterior ao dia 7 os trabalhadores saíram do turno da noite e foram para o alojamento, que ficava no bairro Santa Mónica, logo após chegarem alguns polícias e começarem a atirar, matando um dos moradores do alojamento. No dia 7 de manhã os trabalhadores saiam da fábrica e os vigilantes começaram a revistar as suas marmitas, logo depois, um polícia em cima de um camião e com uma metralhadora giratória começou a atirar para todos os lados.
O massacre foi fotografado por José Isabel Nascimento, fotógrafo amador, que foi um dos únicos a fotografar o crime. Porém, foi atingido por vários tiros da Polícia Militar durante esse episódio e faleceu dez dias depois, na Casa de Saúde Santa Terezinha.
A Câmara Municipal de Ipatinga realizou em 2 de outubro de 2007 uma Audiência Pública sobre "A memória do incidente conhecido como Massacre de Ipatinga, ocorrido em 7 de outubro de 1963". 
Em 2009, o Instituto Helena Greco de Direitos Humanos e Cidadania, IHG (em conjunto com o Movimento Anarquista Libertário e as Brigadas Populares), realizou um evento em memória aos trabalhadores assassinados no massacre, que levou o nome de "Velada Libertária do IHG".
    

Toni Braxton - 55 anos

     
Toni Michelle Braxton (Severn, 7 de outubro de 1967) é uma cantora, compositora e atriz dos Estados Unidos, consagrada, na década de 90, com as suas canções de amor. Lançados nessa década, os álbuns Toni Braxton e Secrets obtiveram vários discos multi-platina em todo o mundo, com vendas superiores a 10 milhões de exemplares. Toni Braxton já ganhou seis Grammy Awards, sete American Music Awards e cinco Billboard Music Awards, tendo vendido mais de 66 milhões de discos no mundo inteiro.

Musicalmente na década de 2000, a carreira de Toni foi abalada devido a diversos fatores, como seus problemas de saúde: O lúpus, e a pericardite, e o golpe milionário que sofreu de sua gravadora, o que a levou a falência, além do fim do seu matrimónio com Keri Lewis, pai dos seus dois filhos: Denim e Dizeel.

Embora com tantas questões pessoais e profissionais a impedindo de se dedicar a carreira como gostaria, nunca deixou totalmente a música de lado. Embora com poucas apresentações, durante a década de 2000, seus álbuns The Heat, More Than a Woman e Libra venderam juntos mais de 7 milhões de cópias mundialmente.

Em toda sua carreira, Braxton já participou de várias séries de televisão e filmes, como atriz. Em 2010, após lançar Pulse, Toni o promove em vários países; O álbum Love, Marriage & Divorce com Babyface foi lançado em 4 de fevereiro de 2014 alcançando sucesso, o album estreou em #4 lugar na billboard 200 e 1 na billboard r&b/Hip Hop albums. Toni vendeu mais de 67 milhões de álbuns no mundo todo, estabelecendo-se como um ícone R&B, sendo eleita a 97ª maior artista de todos os tempos, e a 18ª maior artista de R&B de todos os tempos. Braxton foi um dos artista feminina que mais vendeu em 1990, conquistando seus títulos honoríficos, como uma das "Rainhas do R&B".
     

 


Thom Yorke - 54 anos

       
Thomas Edward "Thom" Yorke (Wellingborough, 7 de outubro de 1968) é o vocalista e compositor da banda britânica de rock alternativo Radiohead. Geralmente, toca guitarra e piano. Viveu até 2015 em Oxford com a sua ex-companheira de longa data, a artista plástica, com um doutoramento em História da Arte, Rachel Owen, que faleceu em dezembro de 2016 de cancro. O casal teve dois filhos: Noah e Agnes. Em setembro de 2020, Yorke casou-se com a atriz italiana Dajana Roncione, em Bagheria, na Sicília. Roncione aparece no vídeo da canção "Lift" e na curta metragem de Yorke, Anima.
     

 


E viva o Dia Nacional dos Castelos...!

