sexta-feira, janeiro 21, 2022

Lola Flores nasceu há 99 anos

Monumento a Lola Flores em Jerez de la Frontera
     
Maria de Los Dolores Flores Ruiz
(Jerez de la Frontera, Espanha, 21 de janeiro de 1923 - Madrid, 16 de maio de 1995), foi atriz, bailarina de flamenco e cantora espanhola, conhecida por Lola Flores, La Faraona.
Nascida em 21 de janeiro de 1923, em San Miguel, província de Cádiz, em Jerez de la Frontera, Lola Flores (ou La Faraona, como era conhecida no meio artístico) foi uma das figuras mais queridas da Espanha no século XX, famosa cantora folclórica, bailarina e atriz. A sua mãe tinha ascendência cigana por parte do pai.
Em 1939, com 16 anos, estreou no Teatro Villamarta com o espetáculo Luces de España. Um de seus maiores êxitos foi como parceira artística de Manolo Caracol, com quem trabalhou até 1951.
Casou-se com o guitarrista Antonio González Batista (El Pescaílla), em 1958, com quem teve três filhos: Dolores Flores (conhecida como Lolita Flores), Antonio Flores e Rosário Flores, todos eles também cantores.
Faleceu aos 72 anos, de cancro da mama, diagnosticado em 1972. Foi sepultada no Cemitério de la Almudena, em Madrid. Catorze dias após a sua morte, o seu filho Antonio, de 34 anos, foi encontrado em casa, morto supostamente por overdose de narcóticos. Foi enterrado junto da mãe.
   

 


Benny Hill nasceu há 98 anos


Alfred Hawthorne "Benny" Hill (Southampton, 21 January 1924 – Teddington, Greater London, 20 April 1992) was an English actor, comedian, singer and writer. He is remembered for his television programme The Benny Hill Show, an amalgam of slapstick, burlesque and double entendre in a format that included live comedy and filmed segments, with Hill at the focus of almost every segment.
 

 


Lenine morreu há 98 anos

  
Vladimir Ilitch Lenin ou Lenine (nascido Vladimir Ilyitch Uliánov, Simbirsk, 22 de abril de 1870 – Gorki, 21 de janeiro de 1924) foi um revolucionário e chefe de Estado russo, responsável em grande parte pela execução da Revolução Russa de 1917, líder do Partido Comunista, e primeiro presidente do Conselho dos Comissários do Povo da União Soviética. Influenciou teoricamente os partidos comunistas de todo o mundo e as suas contribuições resultaram na criação de uma corrente teórica denominada leninismo (Ética de Estado). Diversos pensadores e estudiosos escreveram sobre a sua importância para a história recente e o desenvolvimento da Rússia, entre eles o historiador Eric Hobsbawm, para quem Lenine teria sido "o personagem mais influente do século XX".
   
  
(imagem daqui)
       

Georges Méliès morreu há 84 anos

  
Marie-Georges-Jean-Méliès (Paris, 8 de dezembro de 1861 - Paris, 21 de janeiro de 1938) foi um ilusionista francês de sucesso e um dos precursores do cinema, que usava inventivos efeitos fotográficos para criar mundos fantásticos.
Méliès, além de ser considerado o "pai dos efeitos especiais", fez mais de 500 filmes e construiu o primeiro estúdio cinematográfico da Europa. Também foi o primeiro cineasta a usar desenhos de produção e storyboards para projetar as suas cenas. Era proprietário do Théatre Robert-Houdin, em Paris, que havia pertencido ao famoso ilusionista francês Jean Eugène Robert-Houdin.

Tudo começou quando o cineasta ganhou um protótipo criado pelo cinematógrafo inglês Robert William Paul e ficou tão entusiasmado com o mesmo que saía para o exterior para filmar cenas do quotidiano em Paris. Um dia a própria câmara parou de repente, mas as pessoas não paravam de se mexer e, quando ele voltou a filmar, a ação feita na filmagem era diferente da ação que ele estava filmando. A esta trucagem ele deu o nome de stop-action; criou várias outras, como perspectiva forçada, múltiplas exposições ou filmagens em alta e baixa velocidade.
Uma de suas produções mais conhecidas foi Le voyage dans la lune (Viagem à Lua) de 1902, em que usou técnicas de dupla exposição do filme para obter efeitos especiais inovadores para a época.
Criando filmes fantasiosos que divertiam crianças e adultos, Georges Méliès foi considerado o melhor cineasta do mundo. Chaplin o chamou de "o alquimista da luz". Estava presente na plateia que assistiu, em 28 de dezembro de 1895, aos Irmãos Lumière a fazerem a primeira projeção de um filme na história. D. W. Griffith, que viria a ser um dos grandes diretores da história do cinema, disse "a ele tudo devo".
O livro A Invenção de Hugo Cabret, de Brian Selznick, e sua adaptação cinematográfica, são inspirados na história da vida de Méliès.
Méliès foi o primeiro artista a pintar as suas obras, para que os filmes preto e branco ficassem coloridos. Um exemplo disso é o filme Viagem à Lua.
 

