quarta-feira, maio 25, 2022

E viva o Dia do Orgulho Nerd...!


 

(imagens daqui)

 

O Dia do Orgulho Nerd, ou Dia do Orgulho Geek, é uma iniciativa que defende o direito de toda pessoa em ser um nerd ou um geek, e para promover a cultura nerd/geek, comemorada em 25 de maio.

A data foi escolhida para comemorar a première do primeiro filme da série Star Wars, o Episódio IV: Uma Nova Esperança, em 25 de maio de 1977 (não confundir com o Dia de Star Wars), mas divide o mesmo dia com dois outros "feriados" de fãs semelhantes: o Dia da Toalha, para os fãs da "trilogia de cinco" À Boleia Pela Galáxia, em homenagem ao seu escritor Douglas Adams, e o glorioso 25 de maio, para os fãs da série Discworld, em homenagem ao escritor Terry Pratchett.

A iniciativa teve origem na Espanha, em 2006, com o "Dia del Orgullo Friki" e espalhou-se pelo mundo através da Internet

 

in Wikipédia

Saudades de Desmond Dekker...

Ian McKellen faz hoje 83 anos

       
Sir Ian Murray McKellen (Burnley, Lancashire, 25 de maio de 1939) é um atoringlês de teatro e cinema. Tornou-se especialmente conhecido pelo grande público após atuar na trilogia d'O Senhor dos Anéis, X-Men, O Código Da Vinci e n'O Hobbit.
    
Biografia
O ator foi eleito o homossexual mais influente do Reino Unido numa pesquisa publicada pelo jornal The Independent. A lista marcava o final do Europride, um festival anual do orgulho gay que, neste ano, reuniu 40 mil pessoas em duas semanas de eventos.
Ian McKellen assumiu a sua homossexualidade no final da década de 80 (alguns defendem que foi desde a década de 60), e é co-fundador do grupo de Stonewall, que faz campanhas pelos direitos dos homossexuais. Quando lançava O Código Da Vinci no Festival de Cannes, fez piadas quando questionado sobre a polémica do filme com a Igreja Católica: "Sei que a Igreja tem problemas com os gays. Essa é uma boa notícia para eles: Jesus não era gay!", disse.
     

A Batalha de Dunquerque começou há 82 anos

 A evacuação em Dunquerque
    
A Batalha de Dunquerque (em francês: Bataille de Dunkerque) foi uma batalha durante a Segunda Guerra Mundial que durou de 25 de maio a 4 de junho de 1940. Uma enorme força britânica e francesa ficou encurralada por uma divisão Panzer alemã a nordeste da França e entre o canal costeiro de Calais. Mais de 300.000 soldados aliados foram evacuados por via marítima.
   
História
Após a Guerra de Mentira, a Batalha de França começou a 11 de maio de 1940. As divisões alemãs blindadas avançaram rapidamente através da região das Ardenas movendo-se para norte. A leste as forças de infantaria alemãs invadiram e conquistaram os Países Baixos e avançaram rapidamente através da Bélgica, ficando as forças combinadas britânicas, francesas e belgas dividas em Armentières. As forças alemãs moveram-se então para norte para capturar Calais, cercando um grande número de soldados aliados contra a costa na fronteira franco-belga. Tornou-se de imediato claro para os britânicos que a batalha tinha sido perdida e que a pergunta agora era quantos soldados aliados podiam ser removidos num modo relativamente seguro para a Inglaterra antes da sua resistência a ser quebrada.
  
A 22 de maio começaram a preparação para a evacuação, com o nome de código Operação Dynamo, comandada a partir de Dover, pelo vice-almirante Bertram Ramsay. A intenção inicial era evacuar até cerca de 45.000 homens da Força Expedicionária Britânica em dois dias, mas em breve o objetivo foi alterado para resgatar 120.000 homens em cinco dias.
    
