quarta-feira, dezembro 30, 2015

Rudyard Kipling nasceu há 150 anos!

Joseph Rudyard Kipling (Bombaim, 30 de dezembro de 1865 - Londres, 18 de janeiro de 1936) foi um autor e poeta britânico, conhecido por livros como "The Jungle Book" (1894), "The Second Jungle Book" (1895), "Just So Stories" (1902) e "Puck of Pook's Hill" (1906); a sua novela, "Kim" (1901); os seus poemas, incluindo "Mandalay" (1890), "Gunga Din" (1890), "If"[2] (1910) e "Ulster 1912" (1912); e os seus muitos contos curtos, incluindo "The Man Who Would Be King" (1888) e as compilações "Life's Handicap" (1891), "The Day's Work" (1898), e "Plain Tales from the Hills" (1888).
É considerado o maior "inovador na arte do conto curto"; os seus livros para crianças são clássicos da literatura infantil; e o seu melhor trabalho dá mostras de um talento narrativo versátil e brilhante.
Foi um dos escritores mais populares da Inglaterra, em prosa e poesia, no final do século XIX e início do XX. O autor Henry James referiu: "Kipling impressiona-me pessoalmente como o mais completo homem de génio (o que difere de inteligência refinada) que eu jamais conheci". Foi laureado com o Nobel de Literatura em 1907, tornando-se o primeiro autor de língua inglesa a receber esse prémio e, até hoje, o mais jovem a recebê-lo. Entre outras distinções, foi sondado em diversas ocasiões para receber a Láurea de Poeta Britânico e um título de Cavaleiro, o que rejeitou. Ainda assim, Kipling tornou-se conhecido (nas palavras de George Orwell) como um "profeta do imperialismo britânico". Muitos viam preconceito e militarismo nas suas obras e a controvérsia sobre esses temas em sua obra perdurou por muito tempo ainda no século XX. De acordo com o crítico Douglas Kerr: "Ele ainda é um autor que pode inspirar discordâncias apaixonadas e o seu lugar na história da literatura e da cultura ainda está longe de ser definido. Mas à medida que a era dos impérios europeus retrocede, ele é reconhecido como um intérprete incomparável, ainda que controverso, de como o império era vivido. Isso, e um reconhecimento crescente de seus extraordinários talentos narrativos, faz dele uma força a ser respeitada". O seu poema "If" (Se) é geralmente interpretado como referindo-se ao tradicional estoicismo britânico e foi inspirado em Leander Starr Jameson..
Uma das suas obras, o "Livro da Selva", foi adotado por Robert Baden-Powell, fundador do Escutismo como cenário para as atividades com jovens de 7 aos 10 anos, denominando-se os jovens dessa faixa etária como Lobitos.



If
"If you can keep your head when all about you Are losing theirs and blaming it on you, If you can trust yourself when all men doubt you, But make allowance for their doubting too; If you can wait and not be tired by waiting, Or being lied about, don't deal in lies, Or being hated, don't give way to hating, And yet don't look too good, nor talk too wise:
If you can dream—and not make dreams your master; If you can think—and not make thoughts your aim; If you can meet with Triumph and Disaster And treat those two impostors just the same; If you can bear to hear the truth you've spoken Twisted by knaves to make a trap for fools, Or watch the things you gave your life to, broken, And stoop and build 'em up with worn-out tools:
If you can make one heap of all your winnings And risk it on one turn of pitch-and-toss, And lose, and start again at your beginnings And never breathe a word about your loss; If you can force your heart and nerve and sinew To serve your turn long after they are gone, And so hold on when there is nothing in you Except the Will which says to them: 'Hold on!'
If you can talk with crowds and keep your virtue, Or walk with Kings—nor lose the common touch, If neither foes nor loving friends can hurt you, If all men count with you, but none too much; If you can fill the unforgiving minute With sixty seconds' worth of distance run, Yours is the Earth and everything that's in it, And—which is more—you'll be a Man, my son!"

Enviar um comentário