terça-feira, julho 10, 2018

O tenista Arthur Ashe nasceu há 75 anos

Arthur Robert Ashe, Jr. (Richmond, 10 de julho de 1943 - Nova York, 6 de fevereiro de 1993) foi um tenista norte-americano, que também é lembrado pelos seus esforços nas causas sociais que apoiava.
Quando jovem, Ashe era pequeno e mal coordenado. Mas quando entrou para o colegial iniciou-se no ténis, no basquetebol e no futebol americano. No ténis, ganhou o campeonato estadual, enquanto no futebol ajudou a sua equipa no campeonato da cidade como um recebedor veloz.
Em 1965, Ashe ganhou o campeonato individual da NCAA. Era também um jogador principal na UCLA, tendo ganhado o campeonato da equipe NCAA no mesmo ano. Com esta carreira bem sucedida e o apoio da faculdade, Ashe ascendeu rapidamente ao elenco superior de jogadores do ténis no mundo todo, após a sua profissionalização em 1966.
Em 1969, a maioria das pessoas consideraram Ashe o melhor jogador masculino americano de ténis. Já havia ganhado o Aberto dos Estados Unidos inaugural, em 1968, e tinha ajudado a levar a equipa à vitória da Taça Davis dos Estados Unidos, no mesmo ano. Interessado em fazer com que os profissionais do ténis recebessem os prémios proporcionais à popularidade crescente do desporto, Ashe foi uma das figuras chaves da formação da Associação de Tenistas Profissionais (ATP). Neste meio, Ashe conseguiu que a África do Sul fosse excluída do circuito profissional do ténis. Em 1970, ele adicionou um segundo título do Grand Slam, o Aberto da Austrália, ao seu já anterior US Open.
Em 1975, após diversos anos em níveis mais baixos da classificação, Ashe jogou a sua melhor temporada, ganhando o Torneio de Wimbledon, derrotando inesperadamente Jimmy Connors na final. Ashe obteria finalmente a sua melhor posição no ranking mundial, de número 2, no ano seguinte. Jogaria mais alguns anos, mas após ser prejudicado pela cirurgia ao coração em 1979, Ashe retirou-se em 1980.
Em 1975 também foi considerado o melhor do mundo pela World Tennis Magazine em 1975.
Após sua saída dos campos, Ashe tentou muitas tarefas novas, da escrita à comentador de desporto para a ABC, de fundar a liga júnior nacional do ténis, ao serviço como o capitão da equipa da Taça Davis dos Estados Unidos. Em 1983, Ashe submeteu-se à sua segunda cirurgia ao coração. Surpreendentemente, foi escolhido para o Hall de Fama do Ténis em 1985.
A história da vida de Ashe, entretanto, passou do sucesso para a tragédia em 1988, quando Ashe descobriu que tinha contraído o HIV durante as transfusões de sangue que recebeu numa de suas duas cirurgias ao coração. Ele e a sua esposa mantiveram a doença confidencial até 8 de abril de 1992, quando os boatos o forçaram a fazer um anúncio público de que tinha a doença. No último ano de sua vida, Arthur Ashe fez muito para chamar a atenção para os doentes de SIDA em todo o mundo. Dois meses antes de sua morte, fundou o Instituto Arthur Ashe para a Saúde Urbana. Gastou também muito dos últimos anos de sua vida escrevendo as suas memórias, tendo terminado o manuscrito menos de uma semana antes de sua morte.
Ashe morreu, das complicações resultante da SIDA, a 6 de fevereiro de 1993.
A cidade de Richmond, onde Ashe nasceu, homenageou-o postumamente com uma estátua. Esta decisão conduziu a alguma controvérsia numa cidade que foi a capital dos Estados Confederados durante a Guerra Civil Americana.
O estádio principal, onde os torneios do Aberto dos Estados Unidos são disputados, é denominado Estádio de Arthur Ashe em sua honra.
Em 2005, o serviço postal dos Estados Unidos da América anunciou a emissão de um selo postal comemorativo sobre Arthur Ashe. 
 

Enviar um comentário