quinta-feira, janeiro 04, 2018

A Birmânia tornou-se independente há setenta anos

Myanmar ou Birmânia, oficialmente República da União de Myanmar, é um país do sul da Ásia continental limitado ao norte e nordeste pela China, a leste pelo Laos, a sudeste pela Tailândia, ao sul pelo Mar de Andamão e pelo Canal do Coco, a oeste pelo Golfo de Bengala e a noroeste pelo Bangladesh e pela Índia. Em 2006, a capital do país foi transferida de Rangum para Nepiedó.
O Myanmar tornou-se independente do Reino Unido a 4 de janeiro de 1948, com o nome oficial de "União da Birmânia", designação que voltou a adotar após um período em que se chamou oficialmente de "República Socialista da União da Birmânia" (4 de janeiro de 1974 a 23 de setembro de 1988). Em 18 de junho de 1989, o regime militar birmanês anunciou que o nome oficial do país passaria a ser União de Myanmar. A nova designação foi reconhecida pelas Nações Unidas e pela União Europeia, mas não pelos governos dos Estados Unidos e Reino Unido. Conforme a Constituição de 2009, o nome do país mudou para “República da União de Myanmar”, medida implementada em 21 de outubro de 2010.
A diversa população birmanesa teve papel fundamental para definir a política, história e demografia do país nos tempos modernos. O seu sistema político é hoje mantido sob controle estrito do Conselho de Estado para a Paz e Desenvolvimento - o governo militar chefiado, desde 1992, pelo general Than Shwe. As forças armadas birmanesas controlam o governo desde que o general Ne Win desfechou um golpe de Estado em 1962 para derrubar o governo civil de U Nu. Entretanto, um novo presidente foi eleito democraticamente para governar o país a partir de 1 de abril de 2016. O seu nome é Htin Kyaw, braço direito da deputada e uma das principais opositoras do regime militar, Aung San Suu Kyi.
Integrante do Império Britânico até 1948, Myanmar continua a enfrentar tensões étnicas. A cultura do país baseia-se no budismo teravada influenciado por elementos locais.


Enviar um comentário