Cenas do resgate em Dunquerque
   
Evacuação de Dunquerque, Milagre de Dunquerque ou Operação Dínamo, foi uma notável operação militar da Segunda Guerra Mundial. Quase trezentos e quarenta mil soldados aliados foram evacuados sob intenso bombardeio, entre 26 de maio e 4 de junho, da cidade francesa de Dunquerque até a cidade inglesa de Dover. Um desastre decorrente da invasão da França pela forças nazis em 10 de maio de 1940, que avançou rapidamente devido a falta de efetiva resistência aliada.
Comandada pelo vice-almirante Bertram Ramsay, a intenção inicial era evacuar cerca de 45 mil homens da Força Expedicionária Britânica em dois dias, mas, em breve, o objetivo foi alterado para resgatar 120 mil homens em cinco dias.
Os exércitos britânicos, francês e belga, desdobrados ao longo de uma frente de 250 Km, curvados para dentro do Canal da Mancha, estavam cercados pelos alemães. E as tropas exaustas, empurradas constantemente para trás pelo Panzers inimigos, apertavam nervosamente as armas e esperavam em silencioso terror. A retirada era inevitável. De facto, na manhã de 26 de maio de 1940, Anthony Eden, Ministro da Guerra, havia autorizado um recuo geral para a costa, mas o General John Vereker, 6º Visconde de Gort, o franco e vigoroso Comandante-chefe da Força Expedicionária Britânica, na França, tinha as suas dúvidas.
A perspetiva da derrota viera com surpreendente e terrível rapidez. Durante oito meses, muitos dos 390.000 homens do exército de Lord Gort tinham desfrutado de uma boa vida. Iludidos de que a Linha Maginot, com seus 400 Km para o sul, era inexpugnável, haviam construído 400 casamatas de concreto armado, cavado trincheiras e fossos antitanques nos moldes semelhantes àqueles da Primeira Guerra Mundial, à espera dos alemães. Subitamente, em 10 de maio, dez divisões blindadas alemãs e 117 divisões de infantaria irromperam pela neutra Holanda, esmagando suas defesas, sucedendo-se o mesmo com a Bélgica e com o Luxemburgo, também neutros. Pouco depois sete divisões rompiam as linhas do exército francês em Sedan, atravessando facilmente as florestas e as colinas das Ardenas.
Os ingleses acorreram em socorro, atravessando a Bélgica com a expectativa de realização de grandes feitos, porém a campanha se revelou um pesadelo e a posição aliada se tornou insustentável.
A partir da ordem de Sir Eden, originou-se um deslocamento de tropas sem precedentes até então. Milhares de soldados, sob fogo cerrado das divisões alemães, deslocaram-se ao longo desta linha em direção ao mar. A retirada de um número tão grande de soldados e equipamentos era, por si só, uma tarefa monumental, sob ataque pesado do inimigo então era algo que se mostrava surreal. Acompanhando a esta movimentação estava a temível Luftwaffe em todo seu esplendor, que praticamente sem resistência no ar, bombardeava sem pudor nenhum as tropas em retirada.

    
O erro alemão
A retirada só foi efetivada devido a um erro estratégico, cuja motivação é desconhecida, sendo até hoje um mistério para os historiadores da Segunda Guerra Mundial.
A evacuação, mesmo de uma pequena parte da Força Expedicionária Britânica, constituiria um fato surpreendente, pois Dunquerque só se manteve graças a uma inexplicável reviravolta na estratégia alemã. Em 23 de maio, quando os seus tanques já se encontravam a 20 km de Dunquerque, o então General Gerd von Rundstedt, baixou um ordem : "Deter-se na linha do Canal A e instalar-se".
Ao contrário dos audazes comandantes das divisões Panzers, como Rommel, o prudente Rundstedt, de 65 anos, não aceitava o novo conceito no emprego de tanques. Mais de uma vez durante a Campanha das Ardenas, havia ordenado várias paragens, com receio de que as Divisões Blindadas se distanciassem muito das tropas de infantaria, que viriam logo atrás, para apoio e consolidação do terreno. Somado a isto, o seu entendimento era de que a planície pantanosa do Flandres não era propícia ao emprego de blindados, o que poderia atolar os Panzers e prejudicar o plano original, que era a ação sobre o coração da França.
Em 28 de maio, além das embarcações a ajudar na operação, foram chamados mais dez contratorpedeiros que tentaram naquela manhã uma nova operação de resgate. Vários milhares acabaram por ser resgatados, embora os contratorpedeiros não puderam se aproximar o necessário da praia. Outras operações de resgate no resto do dia 28 tiveram mais sucesso, tendo resgatado mais 16.000 homens, mas as operações aéreas alemãs aumentaram e várias embarcações foram afundadas ou bastante danificadas, incluindo nove contratorpedeiros. Durante a Operação Dínamo, a RAF perdeu 177 aviões e a Luftwaffe 132, sobre Dunquerque.
Em 29 de maio, a divisão Panzer alemã, que se aproximava, parou em Dunquerque, deixando assim o resto da batalha para a infantaria e força aérea. Na tarde do dia 30, um outro grande grupo de embarcações menores conseguiu resgatar 30 mil homens. No dia 31 de maio, as forças aliadas estavam comprimidas num espaço de 5 km desde De Panne, Bray-Dunes a Dunquerque; nesse dia mais de 68 mil soldados foram evacuados, e outros 10 mil, durante a noite. Em 1 de junho, outros 65.000 foram resgatados e as operações continuaram até 4 de junho.
Um total de cinco nações fizeram parte da evacuação de Dunquerque: Reino Unido, França, Bélgica, Países Baixos e Polónia.
   
