quinta-feira, abril 27, 2017

Coretta King nasceu há 90 anos

Coretta Scott King (Marion, 27 de abril de 1927 - Playas de Rosarito, 30 de janeiro de 2006), foi uma escritora e ativista dos direitos iguais dos negros e das mulheres nos Estados Unidos da América e em todo o mundo.
Viúva do ativista Martin Luther King Jr, Coretta fundou em 1968 o Centro King, entidade para auxiliar a promover a igualdade racial.
Desempenhou um papel proeminente nos anos após o assassinato de seu marido em 1968, quando assumiu a liderança da luta pela igualdade racial e tornou-se ativa no Movimento das Mulheres e no movimento de direitos LGBT. Coretta King fundou o King Center e procurou fazer do aniversário dele um feriado nacional. King finalmente conseguiu quando Ronald Reagan assinou a legislação que estabeleceu o Martin Luther King, Jr. Day. Mais tarde, ela ampliou a sua luta para incluir tanto a oposição ao apartheid como a defesa dos direitos LGBT. King se tornou amiga de muitos políticos antes e depois da morte de Martin Luther King, principalmente de John F. Kennedy, Lyndon B. Johnson e Robert F. Kennedy. O telefonema de John F. Kennedy para ela durante a eleição de 1960 foi o que ela gostava de acreditar que estava por trás de sua vitória.
Em agosto de 2005 Coretta sofreu um derrame e a deixou paralisada em seu lado direito e incapaz de falar. Cinco meses mais tarde, ela morreu de insuficiência respiratória devido a complicações de câncer de ovário. O funeral de King foi assistido por quatro dos cinco presidentes vivos dos EUA e por mais de 10 mil pessoas. Ela foi temporariamente enterrada nos terrenos do King Center, até que ela foi enterrada ao lado de seu marido. King foi homenageada por seu ativismo na promoção dos direitos humanos. King foi introduzida no salão da fama das mulheres do Alabama em 2009.
No seu funeral, no dia 7 de fevereiro de 2006, além do ex-presidente norte-americano George Walker Bush estiveram presentes outros três ex-presidentes. Acredita-se que mais de 42 mil pessoas passaram pelo seu funeral. Encontra-se sepultada ao lado do marido no Centro Martin Luther King Jr., Atlanta, Condado de Fulton, Geórgia nos Estados Unidos.

A cantora Luísa Maita faz hoje 35 anos

Luísa Maita (São Paulo, 27 de abril de 1982) é uma cantora e compositora brasileira.


O rei Guilherme Alexandre dos Países Baixos faz hoje 50 anos

Guilherme Alexandre (Utrecht, 27 de abril de 1967) é o Rei do Reino dos Países Baixos, composto pelos Países Baixos, Curaçao, Aruba e o território de São Martinho, na ilha de São Martinho.
Nasceu em Utrecht como o filho mais velho da rainha Beatriz e do diplomata alemão Claus van Amsberg. Tornou-se príncipe de Orange e herdeiro ao trono dos Países Baixos em 30 de abril de 1980, quando a sua mãe se tornou a rainha reinante, e subiu ao trono em 30 de abril de 2013, quando a sua mãe abdicou.
Estudou em escolas primárias e secundárias públicas, servindo na Marinha Real Neerlandesa, e estudou História na Universidade de Leiden. Casou-se com Máxima Zorreguieta Cerruti em 2002 e juntos têm três filhas: Catarina Amália, Princesa de Orange (nascida em 2003), princesa Alexia (nascida em 2005), e a princesa Ariana (nascida em 2007).
É interessado em questões internacionais de gestão de recursos hídricos e desportos. Até à sua ascensão ao trono, era um membro do Comité Olímpico Internacional (1998-2013), presidente do Comité Consultivo sobre Água no Ministério das Infra-Estruturas e Meio Ambiente dos Países Baixos (2004-2013), e presidente do Conselho Consultivo sobre Água e Saneamento do Secretariado Geral das Nações Unidas (2006-2013). Com quarenta e oito anos de idade, é atualmente o segundo monarca mais jovem na Europa, depois de Filipe VI da Espanha.
 
 

Olivier Messiaen morreu há 25 anos

Autor de vasta produção, que se estende pela música para órgão, piano, de câmara, canto (com ou sem instrumentos), concertante, sinfónica, coral-sinfónica e uma ópera – Sétimo Quadro do São Francisco de Assis.

