sexta-feira, fevereiro 24, 2017

El-Rei D. José I morreu há 240 anos

D. José I de Portugal (nome completo: José Francisco António Inácio Norberto Agostinho de Bragança; Lisboa, 6 de junho de 1714 - Sintra, 24 de fevereiro de 1777), cognominado O Reformador devido às reformas que empreendeu durante o seu reinado, foi Rei de Portugal da Dinastia de Bragança desde 1750 até à sua morte. Casou, em 1729, com Mariana Vitória de Bourbon, infanta de Espanha.

Sucedeu-lhe a filha, a futura Rainha D.ª Maria I de Portugal (Maria Francisca Isabel Josefa Antónia Gertrudes Rita Joana de Bragança; Lisboa, 17 de dezembro de 1734 - Rio de Janeiro, 20 de março de 1816) que, antes de assumir o trono, foi Princesa do Brasil, Princesa da Beira e duquesa de Bragança. A continuidade dinástica da Casa de Bragança ficou assegurada com o seu casamento com o irmão do Rei e tio da princesa, o futuro Rei D. Pedro III de Portugal. O casamento foi realizado no Palácio de Nossa Senhora da Ajuda, em Lisboa, a 6 de julho de 1760. Dado o casal já ter filhos quando Maria ascendeu ao trono, passou a ser o rei Pedro III, sendo ainda o 19.º duque de Bragança, 16º duque de Guimarães e 14.º duque de Barcelos, 12.º marquês de Vila Viçosa, 20º conde de Barcelos, 16.º conde de Guimarães, de Ourém, de Faria, e de Neiva, 22.º conde de Arraiolos. Tiveram quatro filhos e três filhas.
El-Rei D. José I jaz no Panteão dos Braganças, no mosteiro de São Vicente de Fora, em Lisboa.
 

O vencedor da batalha de Lepanto nasceu há 470 anos

D. João de Áustria (Ratisbona, 24 de fevereiro de 1547 - Bouge, 1 de outubro de 1578) foi um líder militar que esteve a serviço de seu meio-irmão, Filipe II de Espanha. O seu maior feito foi a vitória na Batalha de Lepanto em 1571 contra o Império Otomano. Era conhecido em castelhano como Juan de Áustria e em alemão como Johann von Österreich.

João era filho ilegítimo do imperador Carlos V. Foi governador e capitão-geral das forças espanholas na Flandres duranter dois anos. Morto de peste ou tifo, seu corpo foi levado para Espanha, e repousa no Panteão de Infantes do Palácio do Escorial.

Brasão de D. João de Áustria

quinta-feira, fevereiro 23, 2017

Hoje somos todos Filhos da Madrugada...



Filhos da madrugada - Zeca Afonso

Somos filhos da madrugada
Pelas praias do mar nos vamos
À procura de quem nos traga
Verde oliva de flor nos ramos
Navegamos de vaga em vaga
Não soubemos de dor nem mágoa
Pelas praia do mar nos vamos
À procura da manhã clara

Lá do cimo de uma montanha
Acendemos uma fogueira
Para não se apagar a chama
Que dá vida na noite inteira
Mensageira pomba chamada
Companheira da madrugada
Quando a noite vier que venha
Lá do cimo de uma montanha

Onde o vento cortou amarras
Largaremos p'la noite fora
Onde há sempre uma boa estrela
Noite e dia ao romper da aurora
Vira a proa minha galera
Que a vitória já não espera
Fresca, brisa, moira encantada
Vira a proa da minha barca.

Música adequada à data...



O músico brasileiro Bezerra da Silva nasceu há 90 anos

José Bezerra da Silva (Recife, 23 de fevereiro de 1927Rio de Janeiro, 17 de janeiro de 2005) foi um cantor, compositor, guitarrista, percussionista e intérprete brasileiro dos géneros musical coco e samba, em especial de partido-alto.

No princípio, dedicava-se a géneros nordestinos, principalmente o coco até se transformar em um dos principais expoentes do samba nos anos seguintes. Através do samba, cantou sobre os problemas sociais encontrados dentro das comunidades, se apresentando no limite da marginalidade e da indústria musical. Estudou viola clássica oito anos e passou outros oito anos tocando na orquestra da Rede Globo, sendo um dos poucos partideiros que lia partituras.

Gravou o seu primeiro compacto em 1969 e o primeiro disco em 1975, de um total de 28 álbuns lançados em toda a carreira que, somados, venderam mais de 3 milhões de cópias. Ganhou 11 discos de ouro, 3 de platina e 1 de platina duplo. Apesar de ter sido um dos artistas mais populares do Brasil, foi um artista bastante ignorado pelo "mainstream".


Fernanda Seno nasceu há 75 anos


Fernanda Seno Cardeira Alves Valente (Canha, 23 de fevereiro de 1942 - Lisboa, 19 de maio de 1996) foi uma poetisa, escritora, jornalista e professora portuguesa.
Fernanda Seno concluiu o ensino secundário em Évora e licenciou-se em Filologia Germânica na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Abraçou a carreira do ensino com passagens em escolas de Almada, Reguengos de Monsaraz e Évora.
Como jornalista Fernanda Seno foi colaboradora da imprensa regional e local, contribuindo para os jornais "Mouranense", "Palavra", e "A Defesa". Foi chefe de redação no "Jornal de S. Brás" e redatora principal do Boletim "Igreja Eborense". Colaborou ainda - entre outros - na revista "Ao Largo" (Lisboa).
Em 1998 a Câmara Municipal de Évora homenageou-a, atribuindo o nome da poetisa Fernanda Seno a uma rua do Bairro da Horta das Figueiras - a Rua Fernanda Seno.