Richie Havens nasceu há 81 anos

  
Richie Havens
(Brooklyn, 21 de janeiro de 1941Jersey City, 22 de abril de 2013) foi um cantor americano de música folk.
Havens começou a ficar famoso com o surgimento do movimento folk de Greenwich Village (que também catapultou as carreiras de Joan Baez e Bob Dylan). Em 1969, Havens abriu o Festival de Woodstock; ele foi aclamado pela multidão e foi tocando até ficar sem músicas, decidindo improvisar uma versão de "Motherless Child", a qual ele acrescentou um verso com a palavra "freedom" repetida várias vezes. Esta versão transformaria-se num sucesso internacional, com o lançamento do documentário Woodstock, em 1970.
Havens tocou na cerimónia da tomada de posse do presidente americano Bill Clinton em 1993. Ele continuou gravando e viajando em turnês, embora raramente escrevesse as suas próprias músicas, preferindo interpretar trabalhos de artistas como Dylan e Beatles.
Havens tinha uma técnica peculiar para tocar a viola que lhe dava um estilo único. Ele usava uma afinação em Ré que permitia que ele fizesse muitos acordes usando principalmente o dedo polegar, ao contrário das técnicas mais comuns de viola que priorizam o uso dos outros dedos, sem usar o polegar. Morreu em sua casa, em Jersey City, Nova Jersey, vítima de um ataque cardíaco aos 72 anos.
    

 


Plácido Domingo - 81 anos

     
José Plácido Domingo Embil (Madrid, 21 de janeiro de 1941), mais conhecido como Plácido Domingo, é um tenor dramático, barítono, musico e maestro espanhol, conhecido por sua versátil e poderosa voz, possuindo um tom dramático em toda a sua amplitude. Em março de 2008 ele cantou seu 128º papel operístico, fazendo-se assim o tenor que mais cantou papéis na história, em 2011 chegou ao 134° papel operístico. Um dos Três Tenores, ele também tem conduzindo óperas e concertos, como também servindo de Diretor da Ópera Nacional de Washington, em Washington, Estados Unidos e na Ópera de Los Angeles
     

  


George Orwell morreu há 72 anos

       
Eric Arthur Blair (Motihari, Índia Britânica, 25 de junho de 1903  – Londres, 21 de janeiro de 1950), mais conhecido pelo pseudónimo de George Orwell, foi um escritor e jornalista inglês. A sua obra é marcada por uma inteligência perspicaz e bem-humorada, uma consciência profunda das injustiças sociais, uma intensa oposição ao totalitarismo e uma paixão pela clareza da escrita. Apontado como simpatizante da proposta anarquista e do socialismo não-autoritário, o escritor faz uma defesa da auto-gestão ou autonomismo. Orwell, faz uma forte critica ao socialismo autoritário e estalinista, que ele denunciou em obras como Homage to Catalonia e Animal Farm.
Considerado talvez o melhor cronista da cultura inglesa do século XX, Orwell se dedicou a escrever resenhas, ficção, artigos jornalísticos polémicos, crítica literária e poesia. Ele é mais conhecido pelo romance distópico Nineteen Eighty-Four (1949) e pela novela satírica Animal Farm (1945). Juntas, estas obras venderam mais cópias do que os dois livros mais vendidos de qualquer outro escritor do século XX. Um outro livro de sua autoria, Homage to Catalonia (1938) - um relato de sua experiência como combatente voluntário no lado republicano da Guerra Civil Espanhola - também é altamente aclamado, assim como seus ensaios sobre política, literatura, linguagem e cultura. Em 2008, o The Times classificou-o em segundo lugar em uma lista de "Os 50 maiores escritores britânicos desde 1945".
A influência de Orwell na cultura contemporânea, tanto popular quanto política, perdura até os dias de hoje. Vários neologismos criados por ele, assim como o termo orwelliano - palavra usada para definir qualquer prática social autoritária ou totalitária - já fazem parte do vernáculo popular.
   