Vida e obra
Olivier Eugène Prosper Charles Messiaen nasceu em Avinhão, França, numa família de literatos. A mãe de Messiaen publicou uma sequência de poemas que trata do nascimento do seu filho. Messiaen disse mais tarde que essa sequência de poemas o influenciou profundamente e citou-o como profético da sua futura carreira artística.
Ele era o mais velho dos dois filhos de Cécile Sauvage, uma poetisa, e Messiaen Pierre, um professor de Inglês, que traduziu as peças de William Shakespeare para francês. Entrou no Conservatório de Paris aos 11 anos, e entre os seus professores contaram-se Paul Dukas, Maurice Emmanuel, Charles-Marie Widor e Marcel Dupré.
Foi designado organista na Igreja da Trinité de Paris em 1931, posto que ocupou até à sua morte. Durante a Batalha de França, Messiaen foi feito prisioneiro de guerra, e enquanto estava aprisionado compôs o Quatuor pour la fin du temps ("Quarteto pelo fim do tempo") para os quatro instrumentos disponíveis: piano, violino, violoncelo e clarinete. A obra foi estreada por Messiaen e seus amigos prisioneiros perante uma audiência de reclusos e guardas prisionais. Ao sair da prisão em 1941, Messiaen foi nomeado professor de harmonia, e, em 1966, professor de composição no Conservatório de Paris, até à sua passagem à reforma em 1978. Compôs ainda uma sinfonia (Turangalîla-Symphonie) que utiliza o instrumento denominado Ondas Martenot. Na sua obra, de inspiração mística, a linguagem musical caracteriza-se por um ritmo novo e elementos exóticos. Outras obras são As cores da cidade celeste, Vinte olhares sobre o menino Jesus, Cronocromia, Et expectro ressurrection em mortuorum, Cantéyodjayâ.


Rostropovich morreu há dez anos...

Mstislav Leopoldovitch Rostropovich (Baku, 27 de março de 1927 - Moscovo, 27 de abril de 2007) foi um violoncelista e maestro russo (mais tarde naturalizado americano), unanimemente apontado como o maior violoncelista do século XX.
Nasceu no Azerbaijão, parte então da União Soviética. Ainda quanto era muito pequeno, a sua família mudou-se para Moscovo. Estudou no conservatório da capital (do qual mais tarde seria docente) tendo como professores, entre outros, Dmitri Shostakovitch e Serguei Prokofiev.
Estreou diversas obras para violoncelo dos principais compositores contemporâneos, como a 'Sinfonia concertante em mi menor, opus 125' de Serguei Prokofiev, os dois concertos para violoncelo de Dmitri Shostakovich e as Sinfonia para violoncelo e Sonata para violoncelo e piano de Benjamin Britten.
Rostropovich lutou por uma arte sem fronteiras, pela liberdade de expressão e pelos valores democráticos, o que resultou em repressão por parte do regime soviético comunista. Em 1974, Rostropovich fugiu da então URSS devido à sua defesa intransigente dos direitos humanos e ao seu apoio a figuras dissidentes, como o escritor Aleksandr Solzhenitsyn. Em 1978 acabaria por ver a sua cidadania na União Soviética revogada, devido à sua oposição ao regime. Conseguiu regressar ao país apenas 16 anos depois, quando Mikhail Gorbachov era o líder da União Soviética.
 

quarta-feira, abril 26, 2017

Because we must not forget Guernica...


O CEDRO DE GUERNICA

No fragor da batalha
- que era como um troar de tempestade -
a árvore tombou
ceifada da metralha.
.....................................................................................
Todo o Euzcádi chorou
no cedro assassinado a morta liberdade.
.....................................................................................
Mas que importa perder o cedro de Guernica,
por momentos não ter ao sol o seu lugar,
se a luta que travais, gentes de Euzcádi implica
que cada "pueblo" tenha um cedro de Guernica
para não mais tombar?!

Álvaro Feijó (Novembro de 1938)

O músico francês Francis Lai nasceu há 85 anos

(imagem daqui)

Francis Lai, né à Nice le , est un compositeur et musicien français, spécialiste de musiques de films, de génériques et de chansons. Il est notamment l'auteur de la musique des films Un homme et une femme et Love Story, pour lequel il reçoit l'Oscar de la meilleure musique de film en 1970.