OBRAS
  • As Palavras Às Vezes (1984)
  • Trilho de Pó (1991)
  • Cântico Vertical (1992)
  • Na Fronteira da Luz (1997 - póstumo)
Perenidade

Mesmo depois do Tempo
ficaremos no coração aberto dos
que amamos.

E no grande silêncio que restar,
na ausência dos gestos e do olhar
ainda assim estaremos
e seremos.

Mesmo depois do Tempo
quando formos lembrança evanescente,
seremos outra forma de presença
porque o Amor subsiste
Eternamente.


Fernanda Seno

Traz outro amigo também...


Joshua Reynolds morreu há 225 anos

Auto-retrato, 1776

Joshua Reynolds (Plymouth, 16 de julho de 1723 – Londres23 de fevereiro de 1792) foi um pintor inglês retratista. Reynolds foi um dos principais retratistas do século XVIII. A sua técnica e habilidade influenciaram as gerações futuras de pintores retratistas. A suas pinturas invocavam os valores morais clássicos e o seu estilo retratava muito as cores em fortes pinceladas e costumava pintar retratos de mulheres e crianças. Deixou a sua marca em pinturas ricas que exibiam o luxo. Foi o primeiro presidente da Academia Real Inglesa, preocupando-se em divulgar a arte através dos seus trabalhos e textos aos estudantes e membros da academia britânica.

Morreu em 1792, em Londres, e foi sepultado na Catedral de São Paulo.



Zeca Afonso morreu há 30 anos...

(imagem daqui)

José Afonso morreu no dia 23 de fevereiro de 1987, no Hospital de Setúbal, às 03.00 horas da madrugada, vítima de esclerose lateral amiotrófica, diagnosticada em 1982. O funeral realizou-se no dia seguinte, com mais de 30 mil pessoas, da Escola Secundária de S. Julião para o cemitério da Senhora da Piedade, em Setúbal, onde a urna foi depositada às 17.30 horas, na sepultura 1606 do quadro 19. O funeral demorou duas horas a percorrer 1.300 metros.

quarta-feira, fevereiro 22, 2017

Andy Warhol morreu há 30 anos

Andy Warhol, nascido Andrej Varhola, Jr. (Pittsburgh, 6 de agosto de 1928 - Nova Iorque, 22 de fevereiro de 1987), foi um empresário, pintor e cineasta norte-americano, bem como uma figura maior do movimento de pop art.

Andy Warhol nasceu em Pittsburgh, Pensilvânia. Era o quarto filho de Andrej Varhola e Julia Zavacká (1892–1972), cujo primeiro filho nasceu na sua terra natal e morreu antes da sua migração para os Estados Unidos. Os seus pais eram imigrantes da classe operária, originários de Mikó (hoje chamada Miková), no nordeste da Eslováquia, então parte do Império Austro-Húngaro. O pai de Warhol emigrou para os E.U.A em 1914 e a sua mãe juntou-se a ele em 1921, após a morte dos avós de Andy Warhol. O seu pai trabalhou em uma mina de carvão. A família vivia na Rua Beelen 55, e mais tarde na Rua Dawson 3252, em Oakland, um bairro de Pittsburgh. A família era católica bizantina rutena e frequentava a igreja católica bizantina de São João Crisóstomo em Pittsburgh. Andy Warhol tinha dois irmãos mais velhos, Ján e Pavol, que nasceram na atual Eslováquia. O filho de Pavol, James Warhola, tornou-se um bem sucedido ilustrador de livros para crianças.
Nos primeiros anos de estudo, Warhol teve coreia, uma doença do sistema nervoso que provoca movimentos involuntários das extremidades, que se acredita ser uma complicação da escarlatina e causa manchas de pigmentação na pele. Ele tornou-se um hipocondríaco, desenvolvendo um medo de hospitais e médicos. Muitas vezes de cama enquando criança, tornou-se um excluído entre os seus colegas de escola, ligando-se fortemente à sua mãe. Às vezes quando estava confinado à cama, desenhava, ouvia rádio e colecionava imagens de estrelas de cinema ao redor de sua cama. Warhol depois descreveu esse período como muito importante no desenvolvimento da sua personalidade, do conjunto de suas habilidades e de suas preferências.
Aos 17 anos, em 1945, entrou no Instituto de Tecnologia de Carnegie, em Pittsburgh, hoje Universidade Carnegie Mellon e formou-se em design.
Logo após mudou para Nova York e começou a trabalhar como ilustrador de importantes revistas, como Vogue, Harper's Bazaar e The New Yorker, além de fazer anúncios publicitários e displays para vitrines de lojas. Começa aí uma carreira de sucesso como artista gráfico ganhando diversos prémios como diretor de arte do Art Director's Club e do The American Institute of Graphic Arts.
Fez a sua primeira mostra individual em 1952, na Hugo Galley onde exibe quinze desenhos baseados na obra de Truman Capote. Esta série de trabalhos é mostrada em diversos lugares durante os anos 50, incluindo o MOMA, Museu de Arte Moderna, em 1956. Passa a assinar Warhol.
Os anos 1960 marcam uma guinada na sua carreira de artista plástico e passa a utilizar motivos e conceitos da publicidade nas suas obras, com o uso de cores fortes e brilhantes e tintas acrílicas. Reinventa a pop art com a reprodução mecânica e seus múltiplos serigráficos são temas do quotidiano e artigos de consumo, como as reproduções das latas de sopas Campbell e a garrafa de Coca-Cola, além de rostos de figuras conhecidas como Marilyn Monroe, Liz Taylor, Michael Jackson, Elvis Presley, Pelé, Che Guevara, Brigitte Bardot e símbolos icónicos da história da arte, como Mona Lisa. Estes temas eram reproduzidos em série com variações de cores.
Além das serigrafias Warhol também se utilizava de outras técnicas, como a colagem e o uso de materiais descartáveis, não usuais em obras de arte.
Em 1968, Valerie Solanas, fundadora e único membro da SCUM (Society for Cutting Up Men - Sociedade para Eliminar os Homens) invade o estúdio de Warhol e fere-o com três tiros, mas o ataque não é fatal e Warhol recupera, depois de se submeter a uma cirurgia que durou cinco horas. Este facto é tema do filme I shot Andy Warhol (Eu atirei em Andy Warhol), dirigido por Mary Harron, em 1996.
Em 1987, ele foi operado na vesícula biliar. A operação correu bem mas Andy Warhol morreu no dia seguinte. Ele era célebre há 35 anos. De facto, a sua conhecida frase: In the future everyone will be famous for fifteen minutes (No futuro todos serão famosos durante quinze minutos), só se aplicará no futuro, quando a produção cultural for totalmente massificada e em que a arte será distribuída por meios de produção de massa.

