quarta-feira, janeiro 09, 2019

Jimmy Page, o mítico guitarrista dos Led Zeppelin, faz hoje 75 anos!

James Patrick "Jimmy" Page (Heston, 9 de janeiro de 1944), é um musico, produtor musical e compositor inglês, que alcançou sucesso internacional como o lendário guitarrista da banda de rock Led Zeppelin.
Page começou a sua carreira como músico de estúdio em Londres e, em meados da década de 60, tornou-se o guitarrista de sessão mais procurado no Reino Unido. Ele foi um membro dos Yardbirds de 66 a 68 e, posteriormente, fundou os Led Zeppelin.
Page é amplamente considerado como um dos melhores e mais influentes guitarristas de todos os tempos. A revista Rolling Stone descreve-o como o "pontífice dos riffs" e classificou-o em terceiro lugar na lista dos "100 Maiores Guitarristas de Todos os Tempos". Em 2010 foi classificado em segundo lugar na lista dos "50 Melhores Guitarristas de Todos os Tempos". Ele foi colocado duas vezes no Rock and Roll Hall of Fame: uma como um membro dos Yardbirds, em 1992, e uma segunda vez como membro dos Led Zeppelin, em 1995. Page foi uma inspiração para o estilo de guitarra descendente de Johnny Ramone, dos Ramones. Ramone descreveu Page como "provavelmente o maior guitarrista que já existiu". Page foi descrito pela Uncut como "o maior e mais misterioso herói da guitarra no rock". A revista Los Angeles Times considerou Jimmy Page como o segundo maior guitarrista de todos os tempos.
  
Infância e juventude
Jimmy Page nasceu no subúrbio de Heston, em Middlesex, Londres, que hoje faz parte do London Borough of Hounslow. Filho de Jamas Patrick Page, um gerente industrial, e Patricia Elizabeth Page (nascida Gaffikin), de descendência irlandesa, uma secretária pessoal de um médico. Em 1952 a família mudou para Feltham, e depois, novamente, para Miles Road, Epsom, em Surrey, que foi onde Page obteve a sua primeira guitarra. "Eu não sei se a guitarra foi deixada pelos donos da casa antes de nós, ou se era de um amigo do casal. Ninguém parecia saber por que estava lá". Page começou a tocar o instrumento com 12 anos, ele teve algumas aulas em Kingston, mas, em grande parte, aprendeu tudo sozinho:
Quando eu cresci, não havia muitos outros guitarristas ... Havia outro guitarrista na minha escola que realmente me mostrou os primeiros acordes que aprendi, e eu aprendi a partir de aí. Eu estava aborrecido e aprendi sozinho a tocar guitarra, ouvindo discos. Obviamente, era uma coisa muito pessoal.
Entre as suas primeiras influências estavam os guitarristas de rockabilly, Scotty Moore e James Burton, que tinham tocado juntos em uma gravação de Elvis Presley. Sua canção "Baby Let's Play House" é citado por Page como sua inspiração para tocar guitarra. Embora ele tivesse aparecido na BBC1, em 1957, com outra guitarra, ele afirmou que a sua primeira guitarra foi uma Futurama Grazioso 1959 de segunda-mão, mais tarde substituída por uma Fender Telecaster.
Os gostos musicais de Page incluíam o skiffle (um género musical inglês popular na época) e tocar o folk acústico, e os sons de blues de Elmore James, B. B. King, Otis Rush, Buddy Guy, Freddie King e Hubert Sumlin. "Basicamente, esse foi o início: a mistura entre o rock e o blues."
  
Início da carreira
Aos 14 anos, Page entrou no concurso para descoberta de talentos da ITV, “Search for Stars”. Após deixar a escola, tinha o objetivo de trabalhar como assistente de laboratório, mas o seu amor pela guitarra e pela música obrigou-o a mudar de caminho. Neil Christian, dos The Crusaders, convidou-o para se juntar à banda, o que lhe trouxe a sua primeira experiência de digressões, entrando pela primeira vez num estúdio para a gravação de um single, “The Road to Love”.
Enquanto estudante, Page tocou muitas vezes no Marquee com bandas como: Cyril Davis All Stars, Alexis Korner’s Blues Incorporated e com os guitarristas Jeff Beck e Eric Clapton. Uma noite foi visto por John Gibb, dos Silhouettes, que lhe pediu para o ajudar gravar uns singles para a EMI, "The Worrying Kid" e "Bald Headed Woman", mas só após ter recebido um convite de Mike Leander da Decca Records, é que Page começou a ter trabalho certo como músico de estúdio. A sua primeira gravação para esta editora, o single de “Jet Harris & Tony Meehan”, “Diamonds", chegou a Nº 1 de vendas nas tabelas de 1963.
   