O bombardeamento de Guernica foi há 80 anos...

Ruínas de Guernica

O bombardeamento de Guernica, a 26 de abril de 1937, foi um ataque aéreo feito por aviões alemães da Legião Condor durante a Guerra Civil Espanhola no País Basco.
Coordenado por Wolfram von Richthofen e com suporte do Corpo Truppe Volontarie, o ataque destruiu a maior parte da localidade, na época com 5.000 - 7.000 habitantes, causando centenas de vítimas. Foi considerada um ataque terrível na época e usado como uma propaganda amplamente difundida no Ocidente, levando a acusações de "atentado terrorista" e de que 1.654 pessoas tinham morrido no ataque. Estimativas modernas avaliaram o número de mortos em cerca de 300 a 400.
O ataque, que serviu também para testar aviões de guerra e ganhar experiências no combate aéreo, apoiou as forças de Francisco Franco que invadiram a cidade poucos dias depois do bombardeamento.
O painel Guernica, pintado por Pablo Picasso em 1937, é normalmente tratada como representativa do bombardeamento sofrido pela cidade de Guernica.

(imagem daqui)




The Stone Roses - Guernica

Watch me at war really up
You wanna hurt me stop the row
We both are stitched up now
We're hard with fear hard speak up
You wanna hurt me stop the row
We both are stitched up now
We're whores sit down
We're whores that's us

He wanted us he swore and all we've got
You wanna hurt me stop the row
We both are stitched up now
We're hard with fear hard speak up
You wanna hurt me stop the row
We both are stitched up now
We're whores sit down
We're whores that's us

Simple lives yeah we don't have
We pack up in truth it seems this
See gargoyles can you see the wonder?
Yes I fear the carbine
What does never wrong mean?
That's right

Every one of us he swore so hurry up
You wanna hurt me stop the row
We both are stitched up now
We're hard with fear hard speak up
You wanna hurt me stop the row
Both of us are stitched up now
We're whores sit down
We're whores

That must mean sinful eyes that maim of fear
It's the look that stings I fear boy
Being distrusting I trust no one

They've been back down for nothing
It was never shared it's ours
We will know those names who follow

O sismólogo Richter nasceu há 117 anos

Charles Francis Richter (Hamilton, 26 de abril de 1900 - Pasadena, 20 de abril de 1985) foi um sismólogo norteamericano.
Richter ficou famoso ao criar, em colaboração com Beno Gutenberg, uma escala que quantifica a grandeza (energia libertada) pelos terramotos, que usou pela primeira vez em 1935. Richter e Gutenberg trabalhavam então no Instituto de Tecnologia da Califórnia (Caltech).
 

Mário de Sá-Carneiro suicidou-se há 101 anos



Fim

Quando eu morrer batam em latas,
Rompam aos saltos e aos pinotes,
Façam estalar no ar chicotes,
Chamem palhaços e acrobatas!

Que o meu caixão vá sobre um burro
Ajaezado à andaluza...
A um morto nada se recusa,
E eu quero por força ir de burro!

Mário de Sá Carneiro,
Paris, 1916

terça-feira, abril 25, 2017

Carmen Costa morreu há dez anos

Carmelita Madriaga, conhecida como Carmen Costa, (Trajano de Moraes, 5 de julho de 1920 - Rio de Janeiro, 25 de abril de 2007) foi uma cantora e compositora brasileira.
 
 

Uderzo nasceu há 90 anos

Albert Uderzo (Fismes, 25 de abril de 1927) é um desenhador francês, célebre por ter criado, em parceria com René Goscinny, o personagem Asterix, bem como outros personagens, como Humpá-Pá


O cantor brasileiro Agostinho dos Santos nasceu há 85 anos

Agostinho dos Santos (São Paulo, 25 de abril de 1932 - Paris, 12 de julho de 1973) foi um cantor e compositor brasileiro. O seu maior sucesso foi cantando músicas da peça Orfeu da Conceição e depois do filme Orfeu Negro, como Manhã de Carnaval e Felicidade. Participou da apresentação de bossa nova no Carnegie Hall, em Nova Iorque (1962). Faleceu, em 1973, num trágico desastre aéreo, nas imediações do Aeroporto de Orly, em Paris, no Voo Varig 820.



A Felicidade - Agostinho dos Santos
Tom Jobim /Vinicius de Moraes

Tristeza não tem fim
Felicidade, sim...

