quinta-feira, dezembro 06, 2018

O pastor Anton Praetorius morreu há 405 anos

Anton Praetorius (Lippstadt, 1560 - Laudenbach, Baden, 6 de dezembro de 1613) foi um pastor calvinista e teólogo alemão, escritor e que lutou contra os processos contra bruxas e a tortura neles aplicada.

Em 1596 ele foi capelão da corte do principado de Birstein (perto de Frankfurt am Main). Em 1597 o príncipe chamou Praetorius como membro do Tribunal contra a bruxaria. Praetorius protestou contra a tortura e conseguiu o terminus do processo e, assim, que a mulher que estava a ser acusada da bruxaria foi libertada. É o único caso conhecido em que um sacerdote durante um processo contra uma feiticeira exigiu o terminus da tortura inumana e que teve êxito.
Praetorius perdeu a sua missão como capelão do corte do príncipe e foi depois, a partir de 1598, padre em Laudenbach (Bergstraße). Publicou, sob o pseudónimo do seu filho Johannes Scultetus, em 1598, o livro “Gründlicher Bericht von Zauberey und Zauberern” (“Relatório profundo da magia, mágicos e feiticeiros”) contra a quimera da bruxaria e tortura.
Em 1602 Praetorias teve a coragem de publicar a segunda edição do profundo relatório com o seu próprio nome. Em 1613 foi publicado a terceira edição com um prefacio pessoal. Em 1629 desconhecidos publicaram a quarta edição do Relatório profundo da magia, mágicos e feiticeiros.

Enviar um comentário