Campbell's Soup I (1968)

O Mundo soube, há vinte anos, da existência da ovelha Dolly

O corpo da ovelha Dolly embalsamado, no Museu Real da Escócia, em Edimburgo

A ovelha Dolly (5 de julho de 1996 - 14 de fevereiro de 2003) foi o primeiro mamífero a ser clonado com sucesso a partir de uma célula adulta.
Os cientistas tornaram pública a experiência somente em 22 de fevereiro de 1997, quando Dolly já estava com sete meses de vida.
Dolly foi criada por investigadores do Instituto Roslin, na Escócia, onde viveu toda a sua vida. Os créditos pela clonagem foram dados a Ian Wilmut, mas este admitiu, em 2006, que Keith Campbell seria na verdade o maior responsável pela clonagem.
O nome Dolly é uma referência ao nome da atriz Dolly Parton. Dolly foi clonada a partir das células da glândula mamária de uma ovelha adulta com cerca de seis anos, através de uma técnica conhecida como transferência somática de núcleo.
Apesar das suas origens, Dolly teve uma vida comum de ovelha e deu à luz dois cordeiros, sendo cuidadosamente observada em todas as fases. Em 1999 foi divulgado na revista Nature que Dolly poderia tender a desenvolver formas de envelhecimento precoce, uma vez que os seus telómeros eram mais curtos que os das ovelhas normais. Esta questão iniciou uma acesa disputa na comunidade científica sobre a influência da clonagem nos processos de envelhecimento, que está ainda hoje por resolver.
Em 2002 foi anunciado que Dolly sofria de um tipo de doença pulmonar progressiva, o que foi interpretado por alguns setores como sinal de envelhecimento. Dolly foi abatida em fevereiro de 2003 para evitar uma morte dolorosa, por infecção pulmonar incurável. O seu corpo empalhado está exposto no Museu Real da Escócia, em Edimburgo, Escócia.

Hoje é um dia importante para os Escuteiros - B-P nasceu há 160 anos


Robert Stephenson Smyth Baden-Powell (Londres, 22 de fevereiro de 1857 - Nyeri, 8 de janeiro de 1941) foi um tenente-general do Exército Britânico, fundador do escutismo.
O seu pai era o reverendo Baden Powell, professor catedrático em Oxford, e a sua mãe era filha do almirante inglês W. T. Smyth. O seu bisavô, Joseph Brewer Smyth, tinha ido como colonizador para Nova Jersey (Estados Unidos) mas voltou para a Inglaterra e naufragou na viagem de regresso.
O seu pai morreu quando Robert Baden-Powell tinha apenas 3 anos, deixando a sua mãe com sete filhos, dos quais o mais velho tinha 12 anos e o mais novo apenas 1 mês de vida. Robert viveu uma bela vida ao ar livre com os seus quatro irmãos, passeando e acampando com eles em muitos lugares da Inglaterra.
Em 1870 Baden-Powell (B-P) ingressou na Escola Charterhouse em Londres com uma bolsa de estudos. Não era um estudante que se destacasse especialmente dos outros, mas era um dos mais vivos.
Após a Segunda Guerra Mundial o seu nome foi encontrado no Livro Negro, sendo ele um dos alvos do Terceiro Reich para abater.

Baden Powell recebeu do rei Jorge V a honra de ser elevado a barão, sob o nome de Lord Baden-Powell of Gilwell. Mas, apesar deste título, para todos os escuteiros ele continuou e continuará sempre sendo Baden Powell, o Escuteiro-Chefe-Mundial.
 
