sábado, setembro 25, 2021

Shostakovich nasceu há 115 anos

 

    
Dmitri Dmitriyevich Shostakovich (São Petersburgo, 25 de setembro de 1906Moscovo, 9 de agosto de 1975) foi um compositor russo e um dos mais célebres compositores do século XX.
   
   

A guerra começou em Moçambique há 57 anos

     
A Guerra da Independência de Moçambique, também conhecida como Luta Armada de Libertação Nacional, foi um conflito armado entre as forças da guerrilha da FRELIMO (Frente de Libertação de Moçambique) e as Forças Armadas de Portugal. Oficialmente, a guerra teve início a 25 de setembro de 1964, com um ataque ao posto administrativo de Chai no então distrito (actualmente província) de Cabo Delgado, e terminou com um cessar-fogo a 8 de setembro de 1974, resultando numa independência negociada em 1975.
Ao longo dos seus quatro séculos de presença em território africano, a primeira vez que Portugal teve que enfrentar guerras de independência, e forças de guerrilha, foi em 1961, na Guerra de Independência de Angola. Em Moçambique, o conflito começou em 1964, resultado da frustração e agitação entre os cidadãos moçambicanos, contra a forma de administração estrangeira, que consideravam ser exploratória e de maus tratos, e que só defendia os interesses económicos portugueses na região. Muitos moçambicanos ressentiam-se das políticas portuguesas em relação aos nativos, que eram discriminatórias, tradicionais e que limitavam o acesso à educação, ministrada pelos portugueses, e ao emprego qualificado. Influenciados pelos movimentos de autodeterminação africanos do pós-guerra, muitos moçambicanos tornaram-se, progressivamente, nacionalistas e, de forma crescente, frustrados pelo contínuo servilismo da sua nação às regras exteriores. Por outro lado, aqueles moçambicanos mais cultos, e integrados no sistema social português implementado em Moçambique, em particular os que viviam nos centros urbanos, reagiram negativamente à vontade, cada vez maior, de independência. Os portugueses estabelecidos no território, que incluíam a maior parte das autoridades, responderam com um incremento da presença militar e com um aumento de projectos de desenvolvimento.
Um exílio em massa de políticos da intelligentsia de Moçambique para países vizinhos providenciou-lhes um ambiente ideal no qual radicais moçambicanos podiam planear acções, e criar agitação política, no seu país de origem. A criação da organização de guerrilha moçambicana FRELIMO e o apoio da União Soviética, China e Cuba, por meio do fornecimento de armamento e de instrutores, levaram ao surgimento da violência que continuaria por mais uma década.
Do ponto de vista militar, o contingente militar português foi sempre superior durante todo o conflito contra as forças de guerrilha. Embora em desvantagem, as forças da FRELIMO saíram vitoriosas, após a Revolução dos Cravos em Lisboa, a 25 de abril de 1974, que acabou com o regime ditatorial em Portugal. Moçambique acabaria por obter a sua independência em 25 de junho de 1975, após mais de 400 anos de presença portuguesa nesta região de África. De acordo com alguns historiadores da Revolução, o golpe de Estado militar em Portugal foi, em parte, causado pelos protestos face ao comportamento das tropas portuguesas em relação à população moçambicana. No entanto, o crescente aumento da influência comunista sobre os militares portugueses revoltosos que lideraram o golpe militar em Lisboa, e, por outro lado, a pressão internacional sobre a condução da Guerra Colonial Portuguesa em geral, foram as principais causas para o resultado final.
     
(...)
    
A primeira vítima do conflito terá sido o padre holandês Daniel Boormans, da Missão Católica de Nangololo, em 24 de agosto de 1964 que, alegadamente, foi confundido com o chefe do posto. A FRELIMO, que tinha acabado de entrar em Moçambique vinda da Tanzânia, rapidamente atribuiu este incidente às forças da Manu e da Udenamo, e um mês depois, a 25 de setembro, lançou os primeiros ataques na região de Mueda, marcando, oficialmente, o início do conflito. Nesta data, Alberto Joaquim Chipande, à frente de um grupo de 12 homens, atacou um posto administrativo na localidade de Chai, matando o chefe do posto e outras seis pessoas, segundo a sua versão. No entanto, segundo outra versão, de tropas portuguesas, ninguém teria sido abatido; apenas as paredes do posto administrativo teriam sido atingidas.
Historicamente, Chipande é considerado como o primeiro a disparar o tiro que deu início ao conflito, embora haja vozes discordantes, mesmo no seio da FRELIMO. Eduardo Nihia, membro do Conselho de Estado e antigo combatente, reclamou igualmente a autoria desse disparo, referindo mesmo que também houve disparos noutras frentes, embora sem sucesso. Chipande reagiu a estas declarações afirmando a sua abertura a novas versões sobre o que realmente acontecera.
       