 

Altos Castelos - Zeca Afonso

Altos castelos de branco luar
Linda menina que vai casar
Torres cinzentas que dão para o vento
Dentro do meu pensamento

Eu lá na serra não sou ninguém
Se fores prá guerra eu irei também
Irei também numa barca bela
Cinta vermelha e saia amarela

Eu lá na serra não sou ninguém
Se fores prá guerra eu irei também
Irei também numa barca bela
Cinta vermelha e saia amarela

Na praia nova caiu uma estrela
Moças trigueiras ide atrás dela
Rola rolinha garganta de prata
Canta-me uma serenata

Eu lá na serra não sou ninguém
Se fores prá guerra eu irei também
Irei também numa barca bela
Cinta vermelha e saia amarela

Eu lá na serra não sou ninguém
Se fores prá guerra eu irei também
Irei também numa barca bela
Cinta vermelha e saia amarela

Um cavalinho de crina na ponta
Leva à garupa uma bruxa tonta
Duas meninas a viram passar
Mesmo à beirinha do mar

Eu lá na serra não sou ninguém
Se fores prá guerra eu irei também
Irei também numa barca bela
Cinta vermelha e saia amarela

Eu lá na serra não sou ninguém
Se fores prá guerra eu irei também
Irei também numa barca bela
Cinta vermelha e saia amarela

quinta-feira, outubro 06, 2022

Saudades de Amália...

O primeiro filme falado (e cantado) estreou há 95 anos...!

  
O Cantor de Jazz (The Jazz Singer, no original) é considerado como o primeiro filme de grande duração com falas e canto sincronizado com um disco de acetato. É um filme musical norte-americano estreado em 6 de outubro de 1927. A partir daí, os filmes mudos passaram a ser totalmente substituídos pelos filmes falados ou talkies, que tornaram-se a grande novidade. Al Jolson foi o ator principal do filme e o primeiro a falar e cantar num filme, com sua voz gravada em banda sonora sincronizada.

Na verdade sempre existiu a fala e o canto no cinema, pois em muitas das primeiras projeções os atores e atrizes cantavam escondidos atrás da tela, como uma dobragem, assim como muitos pianistas ficavam a frente da tela, improvisando, enquanto a projeção das primeiras curtas seguia. Por isto, O Cantor de Jazz é considerado o primeiro filme onde o som estava gravado, mas separadamente, tocando em um disco de acetato.

The Jazz Singer foi produzido pela Warner Bros. com o sistema sonoro Vitaphone. Al Jolson, famoso cantor de jazz da época, canta várias canções no filme, dirigido por Alan Crosland. A história é baseada numa peça de mesmo nome, um grande sucesso da Broadway em 1925, remontada em 1927, com George Jessel no papel principal.

Foi um dos primeiros filmes a ganhar o Óscar, dividindo um prémio especial com o filme O Circo, de Charlie Chaplin.
   

Hoje é noite para ouvir Barcelona...

Música adequada à data...

Hoje é dia de ouvir Fado...

Música adequada à data...

Le Corbusier nasceu há 135 anos

  
Charles-Edouard Jeanneret-Gris, mais conhecido pelo pseudónimo de Le Corbusier (La Chaux-de-Fonds, 6 de outubro de 1887 - Roquebrune-Cap-Martin, 27 de agosto de 1965), foi um arquiteto, urbanista, escultor e pintor de origem suíça, naturalizado francês em 1930. É considerado, juntamente com Frank Lloyd Wright, Alvar Aalto, Mies van der Rohe e Oscar Niemeyer, um dos mais importantes arquitetos do século XX. Conhecido por ter sido o criador da Unité d'Habitation, conceito sobre o qual começou a trabalhar na década de 20.
Aos 29 anos mudou-se para Paris, onde adotou o seu pseudónimo, que foi buscar ao nome do seu avô materno, originário da região de Albi. A sua figura era marcada pelos seus óculos redondos de aros escuros. Morreu, por afogamento, em 27 de agosto de 1965.
  
     
Capela de Notre-Dame-du-Haut, em Ronchamp (1950–1955)