A felicidade é como a pluma
Que o vento vai levando pelo ar
Voa tão leve
Mas tem a vida breve
Precisa que haja vento sem parar...

A felicidade do pobre parece
A grande ilusão do carnaval
A gente trabalha o ano inteiro
Por um momento do sonho
P'ra fazer a fantasia de rei, ou de pirata, ou jardineira
E tudo se acabar na quarta-feira

Tristeza não tem fim
Felicidade, sim...

A felicidade é como a gota de orvalho
Numa pétala de flor
Brilha tranquila
Depois de leve oscila
E cai como uma lágrima de amor

A minha felicidade está sonhando
Nos olhos da minha namorada
É como esta noite
Passando, passando
Em busca da madrugada
Falem baixo por favor
P'ra que ela acorde alegre como o dia
Oferecendo beijos do amor

Tristeza não tem fim
Tristeza...

Manuel Freire - 75 anos!

(imagem daqui)

Manuel Augusto Coentro de Pinho Freire (Vagos, 25 de abril de 1942) é um cantor português.

Percurso
Frequentou o ensino liceal em Ovar e Aveiro, chegando a estudar Engenharia, em Coimbra e no Porto, sem se licenciar.
Entrou no Teatro Experimental do Porto, em 1967, aceitando um convite de Fernando Gusmão, onde faz a sua primeira actuação a sério no domínio da canção. Entretanto estreava-se na música, com um EP que continha "Dedicatória", "Eles", "Livre" e "Pedro Soldado", editado em 1968 pela Tecla. O cantor não escapou à censura, vindo a ser proibido o EP com os temas "Lutaremos meu amor", "Trova", "O sangue não dá flor" e "Trova do emigrante" devido a "O sangue não dá flor". É editado um single com os dois primeiros temas.
Em 1969 aparece no programa Zip-Zip onde lança Pedra Filosofal, com poema de António Gedeão, que popularizou e cuja interpretação lhe valeu o Prémio da Imprensa desse ano, em conjunto com Fernando Tordo. Foi distinguido também com o Prémio Pozal Domingues.
No ano de 1971 foi editado o EP "Dulcineia" e o álbum "Manuel Freire" onde aparecem os temas dos primeiros EP's e onde musicou poemas de António Gedeão, José Gomes Ferreira, Fernando Assis Pacheco, Eduardo Olímpio, Sidónio Muralha e José Saramago.
Em 1972 colaborou na banda sonora da longa-metragem de Alfredo Tropa, "Pedro Só". Em 1973 lança o EP com os temas "Abaixo D. Quixote", "Pequenos deuses Caseiros", "Menina Bexigosa" e "ouvindo bethoven". Ainda em 1973 participou no LP "De Viva Voz" de José Jorge Letria, gravado ao vivo também com a participação de José Afonso.
A editora Zip-Zip lança em 1974 o LP "Manuel Freire" com os EP's e singles gravados para aquela editora.
Em 1977 lança um single com os temas "Que Faço Aqui" e "Um Dia" da peça "os emigrantes" de Slawomir Mrozek para o Teatro Experimental do Porto. Contou com a colaboração de Luís Cília no LP "Devolta" de 1978 editado pela Lamiré. Em 26 de janeiro de 1979 revelava ao Diário de Lisboa que pretendia fazer um disco infantil.
Em 1986, o disco lançado pela CGTP-IN, "100 Anos de Maio", inclui a sua música "Cais das Tormentas".
O disco "Pedra Filosofal" é lançado pela Strauss em 1993. Em 1995 actuou na Festa do Avante numa homenagem a Adriano Correia de Oliveira, onde foi acompanhado pela Brigada Victor Jara.
A 9 de junho de 1995 foi feito Oficial da Ordem da Liberdade. Em 1996 recebeu a Medalha de Prata do concelho de Ovar.
"Lágrima de Preta" foi incluído na compilação "Sons de Todas as Cores", de 1997. Colaborou ainda no disco "Florestas Em Movimento", com Carlos Alberto Moniz, patrocinado pela Direcção Geral das Florestas, e na compilação "Pelo sonho é que fomos".
O disco As Canções Possíveis, onde canta a poesia de José Saramago, de "Os Poemas Possíveis", foi editado em 1999 pela Editorial Caminho.
Em 2003, no seguimento da contestação a Luiz Francisco Rebello, tornou-se presidente da Direcção da Sociedade Portuguesa de Autores, acumulando com as funções de administrador-delegado até 2007.
Colaborou com José Jorge Letria e Vitorino num CD para crianças acerca da Revolução dos Cravos, intitulado "Abril, Abrilzinho", que foi editado em 2006.
 