Tropas evacuadas
Data   Nas praias   No porto de Dunquerque Total
27 maio - 7.669 7.669
28 maio 5.930 11.874 17.804
29 maio 13.752 33.558 47.310
30 maio 29.512 24.311 53.823
31 maio 22.942 45.072 68.014
1 junho 17.348 47.081 64.429
2 junho 6.695 19.561 26.256
3 junho 1.870 24.876 26.746
4 junho 622 25.553 26.175
Totais 98.780 239.446 338.226
   

Há 87 anos Jesse Owens teve 45 minutos mágicos

Owens at the 1936 Olympics
       
James Cleveland "Jesse" Owens (Oakville, Alabama, September 12, 1913 – Tucson, Arizona, March 31, 1980) was an American track and field athlete and four-time Olympic gold medalist.
Owens specialized in the sprints and the long jump and was recognized in his lifetime as "perhaps the greatest and most famous athlete in track and field history". His achievement of setting three world records and tying another in less than an hour at the 1935 Big Ten track meet has been called "the greatest 45 minutes ever in sport" and has never been equaled. At the 1936 Summer Olympics in Berlin, Germany, Owens won international fame with four gold medals: 100 meters, 200 meters, long jump, and 4x100 meter relay. He was the most successful athlete at the games and as such has been credited with "single-handedly crush[ing] Hitler's myth of Aryan supremacy."
The Jesse Owens Award, USA Track and Field's highest accolade for the year's best track and field athlete, is named after him, and he was ranked by ESPN as the sixth greatest North American athlete of the twentieth century and the highest-ranked in his sport.
    
(...)
    
Owens's greatest achievement came in a span of 45 minutes on May 25, 1935, during the Big Ten meet at Ferry Field in Ann Arbor, Michigan, where he set three world records and tied a fourth. He equaled the world record for the 100 yard dash (9.4 seconds); and set world records in the long jump (26 ft 8 14 in or 8.13 m, a world record that would last 25 years); 220-yard (201.2 m) sprint (20.3 seconds); and 220-yard (201.2 m) low hurdles (22.6 seconds, becoming the first to break 23 seconds). In 2005, University of Central Florida professor of sports history Richard C. Crepeau chose these wins on one day as the most impressive athletic achievement since 1850. 
    
           

Saudades de Zé Mário Branco...

Klaus Meine, vocalista dos Scorpions, faz hoje 74 anos

   
Klaus Meine (Hannover, 25 de maio de 1948) é um cantor e compositor, integrante da banda Scorpions.
Klaus Meine foi vocalista e guitarrista de duas bandas, a primeira se chamava The Mushrooms e a segunda Copernicus, isso no começo dos anos 60, antes de ingressar na banda Scorpions.
A carreira nos Scorpions começou quando Klaus conheceu Rudolf Schenker, fundador da banda, juntamente com o seu irmão Michael Schenker, em 1969, de modo que juntos formaram a banda com Lothar Heimberg (baixo) e Wolfgang Dziony (bateria).  
Quando era adolescente Klaus Meine ouvia muito rock dos anos 50 e 60, principalmente o dos Beatles (o que ele confirma no DVD Unbreakable "One Night in Vienna") que o influenciou a cantar, tocar e criar a sua primeira banda: The Mushrooms.
Ao lado de Rudolf Schenker, Klaus Meine jamais deixou os Scorpions e, juntamente com ele, é responsável pela maioria das composições da banda. Nascido em 1948, Klaus é natural de Hannover, cidade no sudeste da Alemanha, sempre esteve ligado à música, por influência do pai, Hugo Meine. Começou a tocar em pubs alemães e, em 1969, conheceu Rudolf, que lhe apresentou o seu irmão, o guitarrista Michael Schenker e o indicou para tocar na banda que Klaus tinha na época, os Copernicus. Um ano mais tarde os dois juntaram-se aos Scorpions.
Os Scorpions passaram os sete primeiros anos de carreira tentando conquistar o público em bares locais, vindo a gravar seu primeiro disco em 1972, com Klaus Meine nos vocais, logo após isso Lothar Heimberg e Wolfgang Dziony resolvem abandonar o grupo e Michael Schenker passa a ser o guitarrista da banda londrina UFO, sozinho com Rudolf, Klaus dá continuidade ao trabalho, entrando em contato com o guitarrista Uli Jon Roth, que convida o baixista Francis Buchholz, lançando o segundo disco Fly To The Rainbow em 1974, logo após convida Rudy Lenners para assumir a bateria e lançam o terceiro disco In Trance fazendo sucesso em toda a Europa
Klaus e Rudolf, reformulam o Scorpions. Com a entrada do guitarrista Ulrich Roth os Scorpions fazem grande sucesso na Europa, graças aos ótimos álbuns que lança, a voz marcante de Klaus e as suas composições ao lado de Rudolf.
Em 1981, Klaus perdeu a sua voz após a Animal Magnetism Tour, como consequência do aparecimento de nódulos nas suas cordas vocais. Ele chegou a pensar em abandonar a banda, com receio de não poder mais cantar. E foi aí que Meine recebeu a maior prova de amizade de seus companheiros, que aguardaram Klaus recuperasse da delicada cirurgia que sofreu às cordas vocais para prosseguirem. 
Após consultar um fonoaudiologista sobre o problema, Klaus Meine foi aconselhado a deixar de lado a carreira, recorrendo à ajuda de um famoso especialista em Viena, que tratava cantores de ópera, passou por duas cirurgias e um treino vocal intenso, tratamento tão eficiente que Klaus Meine voltou com amplitude vocal ainda maior do que tinha anteriormente.
Três anos após as cirurgias e o tratamento, Klaus Meine gravou em 1984 "Still Loving You", um dos hinos do rock mundial, o grande sucesso, até hoje, do álbum "Love at First Sting".
  