Morte
Orwell morreu em Londres vítima de tuberculose, aos 46 anos de idade. Tendo solicitado um funeral de acordo com os rituais anglicanos, foi enterrado na All Saints' Churchyard, Sutton Courtenay, Oxfordshire, com o simples epitáfio: "Here lies Eric Arthur Blair, born June 25, 1903, died January 21, 1950" ("Aqui jaz Eric Arthur Blair, nascido em 25 de junho de 1903, falecido em 21 de janeiro de 1950"); nenhuma menção é feita ao seu célebre pseudónimo.
      
   
         

Paulo Miklos, o vocalista dos Titãs, faz hoje 63 anos

  
Paulo Roberto de Sousa Miklos (São Paulo, 21 de janeiro de 1959) é músico e ator brasileiro, ex-vocalista da banda de rock Titãs. Em 2001 iniciou uma carreira de ator e, em 2011, iniciou uma carreira de apresentador de televisão, apresentando o "Paulo Miklos Show" na Mix TV, entre 2012 e 2013. 
   

 


Hoje é dia de ouvir poesia declamada...

O paquete Santa Maria foi desviado há 61 anos

50 anos: Desvio do "Santa Maria"
Os 'piratas' que ameaçaram Salazar
   
 
Há 50 anos, estava por horas o assalto e desvio do paquete 'Santa Maria'. Começa na madrugada de 22, com a entrada de vários membros na ponte de comando do navio, e durante vários dias vai concentrar as atenções de todo o mundo para a primeira acção política deste género. Inicia-se um acontecimento que vai marcar o tom da contestação a Salazar, ao regime e à política colonial.

"Em todo o país o acto de pirataria causou indignação e repulsa", era um dos muitos títulos que ocupavam a primeira página do Diário de Notícias de há 50 anos. Durante os dias seguintes, variantes sem fim desse título continuaram a ser destaque na capa do jornal, para explicar o assalto e o desvio do paquete Santa Maria por um comando liderado por Henrique Galvão.

Era o primeiro acontecimento radical, dos muitos que desafiariam Salazar em 1961, ano de sucessivos contratempos políticos para com um regime que se perpetuava e com o qual a maior parte dos portugueses convivia adormecido.

Se foi notícia em Portugal o assalto ao Santa Liberdade, nome com que o comando o rebaptizou após a tomada do navio, a repercussão mundial foi enorme e centenas de jornalistas de todo o planeta viajaram para o Brasil e cobriram o acontecimento. Houve até um que, no desespero de ser o primeiro a contactar os revoltosos, alugou uma avioneta e atirou-se de pára-quedas. Falhou o convés e quase ia sendo devorado pelos tubarões.

Enquanto o desvio prosseguia erraticamente até ser decidido atracar no Recife, a contra-informação em Portugal era gigantesca, mas não suficiente para retirar a dimensão de herói ao capitão que desafiara o ditador português e de o acto ser notícia com interesse planetário.

Camilo Mortágua foi um dos membros do comando de Henrique Galvão, que, aos 29 anos, participou numa das mais extraordinárias aventuras duma vida bastante repleta de actos de rebelião. Poucos meses depois, em Outubro, entraria num avião da TAP e executaria, com Palma Inácio, outro desvio, para sobrevoar Lisboa e outras cidades portuguesas numa distribuição de panfletos contra o regime.
    
in DN - ler notícia

Luís XVI, Rei da França, foi assassinado há 229 anos

A Execução de Luís XVI de França, a partir de uma gravura alemã
     
A Execução de Luís XVI na guilhotina é um dos acontecimentos mais importantes da Revolução Francesa. Ela teve lugar no dia 21 de janeiro de 1793, aproximadamente às 10.20 horas, em Paris, na Praça da Revolução (a antiga Praça Luís XV, renomeada, em 1795, como Praça da Concórdia), nome que hoje ainda mantém.
  
Contexto
Na sequência dos acontecimentos da jornada de 10 de agosto de 1792 e do ataque ao Palácio das Tulherias, residência da família real, pelo povo parisiense, Luís XVI é preso na Prisão do Templo com a sua família, por alta traição. No final de seu processo, Luís XVI é condenado à morte por curta maioria (apenas um voto de diferença), a 15 de janeiro de 1793.
    