 

Ella Fitzgerald nasceu há 100 anos!

Ella Fitzgerald, fotografada por Carl Van Vechten, a 19 de janeiro de 1940

Ella Jane Fitzgerald (Newport News, 25 de abril de 1917 - Beverly Hills, 15 de junho de 1996) também conhecida como a "Primeira Dama da Canção" (em inglês: First Lady of Song) e "Lady Ella", foi uma popular cantora de jazz norteamericana. Com uma extensão vocal que abrangia três oitavas, era notória pela pureza da sua tonalidade, a sua dicção, fraseado e entonação impecáveis, bem como uma habilidade de improviso "semelhante a um instrumento de sopro", particularmente no scat.
Considerada uma das intérpretes supremas do chamado Great American Songbook, teve uma carreira que durou 59 anos, venceu 14 prémios Grammy e recebeu a Medalha Nacional das Artes do presidente americano Ronald Reagan, bem como a Medalha Presidencial da Liberdade, do sucessor de Reagan, George H. W. Bush.
Não raramente é apontada, por críticos e músicos, como a maior cantora do século XX.

Rogério Flausino, o vocalista dos Jota Quest, faz hoje 45 anos

Rogério Flausino, nome artístico de Rogério Oliveira de Oliveira (Alfenas , 25 de abril de 1972) é um cantor, músico e compositor brasileiro. Mais conhecido por ser vocalista da banda Jota Quest, é irmão dos também cantores Wilson Sideral e Flávio Landau e primo de Marcus Menna (vocalista da banda LS Jack).


Porque hoje é o 25 de abril


Abril 74 - Josep Carreras i Lluís Llach junts

Companys, si sabeu on dorm la lluna blanca,
digueu-li que la vull
però no puc anar a estimar-la,
que encara hi ha combat.


Companys, si coneixeu el cau de la sirena,
allà enmig de la mar,
jo l'aniria a veure,
però encara hi ha combat.


I si un trist atzar m'atura i caic a terra,
porteu tots els meus cants
i un ram de flors vermelles
a qui tant he estimat,
si guanyem el combat.


Companys, si enyoreu les primaveres lliures,
amb vosaltres vull anar,
que per poder-les viure
jo me n'he fet soldat.


I si un trist atzar m'atura i caic a terra,
porteu tots els meus cants
i un ram de flors vermelles
a qui tant he estimat,
quan guanyem el combat.

NOTA: para os que não sabem catalão, uma tradução daqui:

Companheiros, se sabeis onde dorme a nuvem branca
Dizei-lhe que a quero
Mas não posso ir amá-la
Porque aqui ainda há combate.

Companheiros, se conheceis o canto da sereia,
Lá, no meio do mar
Eu iria vê-la
Mas aqui ainda há combate.

E se um triste azar me barra e caio por terra
Levai todos os meus cantos
E um ramo de flores vermelhas
A quem tanto amei,
Se ganharmos o combate.

Companheiros, se desejais as primaveras livres
Quero ir convosco
Que para poder vivê-las
Me fiz soldado.

E se um triste azar me barra e caio por terra
Levai todos os meus cantos
E um ramo de flores vermelhas
A quem tanto amei,
Quando ganharmos o combate.

segunda-feira, abril 24, 2017

Abel Botelho morreu há um século

Retrato de Abel Botelho (1889) de António Ramalho

Abel Acácio de Almeida Botelho (Tabuaço, 23 de setembro de 1854 - Argentina, 24 de abril? de 1917) foi um coronel de Estado-Maior do Exército, escritor, político e diplomata português, representante em Portugal do realismo extremo, conhecido como Naturalismo. Escreveu, entre outros, o O Barão de Lavos e O Livro de Alda, os dois primeiros títulos da série Patologia Social.

