domingo, abril 22, 2007

Dia da Terra - versão IPPAR

Gruta do Escoural está sem visitas por falta de funcionários


Surge nos principais roteiros turísticos do distrito de Évora e são mais de uma dezena as placas que longo da Nacional 4, entre Lisboa e Montemor-o-Novo, sinalizam a gruta do Escoural. Mas a célebre caverna permanece fechada ao público por falta de funcionários que guiem as visitas. O Instituto Português do Património Arquitectónico (IPPAR), que gere este sítio arqueológico, não sabe quando terá condições para proceder à sua reabertura e também já encerrou o centro de interpretação, em plena aldeia, pelo mesmo motivo.

Era através deste centro que no último ano ainda era possível marcar visitas à gruta, mas a transferência da única funcionária para outros serviços em Évora, há um mês, acabou com a alternativa que restava.

Os visitantes "são às dezenas, sobretudo aos fins-de-semana", segundo Ana Paula Ciríaco, funcionária do posto de turismo de Montemor-o- -Novo, concelho a que pertence a freguesia de Santiago do Escoural.

A população não esconde a revolta. "Começamos a ter vergonha de dizer que aquilo está fechado", lamenta José Santos. "Belos tempos em que o 'Chico' desenrascava a malta", comenta. "Chico" é Francisco Porteiro, um trabalhador rural já aposentado que durante 30 anos guardou a gruta e fez de guia, sem pronunciar uma palavra em estrangeiro. Recorria à iluminação através de petromax, que deixava um "cheiro insuportável a petróleo".

É isto que o IPPAR não quer que se repita, assume a directora no Alentejo, Filomena Barata, embora os vários licenciados em Antropologia e Arqueologia que passaram pela gruta ali tenham permanecido escassos dias, por falta de "conforto e segurança". Não tinham aquecimentos e estavam isolados - a gruta está a três quilómetros da povoação.

"Espero que seja uma situação temporária, até porque é dos sítios mais visitados", assume Filomena Barata, sem no entanto adiantar números. Admitindo que a solução passa por uma parceria com a Câmara de Montemor. Desta vez o IPPAR quer construir o centro interpretativo junto à gruta e não na aldeia, a fim de valorizar o complexo.

in DN - texto de ROBERTO DORES, Évora - notícia aqui

Site da Gruta do Escoural - AQUI

3 comentários:

Carlos Faria disse...

Não sou um apaixonado por espeleologia, mas já visitei várias grutas no Maciço Calcário Estremenho, como explorei, nalguns casos quase em primeira mão com os Montanheiros da Terceira, muitas grutas em S. Miguel, Terceira e, sobretudo, no Pico. Faz-me pena saber da falta de respeito à valorização do nosso património espeleológico... já agora um publicidadezinha: quando forem ao Pico, não percam a gruta das Torres (quando a explorei não era ainda conhecida) e, na Terceira, visitem o Algar do Carvão.

Fernando Oliveira Martins disse...

Caro "Geocrusoe":

Eu estou a iniciar-me nas Espeleologias...

A gruta aqui referida (Escoural) é no Alentejo e é a única gruta portuguesa com pinturas rupestres...

Faz bem publicitar as grutas açorianas (só se esqueceu da Furna do Enxofre na Graciosa da Gruta do Carvão em s. Miguel...).

Para o ano, se tudo correr bem, volto aos Açores com professores e vamos ver se a malta se encontra...

Carlos Faria disse...

não me esqueci... referi as minhas favoritas... há mais entre as que gosto como a dos Montanheiros e do Frei Matias (a zona afastada do local normalmente visitado da estrada)