Brasão do 1º Barão de Baden-Powell de Gilwell
 
Olave St. Clair Soames (Chesterfield, 22 de fevereiro de 1889 - Surrey, 25 de junho de 1977). O seu pai Harold Soames e a sua mãe Katherine Hill tiveram mais dois filhos, um menino chamado Arthur e uma outra menina chamada Auriol, quando nasceu Olave, puseram-lhe este nome porque esperavam um rapaz que se deveria chamar Olaf.
(...)
Ao atingir a maturidade, Olave achou que a vida da sociedade de sua época era bastante monótona e, por isso, resolveu dedicar-se aos meninos inválidos, que ela recolhia em Bornemouth, onde cuidava deles. Em 1912, quando tinha 23 anos, seu pai que a cada ano viajava ao exterior, convidou-a a acompanha-lo em uma viagem às Índias Ocidentais. Embarcaram no "Arcadian" sem imaginar que seu futuro ia mudar totalmente durante aquela viagem. Neste barco viajava, acompanhado de vários oficiais, Lord Robert Baden-Powell, fundador do Escutismo, que nesta época já ostentava o título de Lord, e gozava de grande popularidade e reputação em muitos países do mundo. Um amigo de seu pai apresentou Olave a Robert. Ele tinha 55 anos naquela época, o que não impediu que entre os dois nascesse um grande amor, já que possuíam as mesmas ideias e aspirações. O curto tempo da viagem, foi suficiente para compreender que haviam nascido um para o outro e seus futuros lhe preparavam uma grande missão.
Quando deixaram a Jamaica, Baden-Powell e Olave estavam noivos e, em outubro do mesmo ano, casaram-se, indo passar a sua lua-de-mel na África, iniciando uma vida em comum que foi enriquecida por três filhos: Peter, que nasceu em 1913, Heather, em 1915 e Betty, em 1917.
 
 

Há 385 anos um livro estilhaçou a teoria geocêntrica

Diálogo sobre os dois principais sistemas do mundo (no original em italiano Dialogo sopra i due massimi sistemi del mondo) é um livro, publicado a 22 de fevereiro de 1632 e escrito por Galileu Galilei. Foi uma obra marcante da Revolução científica. Nele, Galileu utiliza três personagens, Salviati, Simplício e Sagredo, que debatem sobre Mecânica. O Diálogo é uma obra de combate, cujo objetivol era o de fazer rever o édito de 1616 da Inquisição romana que proibia o livro De revolutionibus, de Copérnico. Ao afirmar assim o caráter planetário da Terra, Galileu destrói os fundamentos antropocêntricos da visão tradicionalista cristã que defendia o geocentrismo. E, de facto, será condenado, em 1633, por esta obra, que inaugura a ciência moderna e redesenha o mapa da cultura ocidental, mostrar que a teoria heliocêntrica era verdadeira.

George Washington nasceu há 285 anos

George Washington (Condado de Westmoreland, 22 de fevereiro de 1732Mount Vernon, 14 de dezembro de 1799) foi o primeiro Presidente dos Estados Unidos (1789–1797), o comandante em-chefe do Exército Continental durante a Guerra da Independência dos Estados Unidos, e um dos Pais Fundadores dos Estados Unidos. Presidiu à convenção que elaborou a Constituição, a qual veio substituir os Artigos da Confederação e estabelecer a posição de Presidente.
Washington foi eleito Presidente unanimemente pelos eleitores em 1788 e prestou serviço durante duas legislaturas. Supervisionou a criação de um governo forte e rico que manteve a neutralidade face às guerras na Europa, fez cessar as revoltas e obteve a aceitação entre todos os americanos. O seu estilo de liderança estabeleceu várias características de governação que, desde então, têm sido adoptadas, como a utilização de um sistema de gabinete e de um discurso inaugural. A forma pacífica de transição da sua presidência para a de John Adams estabeleceu também uma tradição que se manteve até ao século XXI. Washington foi celebrado como "Pai da Nação" ainda durante a sua vida.
 

Savimbi, o líder histórico da UNITA, foi assassinado há 15 anos

Jonas Malheiro Savimbi (Munhango, Moxico, 3 de agosto de 1934 - Lucusse, Moxico, 22 de fevereiro de 2002) foi um político e guerrilheiro angolano e líder da UNITA durante mais de trinta anos.
Tendo, em conjunturas diversas, tido o apoio dos governos dos Estados Unidos da América, da República Popular da China, do regime do apartheid da África do Sul, de Israel, de vários líderes africanos (Félix Houphouët-Boigny da Costa do Marfim, Mobutu Sese Seko do Zaire, do rei Hassan II de Marrocos e Kenneth Kaunda da Zâmbia) e mercenários de Portugal, Israel, África do Sul e França, Savimbi passou grande parte de sua vida a lutar primeiro contra a ocupação colonial portuguesa e, depois da independência de Angola, contra o governo Angolano que era apoiado, em termos militares e outros, pela então União Soviética, por Cuba e pela Nicarágua sandinista.
 