A Guerra do Yom Kippur começou há 49 anos

Mapa descritivo dos conflitos Árabe-Israelitas
   
A Guerra do Yom Kippur, também conhecida como Guerra Árabe-Israelita de 1973, Guerra de Outubro, Guerra do Ramadão ou ainda Quarta Guerra Árabe-Israelita, foi um conflito militar ocorrido entre 6 e 26 de outubro de 1973, entre uma coligação de estados árabes, liderados por Egipto e Síria, contra Israel. O episódio começou com um contra-ataque inesperado do Egipto e Síria. Coincidindo com o dia do feriado judaico do Yom Kippur, Egipto e Síria cruzaram as linhas de cessar-fogo no Sinai e nos Montes Golã, respetivamente, que tinham sido ocupadas, por Israel, já em 1967, durante a Guerra dos Seis Dias.
Inversamente ao fator surpresa, usado pelos israelitas na guerra dos seis dias, durante os primeiros dias, egípcios e sírios avançaram recuperando partes dos seus territórios. O cenário começou a  inverter-se para o lado de Israel na segunda semana de luta, pois Israel fez com que os sírios retrocederem nos Montes Golã, enquanto o Egito manteve a sua posição no Sinai, fechando a comunicação entre a linha Bar-Lev e Israel, porém este também sem comunicação com o Egito.
Ao sul do Sinai, os israelitas encontraram uma "brecha" entre os exércitos egípcios e conseguiram cruzar para o lado oeste do canal de Suez no local onde a a grande muralha Bar-Lev não havia sido tomada, e ameaçaram a cidade egípcia de Ismaília.
Este desenvolvimento levou as duas superpotências da época, os EUA, a defender os interesses de Israel, e a URSS, dos países árabes, a uma tensão diplomática. Mas um cessar-fogo das Nações Unidas entrou em vigor em 25 de outubro de 1973.
No término das hostilidades, as forças israelitas, já recuperadas das baixas iniciais e com um esmagador poderio militar, tinham entrado profundamente no território dos países árabes e encontravam-se a 40 km de Damasco, capital da Síria, a qual foi intensamente bombardeada, e 101 km do Cairo, capital egípcia.
   
Resumo
O Presidente Gamal Abdel Nasser do Egito, morreu em setembro de 1970. Sucedeu-lhe o vice-presidente Anwar Sadat, considerado mais moderado e pragmático que Nasser. Como meta do seu governo, resolve neutralizar a política expansionista do Estado de Israel e ao mesmo tempo assegurar a sua posição de liderança no mundo árabe. Decide, então, retomar a península do Sinai. O plano para um ataque a Israel sem aviso, em conjunto com a Síria, recebeu o nome de código Operação Badr (palavra árabe que significa "lua cheia"), sugerindo usar a maré cheia (fenómeno da atração gravitacional exercido entre a lua e a terra) para transpor os obstáculos bélicos instalados por israelitas ao longo do canal de Suez.
Para tanto, os egípcios, recorrem a utilização possantes bombas de sucção e usam as águas do canal como agente de erosão hídrica, destruindo as fundações da (até então) intransponível e elaborada barreira, de 50 metros de altura, construída pelos israelitas com a areia do deserto para guarnecer toda a margem ao norte do canal de Suez contra os exércitos árabes.
Com o corte, feito à custa de jatos de água, os soldados egípcios, em questões de horas, puderam abrir diversas passagens ao longo dos 160 quilómetros das fortificações integrantes da linha Bar-Lev, alcançando o lado desprotegido das casamatas israelitas e, consequentemente, obrigando os israelitas a render-se.
Enquanto o Egito atacava as posições israelitas desprotegidas na Península do Sinai, as forças sírias atacaram os baluartes dos Montes Golã. Nessa investida, graves perdas foram infligidas ao exército israelita. Contudo, após três semanas de luta, as Forças de Defesa de Israel (FDI) obrigaram as tropas árabes a retroceder, e as fronteiras iniciais reconfiguraram-se.
    
Batalhas navais
A Batalha de Latakia entre os sírios e os israelitas aconteceu a 7 de outubro, segundo dia do conflito. Com uma nítida vitória israelita, que demonstrou a eficácia dos barcos militares equipados com sistema de autodefesa ECM. A marinha israelita também demonstrou a sua superioridade naval no Mediterrâneo com uma segunda vitória em 9 de outubro, na Batalha de Baltim, afundando três barcos da marinha egípcia. As batalhas de Latakia e Baltim "mudaram favoravelmente a situação para Israel".
Cinco noites depois da Batalha de Baltim, cinco barcos da marinha israelita entraram no porto egípcio de Ras Ghareb, onde mais de cinquenta pequenas embarcações do Egito estavam ancoradas, incluindo barcos de pesca armados e carregados com tropas e munições. Na batalha que se seguiu 19 destes foram afundados.
Quando terminou o conflito, pode-se dizer que o balanço foi muito positivo para Israel.
      