Trajeto
Luís XVI foi acordado às 05.00 horas da manhã. Cléry, o seu camareiro, assiste o rei na sua toalete matinal. Luís XVI encontra-se, em seguida, com o abade Henri Essex Edgeworth de Firmont, confessa-se, assiste à sua última missa e recebe a comunhão.
Aconselhado pelo abade, Luís XVI evita um último encontro de despedida com a sua família. Os guardas, temendo um rapto do rei, entram e saem incessantemente. Às 07.00 horas, Luís XVI confia as suas últimas vontades ao abade, o seu selo para o Delfim e a sua aliança de casamente para a Rainha. Após receber a bênção do abade, Luís XVI junta-se a Antoine Joseph Santerre, que comanda a guarda.
Um nevoeiro espesso envolve o dia, glacial. Dentro do primeiro pátio, Luís XVI volta-se para a Torre do Templo, onde foram colocados os demais membros da família real, mas estes não aparecem às janelas. No segundo pátio, uma carruagem verde espera. Luís XVI toma o seu lugar nela, com o abade, e mais duas pessoas da milícia instalam-se à sua frente. A carruagem deixa o Templo por volta das 09.00 horas. Ela vira à direita, pela Rua do Templo, para atingir os grandes Boulevards.
Um cortejo é formado com a carruagem, precedido por tambores e escoltado por uma tropa de cavaleiros com sabres desfraldados. O cortejo avança entre diversas fileiras de guardas nacionais e de sans-culottes.
     
Placa na Rua de Beauregard, recordando a tentativa de evasão do Rei
     
A multidão é numerosa e está dividida. Uma maioria opõe-se à execução, mas os homens armados e guardas nacionais estão preparados. Nas proximidades da Rua de Cléry, o Barão de Batz, apoio da família real que havia financiado a Fuga de Varennes, convocou 300 monárquicos para fazer evadir o Rei. Este deveria ser escondido numa casa pertencente ao Conde de Marsan, na Rua de Cléry. O Barão de Batz avança, aos gritos de: "Comigo, meus amigos, para salvar o Rei!". Porém, os seus companheiros haviam sido denunciados e apenas alguns puderam comparecer. Três foram mortos, mas o Barão de Batz pode escapar. Dentro da carruagem, o Rei Luís XVI não percebeu nada. No breviário do abade, ele lia a prece dos agonizantes. O cortejo, conduzido por Santerre, prosseguiu o seu caminho pelos boulevards e pela Rua da Revolução. Ele entra às 10.00 horas na Praça da Concórdia e para aos pés do cadafalso, instalado em frente ao Palácio das Tulherias, última residência real, entre o pedestal da estátua, removida, de Luís XV e a parte baixa dos Champs-Élysées. O local é rodeado por canhões em bateria e uma profusão de espadas e baionetas.
    
Testemunhos
Imprensa contemporânea
O jornal "Thermomètre du Jour" ("Termômetro do Dia") de 13 de fevereiro, jornal republicano moderado, descreve o Rei gritando: "Estou perdido!", citando como testemunha o carrasco, Charles-Henri Sanson.
  
Sanson
Sanson, o carrasco do rei, reage à versão do jornal "Thermomètre du Jour", dando o seu próprio testemunho sobre a execução, em carta datada de 20 de fevereiro de 1793:
Chegado ao pé da guilhotina, Luís XVI considerou um instante os instrumentos de seu suplício e perguntou a Sanson se os tambores cessariam de bater. Ele se aproximou para falar. Foi dito aos carrascos que fizessem seu dever. Enquanto lhe colocavam as cilhas, ele gritou : "Povo, eu morro inocente!". De seguida, virando-se para os carrascos, Luís XVI declara: "Senhores, sou inocente de tudo o que me inculpam. Espero que meu sangue possa cimentar a felicidade dos Franceses". O cutelo caiu. Eram 10 horas e 22 minutos. Um dos assistentes de Sanson apresentou a cabeça de Luís XVI ao povo, enquanto se elevava um grande grito de: "Viva a Nação! Viva a República!" e que ressoava uma salva de artilharia, que chegou até aos ouvidos da família real encarcerada..
Por fim, Sanson sublinha em uma carta que o rei "suportou tudo aquilo com um sangue frio e uma firmeza que nos espantou a todos. Fico quase convencido que ele retirou esta firmeza dos princípios da sua religião, dos quais ninguém mais do que ele parecia compenetrado ou persuadido".
     

John Couch Adams, astrónomo que previu a existência de Neptuno, morreu há cento e trinta anos

  
Ainda estudante do St John's College (Cambridge), propôs a teoria que o notabilizou, segundo a qual as irregularidades observadas no movimento do planeta Úrano seriam provocadas pela existência de um outro planeta, até então desconhecido. Mais tarde, conseguiu provar a sua hipótese e, consequentemente, a existência desse novo planeta, que foi denominado de Neptuno. Nessa descoberta, porém, Adams foi precedido por um outro astrónomo, o francês Urbain Le Verrier.
Durante a sua vida, Adams exerceu vários cargos importantes como presidente da Royal Astronomical Society e diretor do Observatório de Cambridge. Também realizou importantes estudos sobre o magnetismo terrestre e a gravitação. Foi Professor Lowndeano de Astronomia e Geometria.