Nascimento e estudos
Savimbi nasceu a 3 de agosto de 1934, em Munhango, uma pequena localidade na província Moxico, de pais originários de Chilesso, na província Bié, pertencentes ao grupo Bieno da etnia Ovimbundu. O pai de Savimbi era funcionário do Caminho de Ferro de Benguela e também pastor da Igreja Evangélica Congregacional em Angola (IECA). Jonas Savimbi passou a sua juventude em Chilesso, onde frequentou o ensino primário e parte do ensino secundário em escolas da IECA. Como naquele tempo os diplomas das escolas protestantes não eram reconhecidos, repetiu a parte secundária no Huambo, numa escola católica mantida pela ordem dos Maristas. A seguir ganhou uma bolsa de estudos providenciada pela IECA nos Estados Unidos da América para concluir o ensino secundário e estudar medicina em Portugal. Em Lisboa concluiu de facto o ensino secundário, com a excepção da matéria "Organização Política Nacional", obrigatória durante o Salazarismo, não chegando por isso a iniciar os estudos universitários. Entretanto tinha tomado contacto com um grupo de estudantes angolanos que, em Lisboa, propagavam em segredo a descolonização e discutiam a fundação de uma organização de luta anticolonial. Perante a ameaça de uma repressão por parte da PIDE, a polícia política do regime, Jonas Savimbi refugiou-se na Suíça, valendo-se de contactos obtidos por intermédio da IECA que, inclusive, lhe conseguiu uma segunda bolsa. Como a Suíça reconheceu os seus estudos secundários como completos, iniciou os estudos em ciências sociais e políticas, em Lausana e Genebra, obtendo provavelmente um diploma nestas matérias. Savimbi aproveitou a sua estadia na Suíça para aperfeiçoar o seu domínio do inglês e do francês, línguas que chegou a falar fluentemente.

Trajectória política

Posicionamento na guerra anticolonial
No início dos anos 1960, Savimbi saiu da Suíça para juntar-se à Guerra de Independência de Angola, entretanto iniciada pela UPA (posteriormente FNLA) e pelo MPLA. Tentando primeiro, sem sucesso, obter uma posição de liderança no MPLA, ingressou a seguir na FNLA que operava a partir de Kinshasa e onde passou a fazer parte da direcção. Como a FNLA beneficiava na altura do apoio da China, Savimbi teve naquele país uma formação militar adaptada a condições de guerrilha. Logo a seguir saiu da FNLA para formar o seu próprio movimento, a UNITA. Este teve desde o início como principal base social os Ovimbundu, a etnia de origem de Savimbi, e a mais numerosa de Angola, em contraste com a FNLA, enraizada entre os Bakongo, e o MPLA cuja base original eram os Ambundu bem como boa parte dos "mestiços" e uma minoria da população portuguesa local, oposta ao regime colonial.
A UNITA desenvolveu entre 1966 e 1974 acções relativamente limitadas no Leste de Angola, mas em contrapartida conseguiu uma significativa penetração política clandestina entre os Ovimbundu, contando para o efeito com o apoio de boa parte dos catequistas da IECA.

Papel no processo de descolonização
Na sequência da Revolução dos Cravos que derrubou a ditadura de Salazar, Portugal anunciou, em abril de 1974, a sua intenção de abdicar das suas colónias. Em Angola, os três movimentos anticoloniais iniciaram de imediato entre eles uma luta pela conquista do poder. Embora a UNITA fosse à partida o movimento mais fraco, Jonas Savimbi decidiu lançar-se na corrida, confiando na sua base social e nos seus apoios externos.
Numa fase inicial, as forças da FNLA e da UNITA, apoiadas principalmente pelo Zaire e pela África do Sul, obtiveram uma clara vantagem sobre o MPLA que teve apenas um certo apoio da parte de militares portugueses "reconvertidos". A situação mudou radicalmente quando Cuba decidiu intervir militarmente a favor do MPLA, com o suporte logístico da União Soviética. Na data marcada para a independência, a 11 de novembro de 1975, o MPLA dominava a capital e a parte setentrional de Angola, declarou a independência em Luanda sendo imediatamente reconhecido a nível internacional.
Face a esta constelação, Jonas Savimbi fez uma aliança com a FNLA; juntos, os dois movimentos declararam, na mesma data, a independência de Angola no Huambo e formaram um governo alternativo com sede nesta cidade. Porém, as forças conjuntas do MPLA e de Cuba conquistaram rapidamente a parte maior da metade austral de Angola. O governo FNLA/UNITA, que não havia sido reconhecido por nenhum país, dissolveu-se rapidamente. A FNLA retirou-se por completo do território angolano e desistiu de qualquer oposição armada contra o MPLA. Em contrapartida, Jonas Savimbi decidiu não abandonar a luta e, a partir de bases no Leste e Sudeste de Angola, começou de imediato uma guerra de guerrilha contra do governo do MPLA - desencadeando assim uma guerra civil que só terminaria com a sua morte.