Consequências
A guerra teve implicações profundas para muitas nações. O Mundo Árabe, que havia sido humilhado pela derrota desproporcional da aliança Egípcio-Sírio-Jordaniana, durante a Guerra dos Seis Dias, sentiu-se psicologicamente vingado pelos seus momentos de vitórias no início do conflito, apesar do resultado final. Esse sentimento de vingança pavimentou o caminho para o processo de paz que se seguiu, assim como liberalizações como a política de infitah do Egito. Os Acordos de Camp David (1978), que vieram pouco depois, levaram a relações normalizadas entre Egito e Israel - a primeira vez que um país árabe reconheceu o estado israelita. O Egito, que já vinha se afastando da União Soviética, então deixou a esfera de influência soviética completamente.
Uma das consequências desta guerra foi a crise do petróleo, já que os estados árabes, membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) boicotaram os Estados Unidos e os países europeus que apoiavam a sobrevivência de Israel. Se a curto prazo a medida agravou a crise económica mundial, a longo prazo a comunidade internacional aprendeu a usar fontes alternativas de energia, e inclusive algumas áreas do planeta começaram a descobrir que também possuíam petróleo, como foi o caso da região do Mar do Norte, na Europa, do Alasca, nos Estados Unidos, da Venezuela, do México, da África do Sul, da União Soviética e, também, no Brasil.
     
Forças do Egito cruzando o Canal de Suez, a 7 de outubro de 1973
         

O Bando dos Quatro foi preso há 46 anos

   

A Camarilha dos Quatro (também chamada de Gangue dos Quatro ou Bando dos Quatro) é a designação atribuída a uma fação composta por quatro membros do Partido Comunista da China que ganharam proeminência no período de implementação da Grande Revolução Cultural Proletária (1966-1976): Jiang Qing (esposa de Mao Tse-tung), Zhang Chunqiao, Wang Hongwen e Yao Wenyuan.

O grupo controlou os principais órgãos de poder do Partido Comunista durante o período final da Revolução Cultural, embora permaneça incerto quais decisões eram tomadas por Mao e realizadas pela Bando, e quais eram resultado do planeamento do grupo.

O Bando dos Quatro e o general Lin Biao acabaram sendo classificados como as duas maiores "forças contrarrevolucionárias" da Revolução Cultural e foram oficialmente responsabilizados pelo governo chinês pelos maiores excessos cometidos durante os dez anos de agitação. A sua queda, em 6 de outubro de 1976, um mês após a morte de Mao, deu início a uma série de grande celebrações nas ruas de Pequim e marcou o fim de uma era de turbulência política na China.

Após a morte de Mao, uma das primeiras ações do novo líder da China, Hua Guofeng, foi prender os membros do grupo. As autoridades chinesas consideram atualmente "alegar inocência do bando" um "ato contrarrevolucionário". Um oficial do partido em Kiangsi que defendeu o grupo foi "denunciado pelo seu crime" numa reunião de 4.000 pessoas.

O julgamento dos membros do Bando dos Quatro decorreu em 1980. Jiang Qing e Zhang Chunqiao foram condenados à pena de morte (penas comutadas para prisão perpétua), enquanto Yao Wenyuan e Wang Hongwen condenados a vinte anos de prisão. 

   

 

    

Sadat foi assassinado há quarenta e um anos...

      
Muhammad Anwar Al Sadat (Mit Abu al-Kum, Monufia, 25 de dezembro de 1918 - Cairo, 6 de outubro de 1981) foi um militar e político egípcio, presidente do seu país de 1970 a 1981. Recebeu o Prémio Nobel da Paz em 1978.
    
(...)
    
Num esforço para acelerar um acordo no Oriente Médio, visitou Israel, em 1977, facto que marcou o primeiro reconhecimento daquele país por um país árabe, tendo tido fortes condenações de todo o mundo árabe. Encontrou-se novamente com o primeiro-ministro israelita Menachem Begin em Camp David, Maryland, Estados Unidos (1978), sob a chancela do então presidente americano Jimmy Carter e assinou um tratado de paz com Israel em 1979, em Washington, DC
    
     
(...)
     
A 6 de outubro de 1981, Sadat foi assassinado durante uma parada militar no Cairo por membros da Jihad Islâmica Egípcia infiltrados no exército e que eram parte da organização egípcia que se opunha ao acordo de paz com Israel e à entrega da Faixa de Gaza a Israel. Sucedeu-lhe o seu vice-presidente, Hosni Mubarak. Encontra-se sepultado no Monumento ao Soldado Desconhecido, no Cairo, Egito.
   

