segunda-feira, outubro 23, 2017

A Revolução Húngara de 1956 começou há 61 anos


A Revolução Húngara de 1956 (em húngaro: 1956-os forradalom) foi uma revolta popular espontânea contra as políticas impostas pelo governo da República Popular da Hungria e pela União Soviética. O movimento durou 23 de outubro até 10 de novembro de 1956.
A revolta começou como uma manifestação estudantil que atraiu milhares que marcharam pelo centro de Budapeste até ao parlamento. Uma delegação de estudantes entrando no prédio da rádio em uma tentativa de transmitir as suas demandas foi detida. Quando a libertação da delegação foi exigida pelo manifestantes do lado de fora, ele foram alvejados pela Autoridade de Proteção de Estado (ÁVH) de dentro do prédio. As notícias espalharam-se rapidamente e desordem e violência erupcionaram por toda a capital.
A revolta espalhou-se rapidamente pela Hungria, e o governo caiu. Milhares de populares organizaram-se em milícias, combatendo a Polícia de Segurança do Estado (ÁVH) e as tropas soviéticas. Comunistas pro-soviéticos e membros da ÁVH eram frequentemente executados ou aprisionados, enquanto os antigos prisioneiros eram libertados e armados. Conselhos improvisados tiraram o controle municipal do Partido dos Trabalhadores Húngaros e exigiram mudanças políticas. O novo governo formalmente dissolveu a ÁVH, declarou a sua intenção de se retirar do Pacto de Varsóvia e prometeu livres eleições restabelecidas. Pelo final de outubro, as lutas tinham quase parado e um senso de normalidade começava a retornar.
Depois de anunciar a boa vontade para negociar uma retirada das forças soviéticas, o Politburo mudou de ideia e decidiu suprimir a revolução. Em 4 de novembro, uma grande força soviética invadiu Budapeste e outras regiões do país. A resistências húngara continuou até 10 de novembro. Mais de 2.500 soldados húngaros e 700 soviéticos foram mortos no conflito e 200.000 húngaros fugiram como refugiados. Prisões em massa e denúncias continuaram por meses depois. Por janeiro de 1957, o novo governo soviético instalado suprimiu toda a oposição pública. Essas ações soviéticas afastaram muitos marxistas ocidentais, ainda reforçados pelo controle soviético na Europa Central.
Discussões públicas sobre essa revolução foram reprimidas na Hungria por trinta anos, mas desde os anos 80 ela tem sido objeto de intenso estudo e debate. Na inauguração da Terceira República da Hungria, em 1989, o dia 23 de outubro foi declarado feriado nacional.

Enviar um comentário