Protagonista da Guerra Civil
Em 1992, aquando das primeiras eleições em Angola, Savimbi participou sendo o seu partido, a UNITA, derrotado nas eleições legislativas. Ao não aceitar o resultado das mesmas, optou novamente pelo caminho da guerra, perpetuando a guerra civil. Quanto à eleição presidencial, a segunda volta não se realizou devido ao recomeço do conflito armado.
Em 1994, a UNITA assinou os acordos de paz de Lusaca, depois de meses de negociações, e aceitou desmobilizar as suas forças, com o objectivo de conseguir a reconciliação nacional. O processo de paz prolongou-se durante quatro anos, marcado por acusações e adiamentos. Nesse período, muitos membros da UNITA deslocaram-se para Luanda e integraram o Governo de Unidade Nacional, no entanto, dissidências internas separaram o braço armado do braço politico, surgindo dessa forma a UNITA renovada, pois Jonas Savimbi não se sentia representado pelos representantes do movimento em Luanda, rompendo os acordos de paz e regressando, novamente, aos caminhos da guerra civil.
Morreu a 22 de fevereiro de 2002, perto de Lucusse, na província do Moxico, após uma longa perseguição efectuada pelas Forças Armadas Angolanas.

terça-feira, fevereiro 21, 2017

O record de golos por jogo no Campeonato Nacional de Futebol foi estabelecido há 75 anos

Foi há 75 anos que Peyroteo marcou nove golos pelo Sporting 

Jogo com o Leça acabou com o resultado inédito de 14-0.


Peyroteo foi o melhor marcador de sempre do Sporting

Nove golos de Fernando Peyroteo e uma vitória do Sporting sobre o Leça por 14-0 conjugaram-se numa tarde de futebol de há 75 anos e ainda hoje são recordes na primeira divisão portuguesa. A 22 de fevereiro de 1942, um domingo, os 'leões' receberam os leceiros no antigo Campo do Lumiar, na sexta jornada do campeonato da primeira divisão, e estabeleceram uma marca inigualada que cumpre três quartos de século na quarta-feira. Para este desfecho muito contribuíram os nove tentos anotados por Peyroteo. Nessa tarde, aquele que é um dos maiores nomes da história do Sporting, e que tinha então 24 anos, tornou-se o futebolista a marcar mais golos num só jogo. "O Sporting marcou pela medida grande", titulava no dia seguinte o jornal desportivo Os Sports, dando especial destaque ao volumoso resultado dos 'verdes e brancos', mas também ao feito do internacional luso: "Dos 14 'goals' sofridos pelo Leça, 9 pertenceram a Peyroteo". À entrada para sexta ronda, até então a mais profícua em golos na prova, o Sporting dividia a liderança com Benfica, Académica e Barreirense, enquanto o Leça era sétimo, com os mesmos pontos do FC Porto. O conjunto 'leonino', comandado pelo húngaro Joseph Szabo, fez alinhar Azevedo, Araújo, Cardoso, Paciência, Daniel, Marques, Mourão, Soeiro, Peyroteo, Canário e Cruz, enquanto a formação de Leça da Palmeira entrou em campo com Jaguaré, Godinho, Valdemar, Juca, Elísio, Lino, Chelas, Nini, Lúcio, Quecas e Joaquim. Num campo "em mau estado", com "água e lama", devido à "chuva que caiu quase sempre", segundo escreveu o jornalista Alberto Freitas na crónica do Os Sports, os 'leões' deram poucas hipóteses e, aos 10 minutos, já venciam por 3-0, com um golo de Soeiro e dois de Peyroteo. Os mesmos jogadores voltariam a fazer o 'gosto ao pé' no primeiro tempo, levando os sportinguistas com seis golos à maior para o intervalo, ainda que a vantagem pudesse ter sido mais dilatada, não houvesse um "'goal' de Peyroteo recusado pelo árbitro e uma avançada de João Cruz em que um leceiro incorreu em 'penalty', mas sem sofrer castigo". Para a etapa complementar estavam reservados mais oito golos, cinco dos quais da autoria de Peyroteo. O avançado marcou aos 47, 49 e 65 minutos, antes de Daniel, aos 65, alcançar a dezena de tentos para o Sporting. Canário, Peyroteo e Cardoso continuaram a dar expressão ao marcador, sendo que, no último minuto, o melhor marcador da história do Sporting (526 golos em 325 encontros) apontou o nono da conta pessoal e fechou as contas de um jogo que ficou para a história do futebol nacional. "Uma partida em que uma das equipas acaba vencedora com catorze tentos tem pouca história. O resultado encerra tudo. Não há palavras que digam melhor o que foi o desafio", escreveu Alberto Freitas.

Os cinco violinos do Sporting: Jesus Correia, Vasques, Peyroteo, Travaços e Albano

in CM - ler notícia

A única filha de El-Rei D. João I nasceu há 620 anos

Isabel de Portugal (Évora, 21 de fevereiro de 1397 - Dijon, 17 de dezembro de 1471) foi uma princesa portuguesa da dinastia de Avis, única filha do rei João I de Portugal e de sua mulher, Filipa de Lencastre.

Isabel nasceu em Évora e passou a sua juventude na corte em Lisboa.
Em 1430, casou-se com Filipe III, Duque da Borgonha, com quem teve 3 filhos: António e José (que faleceram durante a infância) e Carlos, o Temerário. Isabel foi sua terceira e última esposa, pois antes fora casado com Micaela de Valois, princesa de frança, e Bona de Artois.
Isabel era uma mulher muito refinada e inteligente, que gostava de se rodear de artistas e poetas, e foi uma mecenas das artes. Também na política exerceu a sua influência sobre o filho e, em especial, sobre o marido, que representou em várias missões diplomáticas.
Por sua influência que os Açores se tornaram residência de inúmeras pessoas de origem flamenga.
Faleceu em Dijon, na Borgonha, em 1471.