O Tratado de Paz de Augsburgo foi assinado há 466 anos

Primeira página do documento - Mainz, 1555
  
A Paz de Augsburgo foi um tratado assinado entre o Imperador Carlos V (também, simultaneamente, Rei Carlos I de Espanha, pai do Rei Filipe II de Espanha e I de Portugal) e as forças da Liga de Esmalcalda, em 25 de setembro de 1555, na cidade de Augsburgo, na atual Alemanha.
O resultado da Paz de Augsburgo foi o estabelecimento da tolerância oficial da Igreja Luterana no Sacro Império Romano. De acordo com a política de cuius regio, eius religio, a religião (católica ou luterana) do príncipe (eleitor) da região seria aquela a que os súbditos desse príncipe se deveriam converter. Foi concedido um período de transição, no qual os súbditos poderiam escolher se não preferiam mudar-se com família e haveres para uma região governada por um príncipe da religião de sua escolha (Artigo 24: "No caso de os nossos súbditos, quer pertencentes à velha religião ou à confissão de Augsburgo, pretendam deixar suas casas com as suas mulheres e crianças, por forma a assentar noutra, eles não serão impedidos na venda do seu imobiliário, desde que pagas as devidas taxas, nem magoados na sua honra").
Apesar de a Paz de Augsburgo ter sido moderadamente bem sucedida em aliviar a tensão no império e ter aumentado a tolerância, ela deixou coisas importantes por fazer. Nem os anabaptistas nem os calvinistas ficaram protegidos sob esta paz: muitos grupos protestantes vivendo sob o domínio de um príncipe Luterano ainda se encontravam em perigo de acusação de heresia. (Artigo 7: "No entanto, todas as religiões que não aquelas duas mencionadas acima não serão incluídas na presente paz, e estão totalmente excluídas dela.") A tolerância não foi oficialmente estendida aos calvinistas antes do Tratado de Vestfália em 1648.
As divisões religiosas criadas pela Paz de Augsburgo deixaram a região politicamente fragmentada até bem depois de outras nações-estados se terem unido (Inglaterra, França, Áustria-Hungria, etc), desta forma enfraquecendo a Alemanha como potência mundial até ao final do século XIX (apenas em 1871).
Alguns historiadores acham que foi por causa deste atraso na unificação que se verificou um extremo nacionalismo alemão nos séculos XIX e XX, o que levou indirectamente à Primeira Guerra Mundial e Segunda Guerra Mundial.
   

John Bonham, o baterista dos Led Zeppelin, morreu há 41 anos...

 

    
John Henry Bonham (Redditch, 31 de maio de 1948 - Clewer, 25 de setembro de 1980) foi um baterista, inglês membro da banda de rock, heavy metal e hard rock Led Zeppelin, grupo de sucesso formado em 1968 pelo guitarrista Jimmy Page, juntamente com o vocalista Robert Plant e o baixista e teclista John Paul Jones. Bonham era considerado pela sua velocidade, potência e rapidez do seu pé direito, os sons característicos e seu "feeling" quando executava grooves. Ele é amplamente considerado o maior baterista da história do rock. Mais de 30 anos após a sua morte, Bonham continua a angariar prémios e elogios, incluindo uma lista dos leitores da Rolling Stone em 2011 e Gibson colocando-o em primeiro lugar da lista, como "o melhor baterista de todos os tempos".

O símbolo de Bonham, no álbum Led Zeppelin IV
      
 
Morte
Bonham não gostava de se ausentar de casa e da família por longos períodos de tempo; isto levou-o ao uso abusivo do álcool para controlar os seus nervos. Em 24 de setembro de 1980, na viagem do hotel para o estúdio onde a banda ensaiava para a sua digressão pelos Estados Unidos, Bonham bebeu cerca de quarenta shots de vodka.
Quando terminou o ensaio foram para a casa de Jimmy Page em Windsor. Depois da meia noite, Bonham adormeceu e foi levado para a cama. 
Apesar do alarido feito pela imprensa sensacionalista, a autópsia não revelou a presença de drogas no seu corpo. Foi diagnosticado de que Bonham morreu asfixiado pelo próprio vómito.
     
Lápide em memória de John Henry Bonhan, com seus restos mortais
   

  


Dee Dee Warwick nasceu há 79 anos

   
Delia Mae "Dee Dee" Warwick (Newark, 25 de setembro de 1942 - Condado de Essex, 18 de outubro de 2008) foi uma cantora de soul norte-americana. Era irmã de Dionne Warwick, sobrinha de Cissy Houston e prima de Whitney Houston.
   

 


Zucchero - 66 anos

   
Zucchero, nome artístico de Adelmo Fornaciari (Reggio Emilia, 25 de setembro de 1955), é um cantor italiano.
      
     

 


sexta-feira, setembro 24, 2021

Shaka Zulu morreu há 193 anos

 

 

Shaka kaSenzangakhona (c. July 1787 – 24 September 1828), also known as Shaka Zulu and Sigidi kaSenzangakhona, was the founder of the Zulu Kingdom from 1816 to 1828. He was one of the most influential monarchs of the Zulu, responsible for re-organizing the military into a formidable force via a series of wide-reaching and influential reforms. 