Wendy James, vocalista dos Transvision Vamp, faz hoje 56 anos

 
Wendy James (born 21 January 1966, London) is an English singer-songwriter most notable for her work with the pop band Transvision Vamp.
  
Transvision Vamp
James was adopted soon after birth, and left home at the age of sixteen, moving to the English seaside resort town of Brighton. There she met Nick Christian Sayer, who became her boyfriend and musical collaborator. Sayer and James moved to London, where they teamed up with friends Dave Parsons, Tex Axile and Pol Burton, with whom they formed the pop-punk band, Transvision Vamp. James was the lead singer and focal point of the group, and attracted media attention with her sexually charged and rebellious image.
The band was signed by MCA in December 1986 and released a cover version of the Holly and the Italians song "Tell That Girl to Shut Up" in late 1987. Months later the follow-up single "I Want Your Love", with its pop/punk crossover appeal, entered the Top 10 in the UK Singles Chart. The band went on to release the hit album Pop Art in October. 1989 was the band's most successful year, with the number 3 hit single "Baby I Don't Care" and hit album Velveteen which entered the UK Albums Chart at number one and was a hit worldwide. The next two singles, "I Want Your Love" and "Baby I Don't Care", respectively reached number five and number three in the UK singles charts.

Solo career
When the decision had been made for Transvision Vamp to split, James wrote to Elvis Costello asking for his guidance. In response Costello, collaborating with his then wife Cait O'Riordan on some songs, wrote a full album's worth of material for James. These songs made up the tracks on her 1993 solo album Now Ain't the Time for Your Tears. Produced by Chris Kimsey, it reached No. 43 in the UK Albums Chart in March 1993. However the album failed to sell in significant numbers, and James "dropped from the music scene". She signed to One Little Indian and recorded an album entitled Lies in Chinatown, which was not released.
  
Solo career and Racine

When the decision had been made for Transvision Vamp to split, James wrote to Elvis Costello asking for his guidance. In response Costello, collaborating with his then wife Cait O'Riordan on some songs, wrote a full album's worth of material for James. These songs made up the tracks on her 1993 solo album Now Ain't the Time for Your Tears. Produced by Chris Kimsey, it reached No. 43 in the UK Albums Chart in March 1993. However the album failed to sell in significant numbers, and James "dropped from the music scene". She signed to One Little Indian and began work on an album entitled Lies in Chinatown, which was not completed.

James formed a band named Racine in 2004. The group released two albums, Number One and Racine 2.

Racine broke up in December 2008, prior to shutting down their official website. The members of the band went on to join other bands and none of them worked on James' next album.

James announced on her MySpace blog that she had been working on an album entitled I Came Here to Blow Minds, which was recorded in Paris in 2009 and mixed in Australia later that year.[11] Finally, a release date of 19 October 2010 (for digital release) was posted on James' official Facebook page in August 2010. One track from the album had already been made available for download on RCRD LBL. since May 2009.

James released an album, The Price of the Ticket on 19 February 2016.

In October 2019, James was touring as "The Wendy James Band" in support of the Psychedelic Furs, promoting a new album, Queen High Straight. 


 


A Batalha de Khe Sanh começou há 54 anos

Um canhão M107 disparando contra posições vietnamitas
  
A Batalha de Khe Sanh foi um conflito armado que ocorreu durante a Guerra do Vietname, envolvendo o Exército do Vietname do Sul e Exército dos Estados Unidos, contra o Exército do Povo do Vietname (NVA), a noroeste da província de Quang Tri.
  
Operações de combate
O comando americano em Saigão acreditou inicialmente que as operações de combate em torno de Khe Sanh durante o verão de 1967 eram apenas parte de uma série de pequenas ofensivas norte vietnamitas, nas regiões fronteiriças.
Essa avaliação logo mudou, quando se descobriu que o Exército do Povo do Vietname (ou NVA, na sigla em inglês) movia forças para a região enquanto caía o inverno. A concentração de forças dos fuzileiros navais americanos (os marines) e as ações em torno de Khe Sahn começaram quando a base foi isolada pelas forças comunistas. Durante uma série de ações desesperadas que duraram 77 dias, a Base de Combate de Khe Sanh (BCKS) e os postos avançados ao seu redor foram mantidos sob constante ataque de morteiros, artilharia e foguetes do NVA. Combates violentos entre as infantarias também foi reportado ao longo de todo o perímetro defensivo.
Durante a batalha uma campanha de bombardeamento maciço (Operação Niagara) foi levada a cabo pela Força Aérea dos Estados Unidos (USAF) para auxiliar a base dos fuzileiros navais norte-americanos. Essa campanha contou com os últimos avanços tecnológicos para localizar as forças do NVA. O esforço logístico para manter a BCKS (ou KSCB, em inglês), quando ela estava isolada, exigiu a implementação de outras inovações táticas a fim de manter os Marines supridos.
Em março de 1968, uma expedição terrestre (Operação Pegasus) foi executada por uma força combinada de Fuzileiros Navais, Exército dos Estados Unidos e Exército do Vietname do Sul. Essa expedição conseguiu romper o cerco aos Marines, constituindo-se em vitória tática dos americanos e seus aliados, mas sem implicações estratégicas no conflito no Vietname.
A luta por Khe Sanh foi sangrenta e extremamente brutal para os homens envolvidas nela. Os combates nas regiões ao redor da base também foram particularmente violentos e, apesar do alto custo em vidas, não deu grandes conquistas para qualquer um dos lados.
   