Klaus Meine canta desde os nove anos de idade, e além disso toca instrumentos como viola, viola de 12 cordas, guitarras elétricas e acústicas. Também foi responsável pela maioria das composições do grupo, como "Still loving you", Wind of Change, "Send me an Angel", "Rhythm of Love", "In Trance", "Rock you like a Hurricane", "When the smoke is going down", "Blackout", "Dynamite", "Big City Nights", "Can't live without you", "No one like you", entre outras.
   
Possui mais de 50 anos de carreira, pois começou a cantar aos nove anos. Considerado um alemão simpático, gosta de ler biografias; de praticar desportos como futebol, ténis e basquetebol; de viajar para lugares como Berlim, Los Angeles, Paris e Nova york e de dirigir carros como os da marca Mercedes. É motivado por novos desafios, pessoas e música. É casado com Gabi Meine, que conheceu depois de um show em 1972. Na época, Gabi tinha apenas 16 anos. São casados desde 1972. O casal tem um filho: Christian Julian, nascido em 1985. Faz ações sociais com a Nordoff Robbins e com a Unicef. Antes de ser músico era vendedor de cortinas.
     
in Wikipédia

 


JFK anunciou há 61 anos que os Estados Unidos poriam um Homem na Lua ainda nos anos 60

Kennedy com a nave espacial Friendship 7 pilotada pelo astronauta John Glenn, 23 de fevereiro de 1962
  
John Fitzgerald Kennedy (Brookline, 29 de maio de 1917 - Dallas, 22 de novembro de 1963) foi um político norte-americano que foi o 35° presidente dos Estados Unidos (19611963) e é considerado uma das grandes personalidades do século XX. Ele era conhecido como John F. Kennedy ou Jack Kennedy por seus amigos e popularmente como JFK.
   
(...)
    
Kennedy queria ansiosamente que os Estados Unidos liderassem a corrida espacial. Sergei Khrushchev, filho do presidente soviético, disse que Kennedy aproximou-se de seu pai, Nikita Khrushchev, duas vezes para unir esforços na exploração do espaço. Na primeira ocasião, a União Soviética estava muito à frente em termos de tecnologia comparado aos americanos no espaço. A primeira vez que Kennedy enunciou o objetivo de levar um homem à Lua foi numa Sessão Conjunta do Congresso e do Senado, em 25 de maio de 1961. Na ocasião, ele disse:

Cquote1.svg Primeiro, eu acredito que esta nação deve ter como objetivo levar um homem à Lua e fazê-lo voltar em segurança à Terra antes do final da década. Nenhum projeto de outro indivíduo é tão impressionante para a humanidade ou mais importante do que a de conseguir viajar para o espaço e não vai ser tão difícil e caro de se obter. Cquote2.svg
 JF K
 
Na segunda abordagem a Khrushchev, o líder soviético foi convencido dos benefícios que resultariam de compartilhar os custos e os Estados Unidos haviam avançado muito na tecnologia espacial. Os americanos lançaram um satélite em órbita geoestacionária e Kennedy pediu ao Congresso para aprovar um orçamento de mais de 25 mil milhões de dólares para o Programa Apollo. O presidente soviético concordou em trabalhar em conjunto com os norte-americanos no outono de 1963, mas Kennedy foi assassinado antes de qualquer acordo desse tipo pudesse ser formalizado. Em 20 de julho de 1969, quase seis anos após a morte de JFK, o Programa da Apollo XI conquistou os seus objetivos e finalmente um homem pousou na lua.
  