 

in Wikipédia

Jim Henson, o criador dos Marretas e da Rua Sésamo, nasceu há 85 anos

     
James Maury "Jim" Henson (Greenville, Mississippi, 24 de setembro de 1936Nova Iorque, 16 de maio de 1990) foi o criador e manipulador dos bonecos Muppets (Os Marretas).
Jim começou a sua carreira de manipulador de bonecos quando lançou, com a sua futura noiva e colaboradora, Jane Nebel Henson, o programa infanto-juvenil apresentado por bonecos chamado Sam e Seus Amigos, no qual apareceu, pela 1ª vez, o mais famoso dos personagens de Jim Henson, o sapo Kermit, chamado em Portugal de Cocas, o Sapo. Além de Kermit, também tinha o Sam, Harry, Yorick etc. O programa foi produzido pela WRC-TV NBC 4 e permaneceu no ar até 1961.
Depois do sucesso de Sam e Seus Amigos, Jim Henson criou a sua própria empresa de criação de bonecos, chamada Muppets, Inc., depois chamada de Henson Associates, Inc.; Jim Henson Productions; e, atualmente, The Jim Henson Company. Os personagens Muppets participaram de alguns programas de auditório americanos famosos, entre eles, o Jimmy Dean Show (a 1ª aparição de Rowlf, um adorável cão que toca piano, ukelele e harmónica, e tem um grande sentido de humor) e o Ed Sullivan Show, sendo lançado nos EUA, inclusive, um DVD com 20 das 25 aparições dos Marretas neste último.
Em 1968, a Sesame Workshop, de Joan Ganz Gooney, em parceria com a Muppets, Inc., criou e produziu um programa infanto-juvenil educativo chamado Sesame Street que fez tanto sucesso que passou a ser adaptado em outros países, inclusive o Brasil (co-produzido pela TV Cultura e pela TV Globo de 1973 a 1977, com nova versão produzida pela TV Cultura a partir de 2007), o México (produzido pela Televisa de 1973 até hoje) e Portugal. O protagonista é um Muppet de corpo inteiro chamado Big Bird (Garibaldo no Brasil e Poupas Amarelo em Portugal).
Em 1976, a Muppets, Inc., agora com o nome de Henson Associates, Inc., formou parceria com a ATV/ITC Entertainment de Lord Lew Grade, para produzir o show de maior sucesso dos Muppets: The Muppet Show, apelidado em Portugal de Os Marretas, no qual os personagens Caco, Fozzie, Gonzo, Rizzo, Miss Piggy e outros, recebiam convidados especiais, tais como Elton John, George Burns, e Madeline Kahn.
Em 1979, foi lançado o 1º longa-metragem dos Muppets, As Aventuras dos Marretas, seguido por The Great Muppet Caper (1981) e The Muppets Take Manhattan (1983).
No mesmo ano, foi construída a sua empresa de criação e confecção de bonecos animatrónicos e cenários, e animação de personagens computadorizados ou de massa de modelar, chamada de Jim Henson's Creature Shop (inicialmente The Muppet Creature Shop), situada em Londres, com filiais em Nova Iorque, Los Angeles e Sydney.
Henson concluiu a sua primeira longa-metragem com criaturas animatrónicas: O Cristal Encantado.
Em 1983, Jim Henson iniciou uma nova série Fraggle Rock, a Rocha Encantada, cuja exibição durou de 1983 a 1987 e ocorreu em vídeo no Brasil. (Foi lançado em DVD pela HIT Entertainment mas não foi confirmada nenhuma data de lançamento deste DVD no Brasil)
Em 1986, juntamente com Lucasfilm, Ltd. (a mesma de Star Wars), Henson lançou Labirinto, a Magia do Tempo.
Em 1990 a Disney juntou-se a Henson pela 1ª vez, com sua série Família Dinossauros. Também foi lançada uma atração nos parques Disney: Muppet-Vision 3-D/4-D.
Ainda em 1990 (precisamente a 16 de maio de 1990), que Jim Henson faleceu, vítima de uma pneumonia. Ele foi cremado e as suas cinzas espalhadas pelo seu rancho em Santa Fe, no estado americano de Novo México
     
      

 


Música adequada à data...

Túpac Amaru foi executado há 449 anos

 
Túpac Amaru (Cusco, 1545 - Cusco, 24 de setembro de 1572) foi o último Inca, que se rebelou em Vilcabamba na época da conquista espanhola.
Filho de Manco Inca (também conhecido como Manco Capac II), foi feito sacerdote e guardião do corpo do seu pai. Túpac Amaru assumiu o título de supa inca, na época em que o Império Inca já havia perdido a sua capital, Cusco, e se resumia apenas à região de Vilcabamba, dezenas de quilómetros a norte de Cusco.

