segunda-feira, junho 26, 2017

O atentado de Sousse foi há dois anos

O atentado de Sousse é um atentado terrorista que ocorreu no dia 26 de junho de 2015 em Sousse, na Tunísia, causando a morte de 39 pessoas. Um homem, conhecido como Seifeddine Rezgui, de 23 anos, abriu fogo com uma Kalachnikov na praia de um hotel de luxo, repleta de turistas estrangeiros; o terrorista foi abatido.
  
Ataque
A 26 de junho de 2015, o Riu Imperial Marhaba Hotel, um complexo turístico de cinco estrelas, de propriedade espanhola, localizado em Port El Kantaoui, na costa do Mediterrâneo, a cerca de dez quilómetros, a norte, de Sousse, Tunísia, estava hospedando 565 pessoas, principalmente da Europa Ocidental, com 77% de sua capacidade. Os turistas do hotel, bem como do Hotel Soviva, localizado nas proximidades, estavam na praia para nadar e apanhar sol.
Por volta do meio-dia, Seifeddine Rezgui Yacoubi, 23 anos, também conhecido como Abu Yahya al-Qayrawani, nascido em Gaafour e ex-estudante de aviação da Universidade de Cairuão,  disfarçado de um turista, começou a socializar com outros e, de seguida, pegou numa espingarda Kalashnikov que tinha escondido num guarda-sol e disparou contra os turistas na praia. Entrou no hotel, atirando em todas pessoas que via à sua frente. O terrorista foi morto por forças de segurança durante uma troca de tiros. Todas as balas encontrados foram disparadas pela mesma arma; o indivíduo tinha quatro cartuchos de munição. Rezgui tinha falado com seu pai por telemóvel que deitou ao mar pouco antes do ataque; o aparelho foi recuperado.
Um porta-voz do Ministério do Interior disse que tinham a certeza de que outras pessoas ajudaram o rapaz, mas sem participação direta, proporcionando a Kalashnikov e ajudando Rezgui no local do massacre.

Vítimas
A maior parte das vítimas do atentado de sexta-feira num hotel na estância turística de Sousse, na Tunísia, reivindicado pelo grupo Estado Islâmico, são britânicas, anunciou o primeiro-ministro tunisino, Habib Essid. No que diz respeito "às nacionalidades dos mortos (...), a maior parte é britânica. Depois há alemães, belgas e franceses", disse Essid em conferência de imprensa.
O primeiro-ministro tunisino baixou para 38 o número de vítimas do atentado, precisando que os 39 mortos anteriormente reportados pelo Ministério da Saúde incluíam o atirador, abatido pelas forças de segurança.
Uma turista luso-brasileira de 76 anos morreu também no ataque perpetrado, informou o secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Cesário. “A embaixada portuguesa em Tunes acabou de nos confirmar, infelizmente, que há uma cidadã nacional entre as pessoas que foram mortas ontem em Sousse." Mais tarde o Itamaraty confirmou que esta mesma vítima também tinha nacionalidade brasileira. Com o  nome de Maria da Glória Moreira, tornou-se a primeira portuguesa/brasileira vítima de um ataque reivindicado pelo Estado Islâmico.

Enviar um comentário