Robert Capa morreu há 68 anos

   
Robert Capa, de seu nome verdadeiro Endre Ernő Friedmann (Budapeste, 22 de outubro de 1913 - Thai-Binh, 25 de maio de 1954), foi um fotógrafo húngaro.
     
(...) 
  
Capa morreu, na Guerra da Indochina, em 25 de maio de 1954, ao pisar uma mina terrestre. O seu corpo foi encontrado com as pernas dilaceradas. A câmara permanecia intacta entre as suas mãos. 
  
Morte de um Miliciano
     

Música adequada à data...

D. Pedro III, rei consorte da Rainha D. Maria I, morreu há 236 anos

   
D. Pedro III de Portugal (nome completo: Pedro Clemente Francisco José António de Bragança; 5 de julho de 1717 - 25 de maio de 1786), Infante de Portugal, Senhor do Infantado, Grão-Prior do Crato, Duque de Beja, posteriormente príncipe consorte do Brasil e Rei de Portugal de jure uxoris, foi o quarto filho do rei D. João V e da rainha D. Maria Ana.
D. Pedro era assim irmão de D. José I. Em 6 de junho de 1760 casou-se com a sobrinha e herdeira da coroa, D. Maria Francisca. Com a subida da mulher ao trono em 1777 tornou-se rei consorte de Portugal sendo cognominado "O Capacidónio" pela maneira como referia-se a várias pessoas, "O Sacristão" pelo seu fervor religioso ou ainda "O Edificador" pela sua iniciativa de edificar o Palácio de Queluz.
Pedro foi uma figura neutra da política e alheou-se sempre dos aspetos governativos.
      
(...)
 
Faleceu no Paço de Nossa Senhora da Ajuda, em Lisboa, a 25 de maio de 1786, com 69 anos de idade e nove de reinado conjunto com D. Maria I. A sua morte, juntamente com outros factos, teriam contribuído para a loucura da rainha. Jaz no Panteão dos Braganças, em São Vicente de Fora.
  


São Pio de Pietrelcina nasceu há 135 anos

     
Padre Pio de Pietrelcina, nascido Francesco Forgione (Pietrelcina, 25 de maio de 1887 - San Giovanni Rotondo, 23 de setembro de 1968), foi um frade e sacerdote católico italiano, da Ordem dos Frades Menores Capuchinhos, elevado a santo pela Igreja Católica como São Pio de Pietrelcina.
Foi, ainda em vida, alvo de uma veneração popular de grandes proporções, principalmente em razão de seus muitos carismas e dons espirituais: o dom da bilocação, o dom da levitação, das curas milagrosas, dos perfumes que exalava, entre outros.
    
Foto do Padre Pio de Pietrelcina com os estigmas
     

Hoje é o Dia de África...!

(imagem daqui)
     
A Organização da Unidade Africana (OUA) foi criada a 25 de maio de 1963 em Adis Abeba, Etiópia, por iniciativa do Imperador etíope, Haile Selassie através da assinatura da sua Constituição por representantes de 32 governos de países africanos independentes. A OUA foi substituída pela União Africana a 9 de julho de 2002.
  
Bandeira da União Africana
   
Os objetivos da OUA, expressos na sua Constituição eram:
  • Promover a unidade e solidariedade entre os estados africanos;
  • Coordenar e intensificar a cooperação entre os estados africanos, no sentido de atingir uma vida melhor para os povos de África;
  • Defender a soberania, integridade territorial e independência dos estados africanos;
  • Erradicar todas as formas de colonialismo da África;
  • Promover a cooperação internacional, respeitando a Carta das Nações Unidas e a Declaração Universal dos Direitos Humanos;
  • Coordenar e harmonizar as políticas dos estados membros nas esferas política, diplomática, económica, educacional, cultural, da saúde, bem estar, ciência, técnica e de defesa.

Africa Day is the annual commemoration on May 25 of the 1963 founding of the Organisation of African Unity (OAU). On this day, leaders of 30 of the 32 independent African states signed a founding charter in Addis Ababa, Ethiopia. In 1991, the OAU established the African Economic Community, and in 2002 the OAU established its own successor, the African Union. However, the name and date of Africa Day has been retained as a celebration of African unity. 2012's theme of Africa Day is "Africa and the Diaspora." The New York celebration was held in New York City on May 31, 2011. In Nairobi, it was celebrated at Uhuru Park Recreational Park. It should also be noted that Africa Day is observed as a public holiday in only five African countries, that is, Ghana, Mali, Namibia, Zambia and Zimbabwe. However, celebrations are held in some African countries, as well as by Africans in the diaspora.