O pai do Fundador de Portugal morreu há 905 anos

Henrique de Borgonha conhecido em Portugal por Conde D. Henrique (1066 - Astorga, 12 de maio de 1112) foi conde de Portucale desde 1093 até à sua morte.
Pertencia à família ducal da Borgonha, sendo filho de Henrique, herdeiro do duque Roberto I com Sibila da Borgonha, e irmão dos também duques Odo I e Hugo I. Sendo um filho mais novo, D. Henrique tinha poucas possibilidades de alcançar fortuna e títulos por herança, tendo por isso aderido à Reconquista da península Ibérica. Ajudou o rei Afonso VI de Leão a conquistar o Reino da Galiza, recebendo como recompensa pelos seus serviços casamento com a filha ilegítima do monarca, Teresa de Leão. Alguns anos mais tarde, em 1096, D. Henrique recebeu de Afonso VI o Condado Portucalense, que passava prestar-lhe vassalagem directa. O rei de Leão pretenderia assim limitar o poder do conde Raimundo de Borgonha, casado com Urraca de Leão.
Henrique morreu a 24 de abril de 1112, tendo sido sepultado na Sé de Braga. O seu filho D. Afonso Henriques sucedeu ao pai e tornou-se o segundo conde de Portucale em 1112. No entanto, o jovem Afonso Henriques rebelou-se contra a sua mãe, em 1128, que pretendia manter-se no governo do condado. Por isso, em 1139 Afonso reafirmou-se independente de Leão e proclamou-se Rei de Portugal, recebendo o reconhecimento oficial de Leão em 1143 e do Papado em 1179.



(imagem daqui)



O Conde D. Henrique

Todo começo é involuntário.
Deus é o agente.
O herói a si assiste, vário
E inconsciente.

À espada em tuas mãos achada
Teu olhar desce.
“Que farei eu com esta espada?”

Ergueste-a, e fez-se.
  
 
in Mensagem - Fernando Pessoa 
 

Barbra Streisand - 75 anos

Barbara Joan Streisand, (Brooklyn, Nova Iorque, 24 de abril de 1942), conhecida como Barbra Streisand, é uma cantora, compositora, atriz, diretora e produtora cinematográfica norte-americana, judia, vencedora de 2 Óscares, tendo sido nomeada para mais três estatuetas. Além dos dois Óscares, já ganhou oito Grammy, quatro Prémios Emmy, um prémio Tony especial e um American Film Institute.


Sérgio Buarque de Holanda morreu há 35 anos

Sérgio Buarque de Holanda (São Paulo, 11 de julho de 1902 - São Paulo, 24 de abril de 1982) foi um historiador brasileiro. Foi também crítico literário, jornalista e um dos fundadores do Partido dos Trabalhadores (PT).

Billy Paul morreu há um ano...

Billy Paul (nascido Paul Williams; Filadélfia, 1 de dezembro de 1934 - Blackwood, 24 de abril de 2016) foi um cantor de soul estadunidense, vencedor do Grammy, mais conhecido por seu single, 1º lugar nas paradas, "Me and Mrs. Jones", assim como o álbum de 1973 e o single "War of the Gods", que combina os estilos pop mais convencional, soul e funk com influências de estilos de música eletrónica e psicadélica. Ele é normalmente identificado por seu estilo vocal diverso que varia de um soul suave para uma voz um estilo baixo e rouco.

(...)

Faleceu em 24 de abril de 2016, devido a problemas de saúde, causados por um cancro do pâncreas.


Há 50 anos Vladimir Komarov foi o primeiro homem a morrer no espaço

Vladimir Mikhailovich Komarov (Moscovo, 16 de março de 1927 - Oblast de Oremburgo, 24 de abril de 1967) cosmonauta soviético, primeiro soviético a ir ao espaço duas vezes e o primeiro homem a morrer numa missão espacial, a bordo da nave Soyuz 1, em abril de 1967.

(...)

Em 1967 ele realizou o seu segundo voo espacial, desta vez sozinho na nova nave Soyuz 1, um voo repleto de problemas em órbita e que terminou em tragédia, na reentrada na atmosfera, quando o pára-quedas principal de freio da cápsula não abriu e ela se espatifou e explodiu no solo, matando Komarov.
Pouco antes do impacto, o primeiro-ministro soviético Alexei Kossygin disse a Komarov que o seu país estava orgulhoso dele. Um posto de escuta da Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos, em Istambul, Turquia, revelou que a resposta de Komarov foi inaudível, apesar dos persistentes rumores, na época, de que ele morreu maldizendo os construtores da nave e o controle de terra.
Desde sua morte, começaram a aparecer notícias de que a nave Soyuz tinha problemas de concepção e funcionamento desde o início e não estaria em condições de realizar uma missão espacial tripulada, mas, apesar das objeções dos engenheiros do programa espacial, o voo teria acontecido por pressões de líderes políticos soviéticos, que desejavam uma grande missão espacial de comemoração do aniversário de nascimento de Lenine.
 