Ernesto de Sousa morreu há 34 anos

 
(imagem daqui)

 

Ernesto de Sousa, nascido José Ernesto de Sousa (Lisboa, 18 de abril de 1921 - Lisboa, 6 de outubro de 1988) foi um artista multidisciplinar, fotógrafo, cineasta e iniciador do movimento cineclubista em Portugal, e crítico de arte português, atividades a que dedicou toda a sua vida.

Entregou-se, desde muito jovem, ao estudo da arte e da fotografia. Espírito aberto, polémico, pioneiro em muitas das coisas em que se empenhou, exerceu uma vasta ação no campo artístico: artes visuais, cinema, teatro, jornalismo, rádio, crítica e ensaio. Como realizador, é reconhecido como um dos fundadores do chamado Novo Cinema (Dom Roberto - 1962), filme que inaugura o movimento, com Os Verdes Anos, de Paulo Rocha.

Não seria no entanto o cinema o seu meio de expressão mais assíduo. De um modo diversificado e prolífero, faz-se notar noutras artes, dedicando muito do seu tempo à fotografia. «As reflexões teóricas e o trabalho de Ernesto de Sousa na área da Fotografia foram elementos fundamentais para a inauguração da contemporaneidade artística».

 

in Wikipédia

Bette Davis morreu há trinta e quatro anos...


Ruth Elizabeth "Bette" Davis
(Lowell, 5 de abril de 1908 - Neuilly-sur-Seine, 6 de outubro de 1989), foi uma atriz dos Estados Unidos de cinema, televisão e teatro, conhecida por sua vontade de interpretar personagens antipáticas, ela era adorada pelas suas atuações numa variada gama de géneros cinematográficos; de melodramas policiais, filmes de época e comédias, embora os seus maiores sucessos tenham sido romances dramáticos.
Após trabalhar em peças na Broadway, Davis mudou-se para Hollywood em 1930, onde obteve pouco êxito com papéis em produções da Universal Studios. Foi contratada pela Warner Bros. em 1932, estabelecendo uma bem-sucedida carreira através de várias atuações aclamadas pela crítica. Em 1937 tentou se libertar do contrato e, apesar de ter perdido um processo contra a produtora que foi amplamente explorado pelos media, atingiu o período de maior sucesso da sua carreira. Até o final dos anos 40, Davis foi uma das mais célebres protagonistas do cinema americano, reconhecida pelo seu estilo forte e intenso. Ganhou uma reputação de perfecionista muito combativa, sendo que embates com executivos dos estúdios, diretores de cinema e outras estrelas eram frequentemente noticiados pelos media. O seu estilo franco, a sua voz distinta e o cigarro sempre à mão contribuíram para a construção de uma imagem pública muito imitada e satirizada.
Davis co-fundou a Hollywood Canteen – iniciativa para angariar fundos para o Exército e entreter soldados norte-americanos durante a Segunda Guerra Mundial – e foi a primeira mulher presidente da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas. Ganhou o Óscar de Melhor Atriz duas vezes, foi a primeira pessoa a receber dez nomeações da Academia nas categorias de atuação, além de ter sido a primeira mulher a receber um prémio pelo conjunto da obra do American Film Institute. A sua carreira passou por vários períodos sombrios, tendo ela mesma admitido que o seu sucesso se deu muitas vezes às custas de seus relacionamentos pessoais. Casada quatro vezes, tornou-se viúva uma vez e divorciada outras três, tendo criado os seus filhos como mãe solteira. Os seus últimos anos foram marcados por um longo período de doença mas ela continuou atuando, até pouco antes da sua morte, por cancro da mama, com mais de 100 papéis em filme, televisão e teatro na sua filmografia. Em 1999, Davis foi a segunda colocada, atrás apenas de Katharine Hepburn, na lista do American Film Institute das maiores atrizes de todos os tempos.
Possui duas estrelas na Calçada da Fama, uma referente ao seu trabalho no cinema e outra referente ao seu trabalho na televisão, localizadas no Hollywood Boulevard.
 