Um A-4E Skyhawk americano bombardeando os vietnamitas entrincheirados ao redor da base
      

Há 54 anos ocorreu um grave acidente nuclear na Base Aérea de Thule, na Gronelândia

Boeing B-52G similar ao avião destruído
    
O Acidente da Base Aérea de Thule de 1968 ocorreu no dia 21 de janeiro de 1968, envolvendo um B-52 Stratofortress da Força Aérea dos Estados Unidos. Nessa data, o avião caiu no gelo a alguns quilómetros da Base Aérea de Thule e os investigadores só conseguiram recuperar três das quatro bombas nucleares.
Segundo documentos que eram confidenciais, obtidos graças à Freedom of Information Act (lei americana que permite que as agências federais revelem os seus documentos), os americanos nunca conseguiram localizar a bomba, apesar das buscas realizadas perto da base aérea de Thule, onde em 1968 um caça estratégico B-52 caiu com quatro bombas nucleares a bordo.
A base de Thule, a mais setentrional da Força Aérea dos Estados Unidos e de grande importância estratégica, foi construída em plena guerra fria, no início da década de 50. Era um elo importante na cadeia de radares do Norad (sistema de vigilância do espaço aéreo americano), previsto para detetar qualquer lançamento de mísseis soviéticos.
  

Emma Bunton faz hoje 46 anos

        
Emma Bunton (Londres, 21 de janeiro de 1976) é uma cantora, apresentadora de televisão e atriz britânica. Ficou conhecida mundialmente ao integrar o grupo pop Spice Girls de 1995 a 2001, lançando-se posteriormente numa carreira a solo.
     

 


O Concorde fez as primeiras viagens comerciais há 46 anos

  
O Concorde era um avião comercial supersónico de passageiros, que foi produzido entre abril de 1965 (fabricação da primeira peça) e o final de 1978, pelo consórcio formado pela britânica British Aircraft Corporation (BAC) e a francesa Aérospatiale. Os seus voos comerciais começaram em 21 de janeiro de 1976 e terminaram em 24 de outubro de 2003, tendo sido operado apenas pelas companhias British Airways e Air France.

     

(...) 

    

Em 21 de janeiro de 1976 o Concorde iniciou voos comerciais, ligando Paris ao Rio de Janeiro, com uma escala em Dacar, e Londres ao Barém. Voar no Concorde era uma experiência única. Tendo uma velocidade de cruzeiro em torno de 2,5 vezes a de qualquer aeronave de passageiros - 1.150 nós contra 450 nós, sendo 1.292 nós o recorde, em 19 de dezembro de 1985 - ele foi capaz de um feito memorável: um Concorde e um Boeing 747 da Air France descolaram, ao mesmo tempo, o Concorde de Boston e o Boeing 747 de Paris. O Concorde chegou a Paris, ficou uma hora no solo e retornou a Boston, pousando 11 minutos antes do Boeing 747. 

   

Peggy Lee morreu há vinte anos...

    
Peggy Lee (Jamestown, 26 de maio de 1920 - Bel Air, Los Angeles, 21 de janeiro de 2002), nome artístico de Norma Deloris Egstrom, foi uma cantora de jazz tradicional dos Estados Unidos conhecida por interpretar as canções "Is That All There Is?" e "Fever". Ao longo de uma carreira de mais de cinco décadas, Peggy gravou mais de 600 canções e chegou a ser comparada às mais importantes cantoras americanas da sua época, como Billie Holiday e Bessie Smith.
     