Lauryn Hill - 47 anos

   
Lauryn Noel Hill (South Orange, 25 de maio de 1975) mais conhecida como Lauryn Hill é uma cantora, produtora musical e atriz americana.
   
Lauryn apareceu com destaque interpretando Rita Watson na segunda parte do filme Sister Act (com Whoopi Goldberg) e fez parte do trio musical The Fugees, com Wyclef Jean e Pras Michel. A banda The Fugees acabou devido às constantes disputas internas entre os integrantes. A música mais conhecida deles é Killing Me Softly, uma regravação de um sucesso na década de 70 de Roberta Flack.
Lauryn Hill nasceu em 25 de maio de 1975 e cresceu na cidade de South Orange, em New Jersey. Desde criança, Hill cantava e fazia pequenas participações em programas de televisão e filmes. O seu envolvimento com o grupo de rap e rhythm & blues The Fugees começou aos 13 anos. Hill estudou na Columbia University, em Nova Iorque.
O seu primeiro disco solo, The Miseducation of Lauryn Hill (1998), reinou nas paradas americanas durante quase todo o ano de seu lançamento. Além disso, garantiu a Hill onze nomeações para o prémio Grammy de 1999, feito jamais alcançado por uma cantora. Hill levou cinco, entre eles o de Álbum do Ano e Melhor Cantora do Ano. O disco, uma mistura de rap, soul, reggae e rhythm & blues, também rendeu uma turnê ao lado dos rappers de Outkast.
     
       
in Wikipédia

 


Sandra Nasic, vocalista dos Guano Apes, faz hoje 46 anos

     
Sandra Nasić (Göttingen, 25 de maio de 1976) é uma cantora alemã, mais conhecida como a vocalista da banda Guano Apes.
  
Sandra nasceu na Alemanha, filha de pais croatas. Após terminar o ensino secundário planeava estudar arte e design. Numa noite em 1994, os outros três futuros membros da banda abordaram-na. Nasic foi apresentada à banda por um amigo que queria a opinião dela sobre uma cantora que tinha encontrado para um projeto em mente. De acordo com o guitarrista Henning Ruemenapp, a banda acabou por "levar" Sandra.
Em 2001, recebeu o prémio EinsLive Krone, de melhor cantora, que é atribuído por uma estação de rádio alemã.
   

 

O primeiro filme da saga Star Wars chegou aos cinemas há 45 anos...!

