terça-feira, julho 18, 2017

O traidor Vidkun Quisling nasceu há 130 anos

Vidkun Abraham Lauritz Jonssøn Quisling (Fyresdal, 18 de julho de 1887Oslo, 24 de outubro de 1945) foi um oficial militar e político norueguês que chefiou nominalmente o governo da Noruega como Ministro-Presidente depois do país ter sido ocupado pela Alemanha Nazista durante a Segunda Guerra Mundial. Quisling havia chegado à proeminência internacional como colaborador do explorador Fridtjof Nansen, organizando uma ajuda humanitária na fome russa de 1921. Ele foi designado como diplomata norueguês na União Soviética, voltando para o seu país em 1929 e servindo como Ministro da Defesa de 1931 a 1933.
Quisling deixou o Partido dos Agricultores em 1933 e fundou o partido fascista União Nacional. Apesar de ter conseguido certa popularidade, pelos seus ataques contra a esquerda política, o seu partido nunca conseguiu ganhar assentos no parlamento norueguês e era apenas uma organização periférica por volta de 1940. Quisling aproximou-se dos líderes do Partido Nazi e tentou tomar o poder através de um golpe de estado via rádio, em abril de 1940, enquanto a invasão da Noruega estava em andamento, porém falhou depois dos alemães terem recusado a apoiar o seu governo.
Ele foi nomeado Ministro-Presidente em 1942, chefiando o estado norueguês conjuntamente com o comissário alemão Josef Terboven. O seu governo fantoche pró-nazi colaborou com a Alemanha e participou na Solução Final. Quisling foi preso, julgado ao final da guerra em 1945 e considerado culpado de fraude, assassinato e alta traição, sendo executado na Fortaleza de Akershus em outubro do mesmo ano. A palavra "quisling" acabou por se tornar sinónimo de "traidor" ou "colaborador" em vários idiomas, com historiadores atribuindo a Quisling praticamente nenhum legado político.

Enviar um comentário