sexta-feira, novembro 24, 2017

Lucky Luciano nasceu há 120 anos

Charles Luciano ou Lucky Luciano, nascido Salvatore Lucania (Lercara Friddi, 24 de novembro de 1897 - Nápoles, 26 de janeiro de 1962), foi um mafioso ítalo-americano.
Lucky Luciano foi o fundador do sindicato nacional do crime nos anos 30. A sua família instalou-se no East Side de Nova Iorque em 1906, onde foi preso pela primeira vez em 1907, acusado de furto.

Em 1915, Luciano era membro do Gang dos Cinco Pontos (Five Points Gang), onde foi instruído por John Torrio, e tornou-se amigo de Al Capone e, mais tarde, de outros famosos assassinos. Começou o seu próprio negócio de prostituição em 1920 e, em 1925, teve vasto controle sobre a prostituição em Manhattan, onde na verdade começou a tomar as casas de prostituição para integrar os seus negócios. Em 1928 isso tinha tornado Charles "Lucky" Luciano um milionário.
Em 1929, Luciano foi espancado por cinco homens e ficou gravemente ferido, sobreviveu e então ganhou a alcunha de "Lucky"(Sortudo). A polícia chegou a perguntar-lhe quem tinham sido os autores, mas não identificou quem o tinha atacado, cumprindo com a omertà. Próximo do fim dos anos 20, Luciano estava pronto para escrever suas ideias a respeito do sindicato nacional do crime.
Em 1931, a chamada Guerra Castellammarese entre Salvatore "Little Caesar" Maranzano e Giuseppe "Joe the Boss" Masseria pelo controle do submundo de Nova Iorque enchia de corpos as ruas de Manhattan e do Brooklyn. Luciano estava cansado disso, sabia que a guerra era má para os negócios e decidiu acabar com ela, assassinando Masseria, e o seu chefe, Maranzano. Com dois golpes astutos, assassinaram Joe Masseria enquanto almoçava num restaurante, e Salvatore Maranzano, que foi assassinado no seu escritório em Manhattan. Com esses assassinatos, a guerra acabou. Luciano era considerado o Capo di tutti capi (Chefe de todos os chefes), o "número um" do sindicado que tinha criado.
Em 1935, Thomas E. Dewey tinha reunido provas suficientes para prender Luciano. Eram noventa as provas, entre extorsão e prostituição. Ele apanhou entre 30 a 50 anos de prisão, mas havia rumores de que as Forças Aliadas na Segunda Guerra Mundial precisavam de ajuda para a invasão da Sicília. Eles contactaram Luciano e ofereceram-lhe a liberdade se ele não mantivesse contacto com os seus amigos mafiosos na Sicília, ele poderia ser solto sob a condição de que fosse deportado para a Itália. Luciano aceitou essa proposta e morou em Roma um ano. Ele rapidamente ficou insatisfeito com esse modo de vida, e a sua opção estava entre voltar para os EUA ou arranjar uma reunião com Lansky, Siegel e outros chefes em Cuba. As autoridades dos Estados Unidos souberam da presença de Luciano na Conferência de Havana, e foi forçado a voltar para a Itália. Mesmo assim, manteve vários negócios envolvendo jogo e prostituição em Cuba. Começou a escrever memórias, sonhava com um filme sobre a sua vida. Em janeiro de 1962 foi para o aeroporto de Nápoles reunir-se com um produtor de cinema norte-americano, que estava interessado na ideia. Enquanto caminhava até junto do produtor, preparando para cumprimentá-lo com um aperto de mãos, levou a mão ao tórax e caiu. Morreu de um ataque de coração.
 

Enviar um comentário