Ascensão
Túpac Amaru assumiu como Inca de Vilcabamba depois que seu meio-irmão, o inca Titu Cusi, morreu em 1570 . Os incas acreditavam que seu meio-irmão tinha sido forçado a admitir missionários agostinianos em Vilcabamba e que os espanhóis o haviam envenenado. Nestes tempos os espanhóis ainda não tinham sido avisados da morte do ex-Inca e tinham enviado como faziam rotineiramente embaixadores para continuar as negociações em curso. Um deles foi o conquistador Atilano de Anaya que, depois de atravessar a ponte de Chuquisaca, foi capturado e executado, juntamente com a sua escolta pelo general inca Curi Paucar. Ao ser informado dessa notícia pelo padre de Amaybamba, o novo vice-rei do Peru, Francisco de Toledo, decidiu submeter pela força o Reino de Vilcabamba, apelando para a justificativa de que os incas tinham quebrado a lei inviolável de todas as nações do mundo: o respeito pelos embaixadores, o vice-rei declarou formalmente a guerra em 14 de abril de 1572.
  
A guerra final com a Espanha
Para liderar a expedição de conquista foi contratado o conquistador Martín Hurtado de Arbieto e como mestre-de-campo foi nomeado Juan Alvarez Maldonado, como tenente-real e secretário Pedro Sarmiento de Gamboa. As tropas sob o seu comando eram compostas de várias peças de artilharia, 250 soldados espanhóis e 2.500 aliados nativos, entre os quais 1.000 Cañaris, inimigos mortais dos Incas rebeldes.   Para a defesa de Vilcabamba, Túpac Amaru tinha cerca de 2.000 soldados dos quais 600 ou 700 eram guerreiros antis (chamados chunchos pelos incas de Cusco), sobre os quais o falecido Titu Cusi dizia aos espanhóis, fingida ou verdadeiramente, que os mesmos ainda praticavam o canibalismo. Entre os seus generais estavam Hualpa Yupanqui, Parinango, Curi Paucar e Coya Topa.
Para atacar a cidadela inca, Hurtado de Arbieto dividiu seu exército em dois grupos, o primeiro, sob o seu comando direto atacaria por Chuquichaca, enquanto a segunda coluna, comandada por Arias de Sotelo, atacaria por Curahuasi. Ocorreram várias escaramuças, mas somente uma única grande batalha que teve lugar em Choquelluca, nas margens do rio Vilcabamba. Os incas atacaram primeiro com muita garra, apesar de parcamente armados, mas os espanhóis e os seus aliados indígenas foram capazes de resistir.  Nesta batalha ocorreu uma luta pessoal e desarmada entre o capitão inca Huallpa e o comandante Garcia de Loyola, quando o comandante espanhol estava em apuros depois ter recebido vários golpes diretos e estar prestes de cair de um barranco, um de seus homens traiçoeiramente disparou nas costas do inca, matando-o e causando um clima de indignação que reacendeu a luta. Durante a batalha, por um momento, os espanhóis estiveram prestes a serem dominados pelos guerreiros incas, mas, de repente, estes abandonaram a luta depois que os seus generais Maras Inga e Parinango foram mortos por projeteis de arcabuzes
No final da batalha os espanhóis capturaram a cidade e o Palácio de Vitcos, ao se aproximarem da cidadela de Tumichaca foram recebidos pelo seu comandante Puma Inga, que se rendeu e disse que a morte do embaixador espanhol Anaya fora responsabilidade de Curi Paucar e outros rebeldes. Em 23 de junho, caiu ante a artilharia espanhola o último foco de resistência Inca, o forte de Huayna Pucará, os nativos tinham-no construído recentemente e era defendido por 500 arqueiros antis. Os restos do exército Inca, agora em retirada, optaram por abandonar Vilcabamba, a sua última cidade e dirigiram-se a selva para reagrupar. Em 24 de junho os espanhóis tomaram posse de Vilcabamba. Nesta ocasião Sarmiento dirigiu as solenidades, levantou o estandarte real, o levou até a praça principal e proclamou:
Eu, o capitão Pedro Sarmiento de Gamboa, tenente-general deste campo, sob mandado do ilustre senhor Martín Hurtado de Arbieto, General, tomo posse desta cidade de Vilcabamba de sua região, províncias e jurisdição.
 