 Isabel e Filipe

Há 45 anos o Presidente dos Estados Unidos iniciou uma visita histórica à China

U.S. President Richard Nixon's 1972 visit to the People's Republic of China was an important step in formally normalizing relations between the United States and China. It marked the first time a U.S. president had visited the PRC, which at that time considered the U.S. one of its foes, and the visit ended 25 years of separation between the two sides.
Before even being elected president, Nixon had talked of the need for better relations with the PRC, with which the U.S. did not maintain diplomatic relations as it recognized the government of the Republic of China on Taiwan as the government of China. Early in his first term, Nixon and National Security Adviser Henry Kissinger began sending subtle overtures hinting at warmer relations to the PRC government. After a series of these overtures by both countries, Kissinger flew on secret diplomatic missions to Beijing, where he met with Premier Zhou Enlai. On July 15, 1971, the President announced that he would visit the PRC the following year.
Occurring from February 21 to 28, 1972, the visit allowed the American public to view images of China for the first time in over two decades. Throughout the week the President and his most senior advisers engaged in substantive discussions with the PRC, including a meeting with Chairman Mao Zedong, while First Lady Pat Nixon toured schools, factories and hospitals in the city of Beijing, Shanghai and Hangzhou with the large American press corps in tow. Nixon dubbed the visit "the week that changed the world."
The repercussions of the Nixon visit were vast, and included a significant shift in the Cold War balance, putting the PRC with the U.S. against the Soviet Union. "Nixon going to China" has since become a metaphor for an unexpected or uncharacteristic action by a politician.

A sonda Luna 20 chegou à Lua há 45 anos

Luna 20 foi a designação da segunda missão robótica bem sucedida, conduzida pela União Soviética, com o objetivo de pousar na Lua e regressar com uma amostra do solo lunar para a Terra. O foguetão usado nessa missão era do tipo E-8-5.

O foguetão consistia de duas partes interligadas: um de descida e um de subida montada sobre o primeira. Aparte de descida era um cilindro montado sobre um conjunto de tanques esféricos com quatro "pernas", um motor principal e jatos auxiliares para atuar durante a descida diminuindo a velocidade. O estágio de subida, era um cilindro menor com o topo arredondado. Ele carregava um recipiente hermeticamente fechado para a amostra de solo dentro de uma cápsula de reentrada esférica.
A missão 


Local de pouso da Luna 20, fotografado pelo LRO
 
Lançamento
O lançamento da Luna 20, ocorreu a 14 de fevereiro de 1972 as 03:27:59 UTC, através de um foguete Proton-K, a partir da plataforma 81/24 do Cosmódromo de Baikonur que a levou a uma órbita de espera intermediária e em seguida impulsionada em direção à Lua.

Percurso e órbita
Depois de quatro dias e meio de voo em direção à Lua, que incluíram uma única manobra de correção de curso, realizada em 15 de fevereiro, a Luna 20 entrou em órbita circular a 100 km da superfície da Lua com 65° de inclinação, em 18 de fevereiro de 1972. Nessa órbita foram efetuados estudos sobre a gravidade lunar.

Pouso 
Três dias depois de entrar em órbita, em 21 de fevereiro, às 19:13:00 UTC a sonda disparou o seu foguete principal 267 segundos, para iniciar a descida para a superfície lunar. Um segundo disparo diminuiu a velocidade antes que a Luna 20 pousasse com sucesso na Lua, às 19:19:00 UTC de 21 de fevereiro de 1972, a 3°32' de latitude Norte e 56°33' de longitude Leste, numa região montanhosa conhecida como Terra Apollonius (ou serra Apollonius) próxima do Mare Fecunditatis (Mar da Fertilidade), a apenas 1,8 km do local de queda da Luna 18.

Recolha
Alguns minutos depois do pouso a sonda começou a transmitir imagens da superfície lunar. Uma broca automatizada perfurou alguns centímetros do solo lunar recolhendo amostras em seu interior. Em seguida suspendeu o recipiente com as amostras, depositando-o no interior da cápsula de reentrada esférica localizada no módulo de subida, no topo da sonda.

Regresso
Finalmente, depois de pouco menos de 28 horas na superfície lunar, o módulo de subida foi acionado partindo a Lua em direção à Terra, às 22:58:00 UTC de 22 de fevereiro de 1972. Três dias depois, sem necessidade de correção de curso, numa trajetória direta, a cápsula com 55 gramas de amostra de solo lunar reentrou na atmosfera terrestre. O paraquedas foi acionado e a cápsula pousou a 40 km ao Norte da cidade de Dzhezkazgan, no Cazaquistão, às 19:19 UTC de 25 de fevereiro de 1972.