Denholm Elliott morreu há trinta anos


Denholm Mitchell Elliott (Londres, 31 de maio de 1922 - Ibiza, 6 de outubro de 1992) foi um ator britânico nascido na Inglaterra.
 
Biografia
Nascido no seio de uma família de advogados, teve uma infância difícil e problemática, tendo sido expulso de duas escolas pelas quais passou. Durante a segunda guerra mundial foi piloto da Real Força Aérea e ficou três anos prisioneiro na Polónia.
Começou a carreira no teatro após a segunda guerra, em 1945, e estreou no cinema quatro anos depois. Deu a voz à personagem do Limpa-chaminés em The Curious Adventures of Mr. Wonderbird, de 1952, filme de animação francesa dobrado para inglês. Construiu uma carreira sólida e era constantemente elogiado pela crítica pela sua dicção perfeita e presença em cena. Foi nomeado seis vezes para o Óscar de Melhor Ator Secundário e, entre seus melhores filmes estão Alfie (1966), Os Meninos do Brasil (1978), Indiana Jones e Os Caçadores da Arca Perdida (1981), Trocando as Bolas (1983), Uma Janela para o Amor (1985), Em Defesa da Verdade (1985), Em Nome de Deus (1988) e Indiana Jones e a Última Cruzada (1989). Aparece post morten, em estátua, em Indiana Jones e o Reíno da Caveira de Cristal, em 2008
Foi premiado com o BAFTA na categoria de Melhor Ator Secundário em três ocasiões: em 1984, por Trocando as Bolas; em 1985, por Meu Reino por um Leitão; e em 1986, por Em Defesa da Verdade.
Faleceu aos 70 anos, de pneumonia e insuficiência respiratória, causadas por SIDA.
  

Amália morreu há vinte e três anos...


Amália da Piedade Rodrigues
(Lisboa, 1 de julho de 1920 - Lisboa, 6 de outubro de 1999) foi uma fadista, cantora e actriz portuguesa, considerada por muitos a voz suprema do fado, comummente aclamada como a voz de Portugal e uma das mais brilhantes cantoras do século XX. Está sepultada no Panteão Nacional, entre os portugueses ilustres.
Tornou-se conhecida mundialmente como a Rainha do Fado e, por consequência, devido ao simbolismo que este género musical tem na cultura portuguesa, foi considerada por muitos como uma das suas melhores embaixadoras no mundo. Aparecia em vários programas de televisão pelo mundo fora, onde não só cantava fados e outras músicas de tradição popular portuguesa, como ainda canções contemporâneas (iniciando o chamado fado-canção) e mesmo alguma música de origem estrangeira (francesa, americana, espanhola, italiana, mexicana e brasileira). Marcante contribuição sua para a história do Fado, foi a novidade que introduziu de cantar poemas de grandes autores portugueses consagrados, depois de musicados. Teve ainda ao serviço da sua voz a pena de alguns dos maiores poetas e letristas seus contemporâneos, como David Mourão Ferreira, Pedro Homem de Mello, Ary dos Santos, Manuel Alegre, Alexandre O'Neill. Rodrigues falava e cantava em castelhano, galego, francês, italiano e inglês.

 


Montserrat Caballé morreu há quatro anos...


Maria de Montserrat Viviana Concepción Caballé i Folc
(Barcelona, 12 de abril de 1933Barcelona, 6 de outubro de 2018) foi uma famosa cantora lírica catalã, soprano, considerada uma das maiores cantoras líricas de todos os tempos.

 


O baterista Ginger Baker morreu há três anos


Peter Edward "Ginger" Baker (Lewisham, 19 August 1939 – Canterbury, 6 October 2019) was an English drummer and a co-founder of the rock band Cream. His work in the 60s and 70s earned him the reputation of "rock's first superstar drummer", for a style that melded jazz and African rhythms and pioneered both jazz fusion and world music.

 

 


Eddie Van Halen morreu há dois anos...

  
Edward Lodewijk Van Halen, mais conhecido como Eddie Van Halen (Nimegue, 26 de janeiro de 1955Santa Mónica, 6 de outubro de 2020), foi um guitarrista, compositor e produtor musical dos Estados Unidos, co-fundador da banda Van Halen.
 
 

 


quarta-feira, outubro 05, 2022

Música para um dia complicado para Portugal...

 

EL-REI

Longe da luz
A que sonhou na infância
Em vez de predomínio e de conquista
Sonhos de amor
Entre visões de artista
Morreu de desconsolo e de distância.

