domingo, julho 23, 2017

O pintor Philipp Otto Runge nasceu há 240 anos

Auto-retrato

Philipp Otto Runge (Wolgast, 23 de julho de 1777 - Hamburgo, 2 de dezembro de 1810) foi um pintor romântico alemão.
A exemplo de seu amigo Caspar David Friedrich, Runge foi aluno da Academia de Copenhague e estudou depois na cidade de Dresden. Uma das diferenças entre ambos estava na preferência que Runge cultivou pelas figuras humanas, depois de ter deixado de lado as paisagens.
Um profundo espírito religioso foi uma constante em toda a sua obra. As formas cúbicas do classicismo tornaram-se ainda mais rígidas nas composições de Runge, que tentou recriar a linguagem artística como veículo do sentimento místico. Seus personagens são desprovidos de calor, mas estão envoltos numa natureza festiva que difunde a criação divina. As crianças, personagens de quase todos os seus quadros, eram para o pintor os únicos seres capazes de transmitir o que havia de angélico e belo no mundo.
Runge pintou crianças rechonchudas e enormes, com um olhar meio alienado que despertava mais incompreensão do que ternura. Em seu quadro As Crianças de Hülsenbeck (1805), as crianças nada têm em comum com os anjos delicados de Rafael, o mesmo acontecendo com o retrato que o pintor faz do filho, que beira o kitsch.
A sua obra mais ambiciosa, As Fases do Dia, composta de quatro pranchas de mais de oito metros de altura, nunca chegou a ser finalizada e dela conservam-se apenas esboços e desenhos.
Foi sepultado no Cemitério de Ohlsdorf.

As Crianças de Hülsenbeck (1805), Galeria de Arte - Hamburgo

Enviar um comentário