Como músico de estúdio
Depois de fazer alguns trabalhos com Micky Finn, e Carter Lewis and The Southerners Page dedicou-se por completo ao trabalho de estúdio, incluindo “Twist and Shout” de “Brian Poole and The Tremeloes”, “Just like Eddie” dos “Heinz" e, em 1964, “Heart of Stone” dos Rolling Stones, “As tears go by” de Marianne Faithfull, “Tobacco road” dos “The Nashville Teens”, “The crying game” de “Dave Berry", e “Shout”, de “Lulu”. Sob os auspícios do produtor Shel Talmy, Page gravou “You really got me” dos Kinks, (embora houvesse uma disputa sobre quem teria tocado “guitarra solo”, se Page ou Ray Davies); gravou as partes de guitarra de “Baby please don’t go” dos Them e o solo de guitarra no primeiro single dos Who, “I can’t explain”, embora neste caso também exista um desacordo sobre a utilização ou não dessa gravação. Em 1965, Page foi contratado pelo empresário dos Rolling Stones, Andrew Loog Oldham, o que lhe deu acesso a tocar em faixas de John Mayall, Nico e Eric Clapton, na recém formada Immediate Records. Page também fez uma parceria breve com a sua namorada da altura, Jackie DeShannon. Ele também compôs e gravou músicas para John Williams. Estima-se que Jimmy Page tenha participado em 60% da música rock gravada em Inglaterra entre 1963 e 1966.
Após ter sido convidado para substituir Eric Clapton nos Yardbirds, em março de 1965, Page declinou a oferta e sugeriu o seu amigo Jeff Beck. Em maio de 1966, o baterista Keith Moon, o baixista John Paul Jones, o teclista Nicky Hopkins, Jeff Beck e Page gravaram "Beck’s bolero". A experiência deu a Page a ideia de formar uma banda com John Entwistle no baixo (em vez de Jones), porém a falta de um vocalista de qualidade e problemas contratuais mandaram o projecto abaixo como um “zeppelin de chumbo" (led). Passado pouco tempo foi oferecida outra vez a Page a oportunidade de se juntar aos Yardbirds e começou por tocar guitarra baixo com o grupo, após a partida de Paul Samwell-Smith, até que Chris Dreja foi para o baixo, passando Page a dividir a guitarra com Jeff Beck. O potencial musical da formação entretanto afundava-se, devido aos conflitos interpessoais causados pelas constantes digressões e à falta de sucesso comercial.
Page decidiu deixar o seu trabalho em estúdios quando a crescente influência da Stax Records na música popular levou à maior incorporação de arranjos orquestrais para gravações em detrimento das guitarras. No entanto, ele afirmou que seu tempo como tocador de estúdios serviu como uma escolaridade muito boa para o seu desenvolvimento como músico:
Meu trabalho em estúdios foi inestimável. Em um ponto eu estava tocando em pelo menos três sessões por dia, seis dias por semana! E eu raramente sabia de antemão o que eu estava indo tocar. Mas eu aprendi coisas mesmo nas minhas piores sessões - e acreditem, eu toquei algumas coisas horríveis. Finalmente desisti, depois de começar a receber chamadas para criar a Muzak. Eu decidi que não poderia viver mais nessa vida, mas estava a ficar complicado. Eu acho que foi o destino, pois uma semana depois de eu ter parado de fazer sessões, Paul Samwell-Smith deixou a banda The Yardbirds, e eu era capaz de fazer o seu lugar. Mas ser músico era uma boa diversão no começo - a disciplina no estúdio era grande. Eles haviam acabado de contar a canção fora, e você não poderia cometer erros.
   
A formação dos Led Zeppelin
Apesar da partida de Keith Relf e Jim McCarty em 1968, Page preferiu continuar com o grupo com uma formação nova e com o nome, The New Yardbirds. Após alguns espectáculos realizados na sua primeira digressão, os “New Yardbirds” mudaram o nome para Led Zeppelin.
As experiências passadas por Page em estúdio com os Yardbirds foram críticas para o sucesso dos Led Zeppelin na década de 70. Como produtor, compositor e guitarrista para a banda, Page era uma das maiores forças do rock nessa época, com sua guitarra Gibson Les Paul e amplificadores Marshall. O uso de diversas técnicas, tanto a tocar a guitarra como em gravação, fizeram dos Led Zeppelin um protótipo para as futuras bandas rock, em especial para o chamado hard rock, e Page tornou-se especialmente conhecido por tocar a sua Les Paul com um arco de violino, o que acabou entrando para o folclore do rock.
O solo que Jimmy Page toca na canção "Stairway to Heaven" é considerado por muitos o melhor solo de guitarra de todos os tempos.

