quarta-feira, janeiro 02, 2019

A sonda espacial Luna 1 foi lançada há sessenta anos

Luna 1 (E-1 No.4), também conhecido em russo como Мечта ou "Sonho", foi a primeira sonda bem sucedida do Programa Luna (um projeto soviético). A sua missão, lançada em 2 de janeiro de 1959, foi a primeira a chegar perto (cerca de 6.000 km) da Lua com sucesso, enviando para a Terra muitas fotografias.

Missão
Enquanto viajava fora do cinturão de radiação Van Allen, o cintilador da sonda detectou um pequeno número de partículas subatómicas fora do cinturão. Além disso, foram feitas outras descobertas sobre o cinturão de radiação e o espaço exterior. Não foi detectado nenhum campo magnético na Lua. Foram efetuadas as primeiras observações e medições dos ventos solares, que é um grande fluxo de plasma ionizado emanado do Sol que se espalha pelo espaço interplanetário. Essa concentração de plasma ionizado, foi medida, e ficou em torno de 700 partículas por cm3 à distância de 20 a 25 mil km e cerca de 300 a 400 partículas por cm3 à distância de 100 a 150 mil km. Essa sonda também executou a primeira comunicação de rádio a distância de 500.000 km da Terra.
Um mau funcionamento no sistema de controle em terra causou um erro no tempo de ignição do foguete, e a sonda errou o seu alvo, passando a 5.900 km da Lua no ponto de maior aproximação. Depois disso, a Luna 1 se tornou o primeiro objeto feito pelo homem a entrar em órbita heliocêntrica e foi considerado um "novo planeta", sendo rebatizado para Mechta ("Sonho"). A sua órbita ficou entre a da Terra e a de Marte. O nome "Luna-1" foi aplicado de forma retroativa, anos mais tarde. O nome "Luna-1" é também considerado como "primeiro foguete cósmico", em referência ao facto de ter atingido a velocidade de escape da Terra. 


Enviar um comentário