segunda-feira, julho 16, 2018

Celia Cruz, a Rainha da Salsa, morreu há quinze anos

Úrsula Hilaria Celia Caridad Cruz Alfonso (Havana, 21 de outubro de 1925- Fort Lee, Nova Jersey, 16 de julho de 2003) foi uma cantora cubana.
Saiu do seu país em 1959, nunca mais regressando, em virtude da oposição ao regime de Fidel Castro. Foi para o México, onde gravou com outros artistas como Tito Puente. Do México mudou-se para Nova York, onde passou a maior parte de sua vida e morou até ao fim dela.
Foi a maior intérprete cubana, tendo recebido vinte discos de ouro e recebendo o título de "Rainha da Salsa".
Participou da novela mexicana, "El alma no tiene color" (1997), exibida no Brasil em 2001 pelo SBT com o título "A Alma não Tem Cor". Foi casada durante 41 anos, com o também cantor cubano Pedro Knight. Em 16 de julho de 2003, morreu, por causa de um tumor maligno no cérebro, na sua casa, em Fort Lee, Nova Jersey.
Depois da sua morte, o seu corpo, embalsamado, foi levado para Miami e Nova York, de tal maneira que todos lhe puderam render homenagens.
O seu funeral reuniu mais de 150 mil pessoas em Miami e em Nova York. O mundo inteiro rendeu-lhe homenagens. A América Latina rendeu-se aos seus pés e a comunidade artística mundial reconhecia-a como um dos seus mais altos expoentes. O funeral, em Nova York, constituiu um dos maiores que essa cidade recorda, superando inclusive o de Judy Garland, em 1969.
Em fevereiro de 2004, o seu último álbum, publicado depois da sua morte, ganhou um prémio póstumo dos Prémios Lo Nuestro como melhor álbum de salsa do ano. Recentemente teve uma música sua inserida no jogo Call of Duty Black Ops, na primeira fase do jogo é possível ouvir Quimbara no fundo do bar.



Enviar um comentário