quinta-feira, abril 05, 2007

Emanações colocam em risco residentes de habitação no Faial

imagem: CVARG

Emanações de dióxido de carbono no Faial colocam em risco os residentes de uma habitação na ilha do Faial

Investigadores do Centro de Vulcanologia e Avaliação de Riscos Geológicos da Universidade dos Açores (CVARG) confirmaram a existência de libertações de dióxido de carbono numa área residencial da freguesia de Praia de Almoxarife, tendo concluindo que o fenómeno coloca em risco os moradores de uma habitação. Em períodos de maior desgaseificação, os proprietários têm sentido mesmo dificuldades respiratórias, aceleração da respiração, cansaço, dores de cabeça, e irritação da vista e das vias respiratórias.

De acordo com o estudo de detalhe agora efectuado, os investigadores do CVARG constataram que a habitação em causa se encontra edificada sobre uma área de anomalia geoquímica relacionada com processos de desgaseificação difusa de dióxido de carbono, associada à importante falha da Lomba do Facho. Tal situação leva a que este gás esteja permanentemente a ser introduzido no interior da habitação, podendo atingir valores muito acima do admissível em termos de saúde pública.

Teresa Ferreira, responsável pelos trabalhos de campo realizados na passada semana na ilha do Faial, refere que pensa que “em condições extremas os valores de dióxido de carbono encontrados no interior da residência podem conduzir a situações de asfixia pelo que os moradores devem ser realojados de imediato num outro local”. Segundo a investigadora, “o fenómeno de desgaseificação pode igualmente afectar algumas das casas vizinhas que, por se encontrarem fechadas, não foram observadas nesta fase”.

Nos últimos dias são várias as ocorrências que têm levado investigadores do CVARG ao Faial, ilha onde no passado dia 01 de Fevereiro se registou um sismo sentido e que tem sido notícia pelas escoadas detríticas que se estão a formar na Ribeira Funda. Estas intervenções do CVARG foram realizadas no âmbito da assessoria técnico-científica prestada ao Serviço Regional de Protecção Civil e Bombeiros dos Açores.

Notícia do Centro de Vulcanologia e Avaliação de Riscos Geológicos, Universidade dos Açores

2 comentários:

Carlos Faria disse...

Bem... digamos que para eventos ocorridos no início de Fevereiro, os geopedrados andam bem atrasados, ao colocarem um post a 5 de Abril sobre a matéria... qualquer forma, os valores que nestes quase dois meses têm sido registados são efectivamente preocupantes na residência... na Ribeira Funda o risco há-de continuar e eventos semelhantes hão-de ocorrer no futuro... tal como já aconteceu em 1998... de lá para cá, no Faial estamos também com uma crise sísmica e para as bandas do Grupo Oriental sismos de maior magnitude também os afectam.... têm de estar mais atentos ao que por cá se passa

Fernando Oliveira Martins disse...

Caro Geocrusoe:

É verdade... isto tem sido uma trabalheira... e há muito tempo não ía aos meus sites favoritos açoreanos...!