 
A Captura de Túpac Amaru 
Enquanto isso ocorria Túpac Amaru, acompanhado por seus guerreiros, havia deixado Vilcabamba no dia anterior e rumado a oeste, pelas matas das várzeas. O seu séquito, que incluía os seus generais e membros da sua família, foram divididos em pequenos grupos, numa tentativa de evitar que fossem presos todos juntos na perseguição.
Grupos de soldados espanhóis e guerreiros indígenas foram enviados para caçá-los, ocorrendo escaramuças sangrentas com a escolta do Inca. Um dos grupos espanhóis enviados capturou a esposa e filho de Wayna Cusi. Um segundo voltou sem encontrar nada. Um terceiro ao regressar voltou com dois irmãos de Tupac Amaru, outros parentes e os seus generais. Mas o Inca e o seu comandante permaneciam soltos.
A perseguição continuou, um grupo de quarenta soldados escolhidos a dedo saiu atrás de Tupac Amaru e Curi Paucar. O grupo seguiu o Rio Masahuay por 275 quilômetros, onde encontraram um tambo com ouro e pratos. Os espanhóis capturaram um grupo de antis e os forçaram a contar o que tinham visto, e eles relataram que ele tinham visto o Inca rio abaixo num barco. Os espanhóis construíram 20 balsas e continuaram a perseguição.
Ao chegarem às terras Momorí os espanhóis descobriram que Tupac Amaru tinha ancorado e continuou a sua fuga por terra. Eles continuaram com a ajuda de indígenas da região, que mostraram a rota pela qual os incas seguiram e avisaram que Tupac estava seguindo lentamente porque a sua esposa estava prestes a dar à luz. Após uma marcha de cerca de 80 quilómetros os espanhóis viram uma fogueira, por volta das nove horas da noite. Encontraram Tupac Amaru e a sua esposa, aprisionando-os.
Os cativos foram trazidos de volta para as ruínas de Vilcabamba e de lá entraram foram conduzidos para Cusco. Os vencedores também trouxeram os restos mumificados de Manco Capac e Titu Cusi e a estátua de ouro de Punchao, a mais preciosa relíquia da linhagem inca que continha os restos mortais dos corações dos incas falecidos. Estes objetos sagrados foram destruídos de seguida.
  
Execução
Os cinco generais incas capturados foram acusados das mortes de Frei Diego Ortiz, de Pedro Pando e do embaixador Atilano de Anaya, receberam um julgamento sumário em que nada foi dito em sua defesa sendo condenados a serem enforcados por Gabriel de Loarte, magistrado da corte, e então governador da cidade de Cusco. Os generais foram conduzidos pelas ruas até ao local de execução, depois de serem torturados na prisão. Três não aguentaram até chegar ao cadafalso, morrendo no caminho, e tendo o seu corpo colocado ao pé da forca, os dois restantes, Curi Paucar e um índio chamado Huanca, foram pendurados ainda vivos.
Já o julgamento de Tupac Amaru começou dois dias depois. Condenado à decapitação pelo assassinato de sacerdotes em Urcos, dos quais provavelmente era inocente. Muitos clérigos, convencidos dessa inocência, imploraram de joelhos ao vice-rei para que o líder Inca fosse enviado à Espanha, para ser julgado em vez de ser executado. No dia 24 de setembro de 1572, Tupac Amaru foi conduzido pelas ruas de Cusco entre o padre Alonso de Baranza e o padre Molina tendo as suas mãos atadas. Uma multidão aguardava na praça, que era guarnecida por cerca de 400 guardas com lanças. Em frente à catedral, na praça central de Cuzco, uma plataforma havia sido erguida. Tupac Amaru subiu ao cadafalso. Os índios lamentavam a sua sorte. Tupac Amaru levantou calmamente as mãos e o silêncio e a imobilidade caíram sobre a multidão. Tupac falou e implorou para que a multidão nunca amaldiçoasse os seus filhos por um mau comportamento, que os castigassem, mas nunca os amaldiçoasse. Os sacerdotes tinham-no convencido de que a sua morte era o desejo de Deus, pois uma vez tinha irritado a sua mãe e esta o amaldiçoara com uma morte não natural. As suas últimas palavras dos incas foram: Ccollanan Pachacamac ricuy auccacunac yahuarniy hichascancuta. Mãe Terra, testemunha como meus inimigos derramaram meu sangue. Ao proferir essas palavras colocou a cabeça no tronco e o carrasco, um índio Canãri, tomou o cabelo de Tupac numa mão e cortou a cabeça com um único golpe de machete. Ele ergueu a cabeça no ar para a multidão ver. Ao mesmo tempo, os sinos igrejas e mosteiros da cidade tocaram. Uma grande tristeza se abateu em todos os nativos presentes.

Legado
O seu bisneto Tupac Amaru II liderou uma revolta, duzentos anos depois, e o seu nome e a sua história inspiraram o movimento revolucionário Tupamaros.
  

Música adequada à data...

Khomeini nasceu há 119 anos

   
O Aiatolá Sayyid Ruhollah Musavi Khomeini (Khomein, 24 de setembro de 1902 - Teerão, 3 de junho de 1989) foi uma autoridade religiosa xiita iraniana, líder espiritual e político da Revolução Iraniana de 1979 que depôs Mohammad Reza Pahlavi, na altura o xá do Irão. Governou o Irão desde a deposição do xá Reza Pahlavi até à sua morte, em 1989.
Costuma ser referido como Imã Khomeini dentro do Irão e pelos seus seguidores ao redor do mundo, e como Aiatolá Khomeini fora de seu país.
   
Falecimento
Khomeini morreu no hospital, onze dias depois de uma operação feita para tentar parar uma hemorragia interna. Diz-se que uma multidão de mais de um milhão de iranianos reuniu-se à volta do local de enterro, que era suposto não ser conhecido. Encontra-se sepultado no Cemitério Behesht-e Zahra, Teerão, no Irão.
   