Kelly Clarkson - 35 anos

Kelly Brianne Clarkson (Fort Worth, 24 de abril de 1982) é uma cantora e compositora, ocasionalmente atriz, de origem norte-americana
 
 

Foi já há dez anos que foi descoberta uma Super Terra

Comparação de tamanho entre a Terra, Gliese 581c e Neptuno

Gliese 581 c (apelidado pelos astrónomos de "Super Terra") é um planeta extrassolar que orbita a estrela anã vermelha Gliese 581 da constelação de Libra, localizado a 20,5 anos-luz da Terra. A estrela em que gira ao redor possui 1/3 da massa do Sol e emite 50 vezes menos energia. Este planeta aparenta orbitar na zona habitável, tal como a Terra no sistema solar, o que significa que poderá conter água no estado líquido. É o primeiro planeta extrassolar possivelmente habitável encontrado na história.
A descoberta do planeta foi anunciada por astrónomos da França, Portugal e Suíça, a 24 de abril de 2007, liderados por Stéphane Udry, do Observatório de Genebra, usando o instrumento HARPS do ESO (Observatório Europeu do Sul), localizado no Chile. A equipa usou a técnica de velocidade radial.

Concepção artística da possível aparência de Gliese 581c
 

Hoje é dia de recordar o Genocídio Arménio...


Na noite de 24 de abril de 1915 (o Domingo vermelho) foram aprisionados em Constantinopla mais de seiscentos intelectuais, políticos, escritores, religiosos e profissionais arménios, que foram levados à força para o interior do país e selvaticamente assassinados.
Em 24 de abril de 1915, o Domingo vermelho, foi a noite em que os líderes dos arménios da capital otomana e depois outros centros foram presos e enviados para dois centros de detenção perto de Ancara pelo então ministro do Interior, Mehmed Talat, com s sua ordem ,em 24 de abril de 1915. Estes arménios foram posteriormente deportados com a aprovação da Lei Tehcir (sobre confisco e deportação) de 29 de maio de 1915. A data de 24 de abril, Dia da Memória do Genocídio, relembra a deportação dos notáveis arménios da capital otomana, em 1915, como a precursora para os eventos que se seguiram.
Na sua ordem de 24 de abril de 1915, Talat alegou que os comités arménios "há muito tempo perseguem autonomia administrativa e este desejo é exibido uma vez mais, em termos inequívocos, com a inclusão dos arménios russos que assumiram uma posição contra nós, com o Comité Daschnak e nas regiões de Zeitun, Bitlis, Sivas e Van, de acordo com as decisões já tomadas no Congresso arménio em Erzurum". Em 1914, as autoridades otomanas já tinha começado a propaganda (desinformação) para mostrar os arménios que viviam no Império Otomano como uma ameaça à segurança. Um oficial naval do Ministério da Guerra descreveu o planeamento:
Na noite de 24 de abril de 1915, o governo otomano prendeu cerca de 250 intelectuais arménios e líderes comunitários. Esta data coincidiu com desembarques de tropas aliadas em Galípoli, após as infrutíferas tentativas aliadas de romper o cerco aos Dardanelos para Constantinopla, em fevereiro e março de 1915.
 Mapa dos locais de massacres e campos de extermínio e deportação no território otomano

(...)

Acredita-se que cerca de 1,5 milhão de arménios foram mortos durante o genocídio. Dentre eles, vários morreram assassinados por tropas turcas, em campos de concentração, queimados, enforcados e até mesmo atirados amarrados ao rio Eufrates, mas a maior parte dos arménios morreu por inanição, ou seja, falta de água e alimento.
Os sobreviventes do genocídio saíram do Império Otomano e instalaram-se em diversos países. Esse fato é chamado de diáspora arménia. É estimado que a diáspora arménia contou com mais de oito milhões de arménios. O número de arménios no Brasil, conforme as estimativas, chega a 25 mil, na sua maioria em São Paulo.
   
Monumento comemorativo em Lárnaca, Chipre, um dos primeiros países a reconhecer o genocídio
 
in Wikipédia