   
Star Wars (no Brasil, Guerra nas Estrelas e, em Portugal, Guerra das Estrelas) é o título de uma franquia de space opera norte-americana criada pelo cineasta George Lucas. A franquia conta com uma série de sete filmes de fantasia científica e um spin-off. O primeiro filme da série foi lançado apenas com o título Star Wars em 25 de maio de 1977, e se tornou um sucesso inesperado e fenómeno mundial de cultura popular. Star Wars foi responsável pelo início da "era dos blockbusters": super produções cinematográficas que fazem sucesso nas bilheteiras e viram franquias com brinquedos, jogos, livros etc. Foi seguido por duas sequências, O Império Contra-Ataca e O Retorno do Jedi, lançadas em intervalos de três anos. Esta primeira trilogia seguia o trio hoje icónico: Luke Skywalker, Princesa Leia e Han Solo. O trio lutava na Aliança Rebelde para derrubar o tirano Império Galático; paralelamente ocorre a jornada de Luke para se tornar um cavaleiro Jedi e derrotar tanto Darth Vader, um ex-jedi que sucumbiu ao Lado Sombrio da Força e o Imperador.
Depois de 16 anos sem filmes novos no cinema, uma nova trilogia, conhecida como trilogia de prequela, começou em 1999 com Star Wars Episódio I: A Ameaça Fantasma. Esta trilogia volta no tempo para contar como Anakin Skywalker se transformou em Darth Vader e acompanha a queda da Ordem Jedi e da República Galáctica que é substituída pelo Império. Mais uma vez foi lançada em intervalos de três anos, com o último filme sendo lançado em 2005. As reações à trilogia original foram extremamente positivas, enquanto a trilogia de prequela recebeu reações mistas tanto do público geral quanto de críticos especializados. Mesmo assim, todos os seis filmes foram bem sucedidos nas bilheteiras e receberam nomeações ou ganharam prémios nos Óscares.
Em 2008 foi lançado o filme de animação Star Wars: The Clone Wars, um spin-off que serve como piloto para uma série de animação do mesmo título. Neste ano aconteceu a soma da bilheteira arrecadada pelos seis filmes de Star Wars que totalizava aproximadamente 4,41 mil milhões de dólares. Após a estreia do episódio VII e Rogue One, este valor chegou a mais de 7 mil milhões, fazendo de Star Wars a quarta série cinematográfica com maior bilheteira de todos os tempos, atrás dos filmes do Universo Marvel Cinematográfico, James Bond e Harry Potter. A franquia gerou diversos subprodutos, incluindo filmes para televisão, livros, jogos eletrónicos, desenhos animados e banda desenhada, o que resultou na criação do universo expandido da saga. É a maior franquia da história do cinema, com a soma dos filmes e produtos equivalente a mais que 30 mil milhões de dólares.
Em 2012, a Walt Disney Company comprou a Lucasfilm por 4,05 mil milhões de dólares e anunciou uma nova trilogia de filmes, chamada de "trilogia sequela" que vai continuar seguindo a saga da família Skywalker após O retorno de Jedi. O primeiro capítulo dessa nova fase, sob o título de O Despertar da Força, estreou em 17 de dezembro de 2015, com aclamação da crítica especializada, tornou-se a maior estreia da história do cinema. Diferente das outras, a trilogia sequela terá um intervalo de dois anos entre os filmes, e nesses intervalos, a Disney lançará spin-offs que se passam durante os episódios das trilogias. O primeiro filme desses spin-offs, Rogue One, foi lançado em 15 de dezembro de 2016.
O antigo universo expandido foi feito não-canónico pela Lucasfilm em 2014, e seu material agora é lançado com o selo Legends. Isto foi feito para a Disney organizar o universo expandido que contêm histórias que contradizem uma a outra, e por causa da nova trilogia que conta uma história diferente do antigo canónico. A Disney considerou apenas os sete filmes e a série Clone Wars como canónico. O novo universo expandido entrou em vigor já em 2014, com o primeiro produto oficial de Star Wars após a compra pela Disney sendo Star Wars Rebels. Diferente do Legends, as histórias do novo universo expandido são criadas\supervisionadas pela Lucasfilm Story Group, fundado pela Kathleen Kennedy (presidente da Lucasfilm) com objetivo de manter a continuidade entre todos os produtos (filmes, livros, séries, banda desenhada e jogos) da franquia Star Wars.

Desmond Dekker morreu há dezasseis anos


Desmond Dekker, nome artístico de Desmond Adolphus Dacres (Kingston, 16 de julho de 1941 - Surrey, 25 de maio de 2006), foi um cantor e compositor jamaicano de ska e reggae.

Foi o primeiro artista jamaicano a ser considerado uma lenda do reggae. O seus maiores sucessos foram "Israelites" e "007 (Shanty Town)".

Desmond foi um dos pais e pioneiros do skinhead reggae. Foi mencionado em canções de diversos músicos ao longo dos anos, como The Beatles na música "Ob-La-Di, Ob-La-Da", Rancid na música "Roots Radicals", Frank Black na música "Parry the Wind High Low" , entre outros. 

 

Vida

Desmond Dekker perdeu os pais durante a adolescência e foi nessa época que começou a trabalhar como soldador. No trabalho era encorajado pelos colegas a cantar, e por esse motivo, no ano de 1961, resolveu participar de uma audição para o selo Studio One, de "Coxsone" Dodd e para o selo Treasure Isle, de Duke Reid.

Nenhum dos dois ficou impressionado com Desmond, que resolveu tentar a sorte no selo de Leslie Kong, junto com Derick Morgan. Com o apoio de Morgan, conseguiu ser contratado, mas não pode gravar até 1963, pois Leslie Kong estava esperando Desmond achar a música perfeita. E foi com a música "Honour Your Father and Mother" que isso aconteceu. A música se tornou sucesso e em seguida vieram "Sinners Come Home" e "Labour for Learning". Foi nessa época que Desmond trocou o seu sobrenome de Dacres para Dekker. O hit que veio em seguida foi "King of Ska", que contou com os The Maytals nos coros.

Com a música "007 (Shanty Town)", tornou-se um ícone para os rude boys e uma das figuras mais importantes da cena mod britânica.

No final dos anos 70, assinou com o Stiff Records, um selo punk ligado ao movimento two tone e lá permaneceu de 1980 a 1983. Ainda nos anos 80, assinou um contrato com a Trojan Records, onde teve muitos de seus álbuns relançados.