O símbolo de Page, derivado do símbolo de Saturno, no álbum Led Zeppelin IV
  
Depois dos Led Zeppelin
Após a separação dos integrantes da banda Led Zeppelin, em 1980, Page tentou dar forma a um super grupo com ex membros dos Yes que se chamaria XYZ mas o projeto não deu em nada. Em 1982, foi convidado pelo realizador Michael Winner para gravar a banda sonora do filme Death wish III. Page fez um retorno bem sucedido aos palcos com uma série de concertos de caridade, “ARMS Charity”, em 1983. Page juntou-se a RoyHarper para a gravação de um álbum e digressão. Em 1984, gravou com Robert PlantIn the guise of The Honeydrippers”. Vários outros projectos se seguiram como The Firm, com Paul Rodgers, trabalho de estúdio para Graham Nash, Box of Frogs, e Robert Plant, um álbum a solo Outrider, uma colaboração com David Coverdale em Coverdale Page, e um álbum ao vivo dos Black Crowes.
Em 1994, Page reúne-se com Robert Plant para o penúltimo MTV "Unplugged". O especial de 90 minutos chamado "UnLedded" foi premiado com as mais altas audiências da história da MTV. A banda sonora desse concerto seria editada em 1995 como No quarter. Depois de uma digressão altamente bem sucedida em 1995 para a divulgação de “No quarter”, Page e Plant gravaram Walking into Clarksdale em 1998, o primeiro CD completo juntos desde 1979. Page foi um membro dos Led Zeppelin que deixou sempre aberta a opção para uma reunião do grupo.
Desde 1990, Jimmy Page envolveu-se em vários concertos de caridade e trabalhos afins, particularmente em The action for Brazil’s children trust (ABC Trust), fundado pela sua esposa, Jimena Gomez-Paratcha, em 1998. Jimmy Page foi homenageado pela banda brasileira cover de Led Zeppelin, Led Brazil, como forma de agradecimento pela colaboração do guitarrista com a causa das crianças de rua, auxiliado pela Task Brazil. Em 2008 participou do documentário No volume máximo [It Might Get Loud], do diretor Davis Guggenheim, ao lado do The Edge (U2) e Jack White (White Stripes).
Em novembro de 2006, os Led Zeppelin foram introduzidos no UK Music Hall of Fame. A transmissão televisiva do evento, que consistiu numa introdução sobre a banda por vários admiradores famosos (incluindo Roger Taylor, Slash, Joe Perry, Steven Tyler, Jack White e Tony Iommi), uma apresentação de um prémio para Jimmy Page, e depois um curto discurso do guitarrista. Depois disso, o grupo de rock Wolfmother desempenhou um tributo ao Led Zeppelin, tocando a música "Communication Breakdown".

Reunion Concert
Em 10 de dezembro de 2007, todos os ex-integrantes do Led Zeppelin fizeram um show em Londres, no The O2 Arena, apelidado de Reunion Concert, o Ahmet Ertegun Tribute Concert. A causa foi um tributo à Ahmet Ertegün, o fundador da Atlantic Records. Para substituir John Bonham, o seu filho, Jason Bonham deu conta dosolicitado . Isso fez com que as expectativas de uma turné de reunião aumentassem, porém, desde 2007 nenhuma reunião do Led Zeppelin ocorreu novamente.
    
Vida pessoal
Page foi companheiro da modelo francesa Charlotte Martin de meados de 1970 até cerca de 82 ou 83 (Page chamava-a de "minha senhora"). Juntos, eles têm uma filha, Scarlet Page (nascida em 1971), que é fotógrafa.
De 1986 a 1995, Page foi casado com Patricia Ecker, uma modela e empregada de bar, de quem tem um filho, James Patrick Page III (nascido em abril de 1988). Page mais tarde casou com Jimena Gómez-Paratcha, que conheceu na turnê No Quarter o Brasil.
Em 1972 Page comprou, a Richard Harris, a casa que William Burges (1827-1881) desenhada pelo próprio, The Tower House, em Londres. "Eu tinha interesse de voltar para a minha adolescência no movimento pré-rafaelita e a arquitetura de Burges", disse ele. "Que mundo maravilhoso para descobrir." A reputação de Burges repousa sobre seus projetos extravagantes e sua contribuição para o revivalismo da arquitetura neogótica do século XIX.
De 1980 até 2004, Page foi proprietário da The Mill House, Mill Lane, Windsor, que antigamente era a casa do ator Michael Caine, na mansão em que morreu o baterista e membro do Led Zeppelin John Bonham.
De acordo com a lista do jornal The Sunday Times, os direitos de autor de Page renderam-lhe cerca de 75 milhões de libras esterlinas e atualmente reside em Sonning, Berkshire.

Enviar um comentário