Caminho aberto
À morte por essa ânsia
Que mais se exalta
Quanto mais contrista
De quem recorda o lar que nunca avista
E se consome em lúcida constância.

Porque acima do trono e da realeza
Havia o céu azul, a claridade
Da sua amada Terra Portuguesa
Havia a Pátria, e dizem, que impiedade
Dizem que não se morre de tristeza
Dizem que não se morre de saudade.



Branca de Gonta Colaço

Porque hoje é 5 de outubro...

Portugal existe há 879 anos...!

     
O Tratado de Zamora foi um diploma resultante da conferência de paz entre D. Afonso Henriques e seu primo, Afonso VII de Leão e Castela. Celebrado a 5 de outubro de 1143, esta é considerada como a data da independência de Portugal e o início da dinastia afonsina.
     
(...)
    
Vitorioso na batalha de Ourique, em 1139, D. Afonso Henriques beneficiou da ação desenvolvida, em favor da constituição do novo Reino de Portugal pelo arcebispo de Braga, D. João Peculiar. Este procurara conciliar os dois primeiros e fez com que eles se encontrassem em Zamora, nos dias 4 e 5 de outubro de 1143, na presença do cardeal Guido de Vico.
   
Cquote1.svg
Todavia, não usou, entre 1128 e 1139, o título de rei, mas de "príncipe" ou de "infante", o que significa, decerto, que não podia resolver por si próprio a questão da sua categoria política; isto é, devia admitir que ela dependesse também do assentimento de Afonso VII, que era, de facto, o herdeiro legítimo de Afonso VI. Mas também não usou nunca o título de "conde", que o colocaria numa nítida posição de dependência para com o rei de Leão e Castela.
Cquote2.svg
   
Pelos termos do tratado, Afonso VII concordou em que o Condado Portucalense passasse a ser reino, tendo D. Afonso Henriques como seu rex (rei). Embora reconhecesse a independência, D. Afonso Henriques continuava a ser vassalo, pois D. Afonso VII para além de ser rei de Leão e Castela considerava-se imperador de toda a Hispânia.
A soberania portuguesa, reconhecida por Afonso VII em Zamora, veio a ser confirmada pelo Papa Alexandre III só em 1179, mas o título de Rex, que D. Afonso Henriques usava desde 1140, foi confirmado em Zamora, comprometendo-se então o monarca português, ante o cardeal, a considerar-se vassalo da Santa Sé, obrigando-se, por si e pelos seus descendentes, ao pagamento de um censo anual.
A partir de 1143 D. Afonso Henriques vai enviar ao Papa remissórias , declarando-se seu vassalo lígio e comprometendo-se a enviar anualmente uma determinada quantia de ouro. As negociações vão durar vários anos, de 1143 a 1179.
   

     

Brian Johnson, vocalista dos AC/DC, faz hoje 75 anos...!

  
Brian Johnson (Gateshead, 5 de outubro de 1947) é um cantor e compositor britânico. Desde 1980 ele é vocalista da banda de hard rock australiana AC/DC. Em 2016 afastou-se da banda por problemas auditivos, retornando em 2018. Em 1971, Brian Johnson foi um dos membros fundadores da banda de glam rock, Geordie. Depois de alguns singles que chegaram aos tops, chegando ao Top 10 no Reino Unido com a música, "All Because Of You" (1973), a banda terminou em 1978 e depois foi reestruturada por Brian em 1980. Mas assim que assinaram um novo contrato com uma gravadora, Brian Johnson foi convidado para o ensaio dos AC/DC, cujo vocalista, Bon Scott, havia falecido em 19 de fevereiro de 1980.

O primeiro álbum de Brian com os AC/DC foi Back in Black. Em 1997, Brian gravou com a banda Jackyl a música "Locked and Loaded", e em 2002 escreveu a música "Kill The Sunshine" do álbum Relentless.