    
Biografia
Nascida Norma Deloris Egstrom em Jamestown, Dacota do Norte, era conhecida como uma das mais importantes influências musicais do século XX. Lee é citada como inspiração para vários artistas, como Bobby Darin, Paul McCartney, Anni-Frid "Frida" Lyngstad (dos ABBA), Bette Midler, Madonna, k. d. lang, Elvis Costello, Dusty Springfield, Dr. John e Christina Aguilera, entre outros.
Como escritora, colaborou com seu ex-marido, Dave Barbour, e ainda Sonny Burke, Victor Young, Francis Lai, Dave Grusin, John Chiodini, e Duque Ellington, que dizia "If I'm the Duke, then Peggy's the Queen" ("Se eu sou o Duque, então Peggy é a Rainha").
Como atriz, foi indicada para um Óscar pelo seu papel em Pete Kelly's Blues.
Frank Sinatra, Ella Fitzgerald, Judy Garland, Dean Martin, Bing Crosby e Louis Armstrong todos citaram Lee como uma de suas cantoras favoritas.
   

 


João Villaret morreu há sessenta e um anos...

(imagem daqui)
       
João Henrique Pereira Villaret (Lisboa, 10 de maio de 1913 - Lisboa, 21 de janeiro de 1961) foi um ator, encenador e declamador português.

João Villaret nasceu em Lisboa, em 1913, filho do médico Frederico Villaret e de Josefina Gouveia da Silva Pereira. Frequentou o colégio inglês na Rua Marquês de Abrantes e depois o Liceu de Passos Manuel, onde foi bom aluno. Desde cedo revelou interesse pelas artes. Aos 15 anos ingressou no Conservatório Nacional de Lisboa. Amélia Rey Colaço e Robles Monteiro tiveram um papel preponderante na sua iniciação teatral. Em 1930 concluiu o curso e a 16 de outubro de 1931 estreava-se interpretando um papel na peça Leonor Teles, de Marcelino Mesquita.

Trabalhou no teatro, cinema e foi um grande declamador de poesia, a sua maior paixão. Era um actor ecléctico, pois além do teatro clássico também se dedicou ao teatro de revista. Fez várias digressões a África e ao Brasil, onde esteve sete vezes. Nos últimos anos, aos domingos, tinha um programa na RTP, onde declamava poesia e contava histórias curiosas do mundo cultural. Num desses episódios referiu que o seu amigo António Botto o apresentou a Fernando Pessoa, encontro que muito o impressionou.

Villaret era diabético, mas era avesso a tratamentos e dietas. Em 1958, quando esteve em Nova Lisboa consultou um calista que ao extrair-lhe uma calosidade lhe provocou uma ferida num pé, o que viria a ter consequências funestas. Viria a morrer de insuficiência renal em 1961, aos 47 anos.
  
Teatro
Depois de frequentar o Conservatório Nacional de Teatro, começou por integrar o elenco da companhia de teatro lisboeta Amélia Rey Colaço-Robles Monteiro.
Mais tarde, fez parte da companhia teatral Os Comediantes de Lisboa, fundada em 1944 por António Lopes Ribeiro e o seu irmão Francisco, mais conhecido por Ribeirinho.
Teve uma interpretação considerada antológica na peça Esta Noite Choveu Prata, de Pedro Bloch, em 1954, no extinto Teatro Avenida, em Lisboa.
  
Cinema
No cinema, Villaret surge em:
   
Declamador

Nos anos 50, com o aparecimento da televisão, transpõe para este meio de comunicação a experiência que adquirira no palco e em cinema, assim como em programas radiofónicos. Aos domingos declamava na RTP, com graça e paixão, poemas dos maiores autores nacionais.
Ficaram célebres, entre outras, as suas interpretações de:
Encontram-se no mercado edições, em CD, do trabalho de Villaret como declamador.
  
Música

Na música, Villaret também deu cartas, sendo criador de grandes sucessos, como "Rosa Araújo", "Santo António" (proibidos pela Censura do Estado Novo) e "Sinfonia do Ribatejo", na revista "Não Faças Ondas", em 1956, e do poema-canção "Recado a Lisboa", que até hoje predomina como um verdadeiro clássico da história da Música Portuguesa.

A sua mais conhecida obra, devido à sua originalidade, é a seguinte:

Fado falado, de Nelson de Barros, com versos de Aníbal de Nazaré, criado pelo próprio na revista "Tá Bem ou Não 'Tá?" (1947), e satirizada com mestria nos anos 50, onde se pode ouvir esta frase emblemática: «Se o fado se canta e chora, também se pode falar».
   
Homenagens
A 2 de abril de 1960 foi feito Oficial da Ordem Militar de Sant'Iago da Espada

Em Lisboa o Teatro Villaret recebeu o seu nome como homenagem pela sua carreira.

Em Loures há uma escola com o nome de João Villaret. A escola ensina crianças desde o 5.º até ao 9.º ano.

 
   

 



 Liberdade

 

Ai que prazer

Não cumprir um dever,

Ter um livro para ler

E não o fazer!

