domingo, dezembro 02, 2018

Christopher Wolstenholme, baixista da banda Muse, faz hoje quarenta anos

Christopher Tony Wolstenholme (Rotherham, 2 de dezembro de 1978) é um músico da Inglaterra e atual baixista da banda Muse. Após passar a infância em Rotherham, a família resolveu mudar para Teignmouth, Devon, em 1989. Enquanto viveu em Teignmouth, ele tocou bateria numa banda de garagem, e só depois mais tarde tocou noutra, com Matthew Bellamy e Dominic Howard, os seus futuros colegas de carreira.
No princípio tocava bateria, mas depois decidiu trocar a percussão para virar baixista da banda, que nessa altura se chamava The Rocket Baby Dolls (que mais tarde se renomearam de Muse). Mesmo nunca tendo tocado baixo, Chris Wolstenholme é agora olhado como baixista de topo na indústria musical, sendo recentemente elogiado por Paul McCartney, pela performance bombástica no Festival de Glastonbury, em 2004. Ele vive, hoje, em Teignmouth, com a mulher e os seus seis filhos. Chris partiu o pulso numa partida de futebol americano em 2004, com Didz Hammond dos The Cooper Temple Clause, e no show seguinte Morgan Nicholls tocou baixo no seu lugar. Chris ocupou-se a tocar algumas partes no teclado, fazer a segunda voz e jogar balões de água no público.
Em julho de 2012, Chris concedeu uma entrevista para a revista NME onde ele falou sobre as canções "Liquid State" e "Save Me", que estão no sexto álbum da banda, The 2nd Law. Estas duas músicas foram compostas e são cantadas por ele. Wolstenholme disse que escreveu estas canções logo após deixar o álcool. Segundo ele, “a canção "Liquid State" fala sobre a pessoa que você se torna quando você está embriagado e sobre a luta interna dentro de si mesmo e como isso te afeta. Já "Save Me" é sobre família, esposa e filhos, que apesar de tudo que eu fiz eles passarem, no fim, eles sempre estão contigo e ajudam-te a superar”.
Wolstenholme tem um doutoramento honoris causa de Artes da Universidade de Plymouth.

Enviar um comentário