Ao longo dos anos, continuava fazendo inúmeros shows pelo mundo, principalmente pela Europa. Morreu em 25 de maio de 2006, de ataque cardíaco, na sua residência em Surrey, na Inglaterra. Foi enterrado no Streatham Vale Cemetery em Londres.

    

 


O massacre de Houla foi há dez anos...

(imagem daqui)
    
O massacre de Houla foi um ataque que aconteceu em 25 de maio de 2012, em duas vilas na região de Houla, na Síria. De acordo com a Organização das Nações Unidas, 108 pessoas foram mortas, incluindo 34 mulheres e 49 crianças. Enquanto uma pequena proporção das mortes pareciam ser resultantes do uso tanques e artilharia do Exército Sírio, a ONU anunciou mais tarde que a maioria das vítimas do massacre haviam sido executadas em dois incidentes separados Milícias ligadas ao governo, conhecidas como Shabiha, também são consideradas como prováveis responsáveis pelas mortes. Os moradores afirmaram que haviam enviado a ONU um pedido de ajuda antes do massacre, alertando-os sobre um ataque iminente pelo governo, mas não obtiveram respostas dos representantes.
A agência de notícias oficial do governo sírio e alguns jornalistas afirmaram que grupos terroristas do Al-Qaeda ou ligados à oposição foram responsáveis ​​pelas mortes, enquanto os residentes de Houla e grupos de oposição alegaram que militares sírios e membros da milícia Shabiha, leais ao presidente Bashar al-Assad, foram os agressores.
Os quinze países do Conselho de Segurança das Nações Unidas condenaram por unanimidade o governo sírio pelo seu papel no massacre. Aliados da Síria, Rússia e China, concordaram pela primeira vez com a resolução dos demais países. Os Estados Unidos, o Reino Unido e outras nove nações expulsaram embaixadores e diplomatas sírios.
   

José Mário Branco nasceu há oitenta anos...

       
José Mário Branco (Porto, 25 de maio de 1942 - Lisboa, 19 de novembro de 2019), foi um músico e compositor (cantautor) português
   
Biografia
Filho de professores primários, cresceu entre o Porto e Leça da Palmeira, sendo marcado pelo ambiente luzidio e inspirador desta vila piscatória. Iniciou o curso de História, primeiro na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, depois na Faculdade de Letras da Universidade do Porto, não o tendo terminado. Expoente da música de intervenção portuguesa, começou por ser ativo na Igreja Católica. Depois aderiu ao Partido Comunista Português e foi perseguido pela PIDE, até se exilar em França, em 1963. Em 1974 regressou a Portugal e fundou o Grupo de Acção Cultural - Vozes na Luta!, com o qual gravou dois álbuns.
Como interveniente em concertos ou álbuns editados, como cantautor e/ou como responsável pelos arranjos musicais, José Mário Branco é autor de uma obra singular no panorama musical português. Entre música de intervenção, fado e outras, são obras famosas os discos Ser solidário, Margem de Certa Maneira, A noite, e o emblemático FMI, obra síntese do movimento revolucionário português com seus sonhos e desencantos. Esta última foi proibida pelo próprio José Mário Branco de passar em qualquer rádio, TV ou outro tipo de exibição pública. Não obstante este facto, FMI será, provavelmente, a sua obra mais conhecida. O seu álbum mais recente, lançado em 2004, intitula-se Resistir é Vencer, em homenagem ao povo timorense, que resistiu durante décadas à ocupação pelas forças da Indonésia logo após o 25 de Abril. O ideário socialista está expresso em muitas das suas letras.
Trabalhou com diversos outros artistas de relevo da música de intervenção e outros géneros, nomeadamente José Afonso, Sérgio Godinho, Luís Represas, Fausto Bordalo Dias, Janita Salomé, Amélia Muge, Os Gaiteiros de Lisboa e, no âmbito do Fado, Carlos do Carmo, Camané e Katia Guerreiro. Do mesmo modo compôs e cantou para o teatro, o cinema e a televisão, tendo sido elemento de A Comuna - Teatro de Pesquisa.
Em 2006, com 64 anos, José Mário Branco iniciou uma licenciatura em Linguística, na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Terminou o 1.º ano com média de 19,1 valores, sendo considerado o melhor aluno do seu curso. Desvalorizou a Bolsa de Estudo por Mérito que lhe foi atribuída, dizendo que é «algo normal numa carreira académica».
Em 2009 voltou às atuações públicas com dois concertos intitulados Três Cantos, juntando «referências não só musicais mas também poéticas do que é cantar em português»: José Mário Branco, Sérgio Godinho e Fausto.
Morreu, aos 77 anos, de acidente vascular cerebral, na madrugada do dia 19 de novembro de 2019, em Lisboa.