Ler é maçada,

Estudar é nada.

O sol doira

Sem literatura.

O rio corre, bem ou mal,

Sem edição original.

E a brisa, essa,

De tão naturalmente matinal,

Como tem tempo não tem pressa...

Livros são papéis pintados com tinta.

Estudar é uma coisa em que está indistinta

A distinção entre nada e coisa nenhuma.

Quanto é melhor, quanto há bruma,

Esperar por D. Sebastião,

Quer venha ou não!

Grande é a poesia, a bondade e as danças...

Mas o melhor do mundo são as crianças,

Flores, música, o luar, e o sol, que peca

Só quando, em vez de criar, seca.

O mais do que isto

É Jesus Cristo,

Que não sabia nada de finanças

Nem consta que tivesse biblioteca...

 

 

Fernando Pessoa

Cecil B. DeMille morreu há 63 anos

    
Cecil Blount DeMille, mais conhecido como Cecil B. DeMille (Ashfield, 12 de agosto de 1881 - Hollywood, 21 de janeiro de 1959) foi um cineasta americano, um dos 36 fundadores da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas.
  

Prémios e nomeações
  • Recebeu uma nomeação para o Óscar, na categoria de Melhor Diretor, por "O Maior Espetáculo da Terra" (1952).
  • Recebeu 2 nomeações para o Óscar, na categoria de Melhor Filme, por "O Maior Espetáculo da Terra" (1952) e "Os Dez Mandamentos" (1956). Venceu em 1952.
  • Ganhou um Óscar honorário em 1950, concedido pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas como reconhecimento aos seus 37 anos de carreira.
  • Ganhou o Prémio Irving G. Thalberg, em 1953, concedido pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas.
  • Ganhou o Globo de Ouro de Melhor Diretor, por "O Maior Espetáculo da Terra" (1952).
  • Ganhou a Palma de Ouro, no Festival de Cannes, por "Aliança de Aço" (1939).
   

quinta-feira, janeiro 20, 2022

Música adequada à data...

Buzz Aldrin nasceu há 92 anos

  
Buzz Aldrin (nascido Edwin Eugene Aldrin Jr.; Glen Ridge, 20 de janeiro de 1930) é um engenheiro mecânico, piloto e astronauta norte-americano que, como piloto do módulo lunar da missão Apollo 11, tornou-se em 1969 o segundo homem a pisar na superfície da Lua. Ele nasceu e cresceu em Nova Jérsei e foi estudar engenharia mecânica na Academia Militar dos Estados Unidos, onde se formou com um título de bacharel em 1951. Esteve na Força Aérea dos Estados Unidos e atuou como piloto de caça durante a Guerra da Coreia, voando em 66 missões de combate e tendo derrubado dois MiG-15.

Aldrin fez em 1963 um doutoramento em aeronáutica pelo Instituto de Tecnologia de Massachusetts, sendo selecionado no mesmo ano para o Grupo 3 de Astronautas da NASA, fazendo dele o primeiro astronauta com um doutoramento. A sua tese era sobre técnicas para encontros espaciais, o que lhe valeu entre seus colegas o apelido de "Dr. Encontro". O seu primeiro voo espacial ocorreu em 1966 a bordo da Gemini XII, durante a qual passou mais de cinco horas realizando atividades extraveiculares. Depois disso foi escolhido como reserva da Apollo 8 e por fim piloto do módulo lunar da Apollo XI, quando ele e seu comandante Neil Armstrong realizaram a primeira alunagem tripulada da história. Ele pisou na superfície da Lua nas primeira horas do dia 21 de julho, nove minutos depois de Armstrong. Nesta ocasião, Aldrin tornou-se a primeira pessoa a realizar duas atividades extraveiculares, em missões distintas. O seu colega de missão Michael Collins permaneceu em órbita enquanto isso.

Ele reformou-se de astronauta em 1971 e tornou-se comandante da Escola de Pilotos de Teste da Força Aérea dos Estados Unidos, passando à reserva da Força Aérea no ano seguinte, com a patente de coronel, depois de 21 anos de serviço. Nos anos seguintes Aldrin lutou contra a depressão e alcoolismo até ficar sóbrio, a partir de 1978. Ele continua até hoje a defender maior exploração espacial, especialmente uma missão tripulada a Marte, chegando inclusive a desenvolver um plano de trajetória que teoricamente permite uma viagem a Marte em menos tempo e com menos consumo de combustível. Os seus serviços na Força Aérea e na NASA já lhe proporcionaram diversos prémios e honrarias, incluindo a Medalha Presidencial da Liberdade, entregue em 1969.