segunda-feira, fevereiro 20, 2017

Kurt Cobain nasceu há 50 anos

Kurt Donald Cobain (Aberdeen, 20 de fevereiro de 1967 - Seattle, 5 de abril de 1994) foi um cantor, compositor e músico estadunidense, mais conhecido como o vocalista e guitarrista da banda de grunge Nirvana.
Com o single "Smells Like Teen Spirit" do segundo álbum do Nirvana, Nevermind (1991), o Nirvana encontrou o sucesso, popularizando um subgénero do rock alternativo chamado grunge. Outras bandas grunge de Seattle, como Alice in Chains, Pearl Jam e Soundgarden ganharam também um vasto público e, como resultado, o rock alternativo tornou-se um género dominante no rádio e na televisão nos Estados Unidos do início à metade da década de 1990. O Nirvana foi considerada a banda "carro-chefe da Geração X", e seu vocalista, Kurt Cobain, viu-se com ungido pelos media como porta-voz da geração, mesmo contra sua vontade. Cobain estava desconfortável com a atenção que recebeu, e colocou seu foco na música da banda, acreditando que a mensagem da banda e sua visão artística tinham sido mal-interpretadas pelo público, desafiando a audiência da banda com o seu terceiro álbum In Utero (1993).
Durante os últimos anos de sua vida, Cobain lutou contra o vício em heroína, doenças, depressão, fama e imagem pública, bem como as pressões ao longo da vida profissional e pessoal em torno a si mesmo e de sua esposa, a cantora Courtney Love. Em 8 de abril de 1994, três dias depois de sua morte, Cobain foi encontrado morto em sua casa em Seattle, vítima do que foi oficialmente considerado um suicídio por um tiro de espingarda na cabeça. As circunstâncias de sua morte, por vezes, tornam-se um tema de fascínio e debate. 
A vida do cantor já foi retratada de várias maneiras e diversas vezes após a sua morte, seja no cinema, em livros ou em documentários televisivos. A primeira delas foi em 1998, com o documentário Kurt & Courtney. Em seguida, em 2005, foi produzido o filme "Últimos Dias", um filme do género drama que narrava, de forma fictícia, os últimos dias de vida de Kurt. O documentário Kurt Cobain - Retrato de uma Ausência, lançado em 2006, continha entrevistas de amigos, parentes e do próprio Cobain. Em 2006, doze anos após a sua morte, a revista Forbes listou as treze celebridades mortas que mais lucraram nos últimos doze meses do respectivo ano. O cantor ficou em primeiro lugar na lista, com ganhos estimados em cinquenta milhões de dólares estadunidenses. Em 2014, no seu primeiro ano elegível, o cantor, juntamente com os seus companheiros de banda Krist Novoselic e Dave Grohl, foi colocado no Rock and Roll Hall of Fame.
 
  

domingo, fevereiro 19, 2017

Música (duplamente) adequada à data...



A lei que criou campos de concentração para nipo-americanos foi assinada há 75 anos

Os campos de concentração nos Estados Unidos alojaram cerca de 120.000 pessoas, na sua maior parte de etnia japonesa, e sendo mais da metade delas cidadãos norte-americanos. Os campos, situados no interior do país, foram desenhados para esse fim e estiveram ocupados de 1942 até 1948.

O objetivo foi deslocá-los da sua residência habitual, maioritariamente na Costa Oeste, para instalações construídas sob medidas extremas de segurança; os campos estavam fechados com arame farpado, e vigiados por guardas armados, e situados em paragens afastadas dos centro populacional. As tentativas de abandono do campo resultaram ocasionalmente no abatimento dos reclusos.

(,,,)

A 19 de fevereiro, Roosevelt assinou a ordem executiva Nº 9066, autorizando o Departamento de Guerra a delimitar áreas militares onde a permanência das pessoas seria decidida pelo Secretário da Guerra, Henry Stimson. Este último aclarou a DeWitt que os descendentes de italianos não deveriam ser molestados, e que somente alguns refugiados alemães deviam ser considerados.


Falco nasceu há 60 anos!

(imagem daqui)

Falco (Viena, 19 de fevereiro de 1957 - Puerto Plata, 6 de fevereiro de 1998) era o nome artístico que o cantor austríaco Johann (Hans) Hölzel usava. 
Estudou no Conservatório de Música de Vienna. Antes de obter sucesso internacional, tocava baixo na banda de hard rock austríaca Drahdiwaberl, onde também tocava bateria, piano, guitarra, violão, além de cantar e tocar baixo. Como artista a solo, Falco interessava-se pelos sons e ritmos da música rap, tornando-se um dos primeiros na Europa a incorporar tal estilo nas músicas pop e rock. Ele é mais conhecido internacionalmente pela canção "Rock Me Amadeus", inspirada pelo filme Amadeus, do seu álbum Falco 3, que se tornou um "hit" mundial em 1986, atingindo o número 1 na lista dos singles mais vendidos nos Estados Unidos da Revista Billboard.
Outros hits conhecidos internacionalmente incluem: "Der Kommissar", do seu álbum de 1982 Einzelhaft, "Vienna Calling", de Falco 3, e "Titanic". Uma versão em inglês de "Der Kommissar" foi feita pela banda After the Fire, que acabou se tornando um hit ao atingir o top 5 da Revista Billboard em 1983. A canção de Falco "Jeanny" causou controvérsia ao ser lançada como um single na Alemanha, já que contava a história de um estuprador. Várias estações de rádios e DJs recusaram a tocar a canção por toda a Europa, mas nem isso a impediu de se tornar um grande "hit" em vários países europeus. Por isso, pode-se considerar que foi um grande artista, um dos melhores da Áustria. Em algumas de suas músicas, misturava inglês e alemão, como "Männer des western" e "crime time"
Falco morreu com várias fraturas na cabeça após o seu carro colidir com um autocarro perto da estância turística de Puerto Plata, na República Dominicana, aos 40 anos de idade. Antes de morrer, ele estava a considerar voltar ao mundo da música. Foi sepultado no Cemitério Central de Viena.