Shawn Crahan, o percussionista dos Slipknot, faz hoje 52 anos

    

Michael Shawn Crahan (Des Moines, Iowa, 24 de setembro de 1969) também conhecido como Clown, Kong ou pelo numeral (# 6), é um músico americano conhecido como percussionista e fundador da banda de new metal Slipknot, é também o baterista das bandas To My Surprise e Dirty Little Rabbits.

 


Josué de Castro morreu, de saudade, há 48 anos

 

(imagem daqui)
    
Josué Apolônio de Castro (Recife, 5 de setembro de 1908 - Paris, 24 de setembro de 1973), mais conhecido como Josué de Castro, foi um influente médico, nutrólogo, professor, geógrafo, cientista social, político, escritor, ativista brasileiro que dedicou sua vida ao combate à fome. Destacou-se no cenário brasileiro e internacional, não só pelos seus trabalhos ecológicos sobre o problema da fome no mundo, mas também no plano político em vários organismos internacionais.
Partindo de sua experiência pessoal no Nordeste brasileiro, publicou uma extensa obra que inclui: "Geografia da Fome", "Geopolítica da Fome", "Sete Palmos de Terra e um Caixão" e "Homens e Caranguejos". Exerceu a Presidência do Conselho Executivo da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), e foi também embaixador brasileiro na Organização das Nações Unidas (ONU).
Recebeu da Academia de Ciências Políticas dos Estados Unidos, o Prémio Franklin D. Roosevelt, o Conselho Mundial da Paz lhe ofereceu o Prémio Internacional da Paz e o governo francês condecorou-o, sendo Oficial da Legião de Honra.
Logo após o Golpe de Estado de 1964, teve seus direitos políticos suspensos pela ditadura militar.
   
(...)
   
Em 9 de abril de 1964, com o Golpe Militar, foi destituído do cargo de embaixador-chefe em Genebra e logo depois tem seus direitos políticos suspensos por dez anos, pelo Regime Militar no Brasil (1964–1985) no seu primeiro Ato Institucional Nº 1.
Impedido de voltar ao país, escolheu a França para viver, morando em Paris de 1964 a 1973 onde continuou as suas atividades intelectuais.
Fundou, em 1965, e dirigiu até 1973 o Centro Internacional para o Desenvolvimento, além de ser o Presidente da Associação Médica Internacional para o Estudo das Condições de Vida e Saúde. Depois de um ano de docência, em 1969, o governo francês o designa professor estrangeiro associado ao Centro Universitário Experimental de Vincennes (Universidade de Paris VIII), onde trabalhou até à sua morte.
No exílio, sentiu agudamente a falta do Brasil, a ponto de declarar que "não se morre apenas de enfarte ou de glomerulonefrite crónica, mas também de saudade". Faleceu em Paris, a 24 de setembro de 1973, enquando esperava o passaporte que o traria de volta ao Brasil. O passaporte chegou, porém já era tarde. O seu corpo foi enterrado no cemitério de São João Batista, no Rio de Janeiro.
  

Duarte Lobo morreu há 375 anos...

   
Duarte Lobo (Alcáçovas ou Lisboa, circa 1565 24 de setembro de 1646) foi um compositor português da época do Renascimento tardio e barroco inicial. Foi o mais famoso compositor português da sua época. Em conjunto com Filipe de Magalhães, Manuel Cardoso e o Rei D. João IV, é considerado um dos músicos da "época dourada" da polifonia portuguesa.
Sabe-se pouco da sua vida. Terá nascido em Alcáçovas ou em Lisboa, e sabe-se que foi aluno de Manuel Mendes em Évora. O seu primeiro trabalho terá sido o de mestre de capela da catedral de Évora; em 1594 era mestre de capela em Lisboa. Ensinou música no Colégio do Claustro da Sé em Lisboa, onde se manteve pelo menos até 1639. Mais tarde dirigiu na capital a capela do Seminário de São Bartolomeu. Assinava as suas obras como Eduardus Lupus.
Embora cronologicamente a sua vida se sobreponha à época do Barroco, escreveu, tal como Manuel Cardoso, música essencialmente ao estilo e técnica contrapontística da Renascença, como a da polifonia de Palestrina, tal como se poderia esperar por ter vivido numa zona isolada das inovações musicais de Itália e Alemanha. Publicou seis livros de música sacra, incluindo missas, responsórios, antífonas, magnificats e motetes.
A sua música é altamente atractiva, com força expressiva, tirando partido das características rítmicas e harmónicas do texto latino, em conformidade com as disposições do Concílio de Trento.
Encontram-se dispersos por diversas cidades (Coimbra, Évora, Vila Viçosa, Valladolid, Sevilha, Munique, Londres e Viena) os exemplares de praticamente tudo o que da sua obra foi editado em Antuérpia (Plantin, 1602-1639) e em Lisboa (Craesbeck, 1607).