 


Russell Mael, dos Sparks, faz hoje 77 anos


Russell Craig Mael (Los Angeles, California, October 5, 1948) is an American singer best known as the lead singer for the band Sparks which he formed in 1971 with his elder brother Ron Mael. Mael is known for his wide vocal range, in particular his far-reaching falsetto. He has a flamboyant and hyperactive stage presence which contrasts sharply with Ron Mael's deadpan scowling. The band released an album with British rock band Franz Ferdinand, as the supergroup FFS, titled FFS, released in 2015. The Mael brothers are the founders of Lil' Beethoven Records

 

in Wikipédia

 


Bob Geldof faz hoje setenta e um anos

     
Participou, com papel principal, da versão em filme de "The Wall" foi feita em 1982 pela MGM sob o título de Pink Floyd The Wall. O filme foi realizado por Alan Parker e é baseado no álbum do grupo de rock progressivo Pink Floyd. Apesar do filme ter sido um de seus trabalhos mais importantes, Bob já afirmou que não gosta das músicas do Pink Floyd.
Os Boomtown Rats não ficaram no topo por muito tempo e em 1984 a sua carreira tinha caído a pique. Em Novembro desse ano Geldof viu na BBC uma reportagem sobre a fome na Etiópia e prometeu fazer alguma coisa sobre o assunto.
Consciente de que sozinho pouco ou nada poderia fazer, pediu ajuda a Midge Ure dos Ultravox e juntos depressa escreveram a música Do They Know It’s Christmas?. Juntamente com Bono e The Edge (ambos dos U2), Boy George, Paul McCartney,Duran Duran ,entre outros.
Geldof conseguiu marcar uma entrevista com o DJ Richard Skinner da "BBC Radio 1", mas em vez de discutir o seu novo álbum (razão principal para ir ao programa), aproveitou para publicitar a ideia de editar um single de caridade, de tal forma que aquando do recrutamento dos músicos, já havia um enorme interesse da comunicação social no evento.
Usando os poderes de persuasão que o tornaram bastante conhecido, formou um grupo chamado Band Aid, que consistia em músicos pop rock britânicos, todos eles no top à altura.
O single foi editado imediatamente antes do Natal com o objetivo de realizar fundos para pôr termo à fome na Etiópia. Geldof tinha a esperança de juntar 70.000 libras, no entanto o lucro terá sido de muitos milhões tendo-se tornado o single mais vendido em toda a história do Reino Unido.
A ideia foi copiada uns meses mais tarde nos EUA com a música "We Are The World" da autoria de Michael Jackson, Stevie Wonder e Lionel Richie, tendo sido este último o primeiro ponto de contacto de Geldof. Este single chegou ao topo das tabelas nos dois lados do Atlântico.

Não satisfeito com o enorme sucesso do single dos Band Aid, Geldof propôs-se organizar (e tocar com os Rats) o concerto de caridade Live Aid, que angariou fundos sem precedentes para a causa e viajou por todo o mundo com o objectivo de fazer mais dinheiro. Geldof chegou a desafiar Margaret Thatcher, primeira ministra inglesa da altura a fazer uma grande reavaliação da política do governo britânico em relação à eliminação da fome no mundo. Em reconhecimento do seu trabalho recebeu muitos prémios, incluindo uma nomeação para o Prémio Nobel da paz e o título honorário de cavaleiro atribuído pela rainha Isabel II, não tendo o título de Sir (título exclusivo para britânicos), devido à sua condição de irlandês. No entanto por cortesia há quem lhe chame "Sir Bob Geldof" e até mesmo "Santo Bob".
Após o desmembramento dos Boomtown Rats, Geldof enceta uma carreira a solo, editando uma série de álbuns com algum sucesso, tendo tocado também com David Gilmour (dos Pink Floyd).
Bob Geldof que é um dos homens mais reconhecidos e admirados pelo mundo, nunca hesitou em dizer abertamente o que pensa, mesmo que isso possa ferir algumas personalidades importantes do poder.
Juntamente com Bono dos U2 tem devotado muito do seu tempo desde 2000 à luta pelo perdão da dívida externa dos países africanos.
Em 2 e 6 de julho de 2005, organizou o Live 8, uma série de shows que tiveram lugar nos países integrantes do G8, coincidindo com o 20º aniversário do Live Aid. Este evento destinou-se a pressionar os líderes mundiais para perdoar a dívida externa das nações mais pobres do mundo, aumentar e melhorar a ajuda e negociar regras de comércio mais justas que respeitem os interesses das nações africanas.
Mais de mil músicos tocaram no evento, que foi transmitido por 182 redes de televisão e 2000 estações de rádio. O evento ficou eternamente marcado como a última apresentação do grupo britânico Pink Floyd na sua formação original, antes da morte do teclista Richard Wright em 2008.