segunda-feira, junho 24, 2019

Poema adequado à data...

(imagem daqui)

S. João da Cruz


Um santo e um poeta de mãos dadas!
Um a negar o outro, e sempre unidos…
Um no céu das vivências sublimadas,
Outro a penar no inferno dos sentidos…

Ah, Castela, Castela, mãe de terra e luz!
Que singular jornada,
À sombra de uma cruz
Tão leve e tão pesada!

A alma já liberta por ascese;
O corpo preso ainda a cada verso;
E o gosto de ser homem, preservado
Na totalidade
Contraditória.
O Carmelo subido e recordado…
A paz da eternidade
Sem possível sossego na memória.

in
Poemas Ibéricos - Miguel Torga

1 comentário:

Unknown disse...

Congratulations for your site that I visit almost every day, it is very well done and pleasant. I became addicted everything is beautiful.

voyance mail gratuite