 


O álbum Nevermind dos Nirvana foi lançado há trinta anos...!

 

Nevermind é o segundo álbum de estúdio da banda grunge norte-americanoNirvana, lançado em 24 de setembro de 1991. Produzido por Butch Vig, foi o primeiro álbum lançado pela DGC Records. O vocalista da banda Kurt Cobain procurou fazer música fora dos limites restritivos da cena grunge de Seattle, tendo influência de grupos como os Pixies e sua dinâmica "calmo/barulhento" nas canções. É o primeiro álbum com o baterista Dave Grohl.

Apesar da baixa expectativa de vendas por parte da banda e da gravadora, Nevermind tornou-se um surpreendente sucesso ao final de 1991, em grande parte devido à popularidade do seu primeiro single, "Smells Like Teen Spirit". Em janeiro de 1992, tirou o álbum Dangerous de Michael Jackson do primeiro lugar das paradas da Billboard 200. Curiosamente, foi lançado no mesmo dia do álbum Blood Sugar Sex Magik da banda de rock Red Hot Chili Peppers. O álbum do Nirvana também gerou outros singles de sucesso como: "Come As You Are", "Lithium" e "In Bloom". A Recording Industry Association of America (RIAA) certificou o álbum com disco de diamante (ao menos 10 milhões de cópias expedidas), o álbum vendeu mais de 35 milhões de cópias no mundo. Nevermind foi o maior responsável por trazer tanto o rock alternativo quanto o grunge para o grande público, e foi classificado entre os maiores álbuns de todos os tempos por revistas como Rolling Stone e Time.


 


O Rei D. Pedro IV (e Imperador D. Pedro I do Brasil) morreu há 187 anos

 

D. Pedro IV na qualidade de rei de Portugal, envergando a Banda das Três Ordens

 

Pedro I (do Brasil) ou Pedro IV (de Portugal) (Queluz, 12 de outubro de 1798 - Queluz, 24 de setembro de 1834), alcunhado o Libertador, foi o fundador e primeiro soberano do Império do Brasil, antes disso já havia sido proclamado ainda em São Paulo, primeiro rei do reino independente, que em seguida se tornaria império no Rio de Janeiro. Como Rei D. Pedro IV, reinou em Portugal, onde também ficou conhecido como o Libertador, o Liberal e o Rei Soldado.
  
(...)
  
Apesar de ter reconquistado o trono português para a sua filha, D. Pedro voltou tuberculoso da campanha e morreu a 24 de setembro de 1834, pouco depois da Convenção de Évoramonte (que selara a vitória da causa liberal, de que se fizera paladino), no palácio de Queluz, no mesmo quarto e na mesma cama onde nascera 35 anos antes. Ao seu lado, na hora da morte, estavam a esposa, a Imperatriz Amélia e a filha, a Rainha D. Maria II.
  
Brasão de D. Pedro I como Imperador do Brasil
      
in Wikipédia

Paul Newman morreu há treze anos...

   
Filho de um bem sucedido comerciante de artigos desportivos, Newman começou a sua carreira participando em peças no colégio e, após sair da marinha americana em 1946, foi estudar no Kenyon College. Após a formatura, ele passou um ano na Yale Drama School, indo depois para Nova Iorque, onde entrou para na famosa escola de formação de artistas, a Actors Studio, dirigida por Lee Strasberg.
  
