segunda-feira, fevereiro 19, 2018

Bon Scott morreu há 38 anos

Ronald Belford Scott (Kirriemuir, 9 de julho de 1946 - Londres, 19 de fevereiro de 1980), mais conhecido pelo nome artístico de Bon Scott, foi um cantor escocês. Ele ficou mundialmente conhecido por ser vocalista e compositor da banda de rock australiana AC/DC de 1974 a 1980.
Em 2006, a revista Hit Parader colocou Scott como o 5º melhor vocalista de heavy metal de todos os tempos.
Iniciou a sua carreira com a banda The Spektors, logo depois formando The Valentines, onde conheceu o seu amigo Vince Lovergrove, que trabalharia no seu próximo projeto, os Fraternity; logo após a separação do grupo, integrou os AC/DC, onde lançou sete discos, vindo a falecer logo após o lançamento do último álbum com Bon nos vocais, Highway to Hell, que os levou à fama mundial. Depois da sua morte foi substituído por Brian Johnson. Antes de substituir Dave Evans nos vocais, era motorista de carrinhas
   
Biografia
As suas bandas anteriores incluíram The Spektors e Valentines, nas quais não realizou trabalho semelhante ao feito com os AC/DC. Outro grupo no qual participou foi os Mount Lofty Rangers.
Bon estava a trabalhar como motorista da banda AC/DC quando foi chamado para tocar como baterista. Mas rapidamente Bon passou a ser o vocalista da banda, pois dizia que o cantor era o que arranjava mais namoradas na época.
A sua influência musical inicial veio do pai, que era músico na sua cidade natal, na Escócia. Bon tocava bateria, gaita de fole, como pode ser ouvido na canção "It's a Long Way to the Top", e também tocava flauta doce - veja-se a música "Seasons of Change", dos Fraternity (antiga banda de Bon). As suas letras abordavam principalmente temas como mulheres, carros, bebidas e divertimento.
    
Morte
A sua morte até hoje não foi bem explicada, após a turnê de divulgação do álbum Highway to Hell pela Europa, Bon resolveu passar uns dias em Londres, para rever amigos. A tragédia teve início numa tradicional noite de bebedeira, coisa que a Bon estava realmente acostumado. Bon e um amigo seu, chamado Alistar Kinnear, foram tomar algumas bebidas no Music Machine, um clube noturno localizado em Camden Town. Depois de muitas rodadas, a dupla foi para Ashby Court, onde Bon vivia naquela época. No caminho, Bon desmaiou no banco de trás do veículo. Kinnear não ligou e seguiu em frente. Quando chegou à casa do vocalista do AC/DC, Kinnear tentou acordar Bon e levá-lo para a cama, porém não conseguiu acordar o seu companheiro, que estava num avançado estado de embriaguez. Kinnear desistiu da ideia e seguiu dirigindo para o seu próprio apartamento. Chegando lá, nova tentativa frustrada de tirar o amigo, bêbado, do veículo. Assim decidiu deixar Bon dormindo no banco de trás do automóvel, um Renault 5, em Overhill Road, uma estrada em Dulwich. Quando Kinnear voltou na manhã seguinte para ver seu amigo, já era tarde demais. Bon estava morto, praticamente congelado dentro do pequeno automóvel. Ele ainda levou o amigo às pressas para o Kings College Hospital, de Londres, que declarou que o músico já chegou sem vida nas Urgências. O atestado de óbito informou que Bon Scott havia falecido por causa de overdose e ‘death by misadventure’ (morte por desventura, ou por desgraça). Nos jornais da época foi também noticiado que o músico teria sufocado com o próprio vómito e que a baixa temperatura da madrugada e as suas constantes crises de asma colaboraram para a tragédia daquela fria manhã de 19 de fevereiro de 1980, um dos dias mais tristes do rock n’ roll.
Após a entrada de Brian Johnson o som do AC/DC mudou, mas sem perder as suas características, perdendo um pouco do balanço e da influência dos blues que emanavam de Bon, mas ganhando outras que com Bon talvez nunca fossem exploradas. Bon também é considerado por várias pesquisas um dos melhores cantores de rock. Numa lista divulgada pela revista Kerrang, Bon Scott ficou na 5ª posição dos maiores ícones do rock.
  
 

1 comentário:

Unknown disse...

A break like a breath, necessary!
See you soon !

voyance gratuite par mail