quinta-feira, abril 20, 2017

O sismólogo Richter morreu há 32 anos

Charles Francis Richter (Hamilton, 26 de abril de 1900 - Pasadena, 20 de abril de 1985) foi um sismólogo norteamericano.
Richter ficou famoso ao criar, em colaboração com Beno Gutenberg, uma escala que quantifica a grandeza (energia libertada) pelos terramotos, que usou pela primeira vez em 1935. Richter e Gutenberg trabalhavam então no Instituto de Tecnologia da Califórnia (Caltech).

Nascido em Hamilton, Ohio, Richter estudou na Universidade de Stanford e no Instituto de Tecnologia da Califórnia, onde obteve o seu PhD (doutoramento) em física teórica, em 1928. Trabalhou no Instituto Carnegie de Washington (1927-1936) antes de ser nomeado para o Instituto de Tecnologia da Califórnia, onde se tornou professor de sismologia em 1952.
Richter desenvolveu sua escala para medir a força dos terramotos em 1935. Escalas anteriores tinham sido desenvolvidos por De Rossi, em 1880, e por Giuseppe Mercalli, em 1902, mas ambos usavam uma escala descritiva, definida em termos de danos em edifícios, bem como no comportamento e na resposta da população. Isso restringia o seu uso para a medição de terramotos apenas em áreas povoadas.
A escala de Richter é absoluta, com base na amplitude das ondas produzidas pelo terramoto. Ele definiu a magnitude de um terramoto como o logaritmo na base 10 da amplitude máxima das ondas, medido em microns. Isto significa que as ondas cujas amplitudes diferem por um fator de 100 diferem por 2 pontos na escala de Richter. Com Beno Gutenberg tentou converter os valores da sua escala em energia libertada. Em 1956, eles mostraram que a magnitude 0 corresponde a cerca de 1011 ergs (104 joules), enquanto a magnitude 9 é igual a 1024 ergs (1017 joules).

Enviar um comentário