    
Vida
Depois de sua primeira aparição na Broadway em Picnic (1953), foi-lhe oferecido um contrato pela Warner Bros.. O seu primeiro filme, The Silver Chalice (no Brasil, apelidado de Cálice Sagrado), de 1954, foi quase o seu último: considerou a sua performance muito má e publicou um anúncio, de página inteira, num jornal, pedindo desculpas a quem tivesse visto o filme.
Saiu-se muito melhor na sua segunda tentativa, em Marcado pelo Ódio (1956), onde deu vida ao boxer Rocky Graziano e que foi aclamado pela crítica pela sua grande atuação.
Com Cat on a Hot Tin Roof (Gata em Telhado de Zinco Quente) e The Long Hot Summer (Paixões que Escaldam), cuja atuação lhe deu o prémio de melhor ator no Festival de Cannes, estabelecendo-o como o novo astro de Hollywood no final da década de 50, Paul tornou-se um líder de bilheteiras da década seguinte, estrelando filmes como The Hustler (A Vida é um Jogo, 1961), The Prize (Prémio), 1963), Hud (O mais selvagem entre mil, 1963), Cool Hand Luke (O Presidiário, 1967) e Hombre (1967), fechando os anos 60 com o mega sucesso de crítica e bilheteira mundial Butch Cassidy and the Sundance Kid (Dois Homens e um Destino, 1969), ao lado de Robert Redford.
A dupla trabalharia junta, quatro anos depois, em A Golpada, de George Roy Hill, outro grande sucesso de Newman e vencedor do Óscar de melhor filme de 1973.
Também produziu e dirigiu muitos filmes de qualidade, incluindo Rachel, Rachel (1968), estrelado pela sua esposa Joanne Woodward e com o qual foi premiado com o Globo de Ouro de melhor Diretor. Indicado dez vezes pela Academia como melhor ator, finalmente venceu pela sua atuação em The Color of Money (A Cor do Dinheiro, 1986). Por curiosidade, no ano anterior havia recebido um Óscar especial, pelo conjunto da carreira.
Outros filmes importantes de Paul Newman são: Cat on a Hot Tin Roof (Gata em Telhado de Zinco Quente, 1958), The Long Hot Summer (Paixões que escaldam, 1958), Exodus (1960), Sweet Bird of Youth (Corações na Penumbra), onde refez no cinema o mesmo papel que já havia feito na Broadway (1962), Torn Curtain (Cortina Rasgada, 1966), The Towering Inferno (Torre do Inferno, 1974), Absence of Malice (A Calúnia, 1981) e The Verdict (O Veredicto, 1982).
Fazendo menos filmes na década de 90, dedicando mais tempo à sua fábrica de molhos e condimentos, Newman's Own (com a qual ganhou mais dinheiro do que no cinema, que, porém, dedicou quase todo o lucro à caridade e à sua equipa de corridas de automóveis), Paul reapareceu em grande estilo, já aos 77 anos, em Road to Perdition (Caminho para a Perdição, 2002), trabalhando com Tom Hanks e o futuro James Bond, Daniel Craig, e foi novamente nomeado para o Óscar, desta vez como ator secundário. Em 1995, ganhou o Urso de Prata no Festival de Berlim como melhor ator no filme Nobody's Fool (Vidas Simples).
  
Nomeações para o Óscar
   
Carros e política
Newman também foi conhecido pelo seu apoio a causas políticas liberais nos Estados Unidos. Nos anos 60, esteve bastante envolvido na campanha de candidatos democratas à Presidência. O seu forte apoio a Eugene McCarthy, em 1968, fazendo diversos tempos de antena de televisão a favor do candidato democrata, fez Richard Nixon (o adversário de McCarthy e que acabou sendo eleito Presidente) colocá-lo em 19º lugar numa lista dos seus piores inimigos, o que fez Newman declarar que esta seria uma das maiores honras de sua vida.
A sua paixão pelo automobilismo e pela velocidade foram famosas. Apesar de daltónico, dos anos 70 aos 90 Newman destacou-se como piloto amador, correndo em carros desportivos nos Estados Unidos e na Europa, onde chegou a conseguir um segundo lugar nas 24 Horas de Le Mans com um Porsche 935. Nos anos 80 envolveu-se com a Fórmula Indy, quando se tornou sócio-proprietário da equipa Newman-Haas Racing, equipa vencedora dos quatro últimos títulos da Champ Car. Aos setenta anos, foi o mais velho piloto a vencer uma corrida de prestígio, ao fazer parte da equipa de pilotos do carro que venceu as 24 Horas de Daytona em 1995.
  
Cancro e morte
Newman, ex-fumador inveterado, padeceu muito tempo de cancro do pulmão, de tal maneira que, em maio de 2008, foi afastado da direção de uma versão de Ratos e Homens, baseada no livro de John Steinbeck. A doença havia sido diagnosticada no hospital Sloan-Kettering Cancer Centre, em Nova York.
Em março de 2008, Newman negou boatos de que estaria com cancro, depois de ter faltado a um evento de beneficência da instituição infantil Hole in The Wall Gang, criada por ele. No mesmo mês, ele cancelou uma aparição no talk show The Late Show with David Letterman. O seu porta-voz, Warren Cowan, escondeu a sua hospitalização, insistindo que o ator estava "recebendo tratamento para o pé-de-atleta e queda de cabelo". O jornal New York Post divulgou que um paciente de cancro disse ter visto Newman em março de 2008 num oncologista regularmente.
Em agosto, após encerrar as sessões de quimioterapia contra o cancro, o ator Paul Newman foi informado de que teria poucas semanas de vida, pelo que pediu aos médicos e aos seus familiares para deixar o hospital e ser levado para a sua casa, em Westport, no estado americano de Connecticut, onde morreu, a 26 de setembro de 2008, rodeado dos seus familiares e amigos, incluindo a sua esposa, Joanne Woodward, com esteve casado 50 anos e os seus três filhos. O seu corpo foi cremado, após um serviço fúnebre privado, perto da sua casa, em Westport.
    

Linda McCartney nasceu há oitenta anos...


Linda McCartney (Nova Iorque, 24 de setembro de 1941 - Tucson, 17 de abril de 1998), Lady McCartney, batizada com o nome de Linda Louise Eastman foi uma fotógrafa dos Estados Unidos, da editora Rolling Stone Magazine, música e ativista dedicada a divulgar abusos contra os animais. Tornou-se famosa mundialmente ao casar-se com Paul McCartney, em 12 de março de 1969, na ocasião, o baixista do lendário grupo de rock inglês The Beatles.