quarta-feira, março 22, 2017

Hoje é o Dia Mundial da Água...


Canhão da Ribeira dos Amiais - Olhos de Água do Alviela (foto pessoal)

Água

Água, feita de volubilidade
mãe das nuvens e do barro.
posso senti-la discreta
transparente inevitável.


Prisioneira gelada
dos refrigeradores,
vago itinerário dos peixes,
húmido túmulo dos detritos
que os homens repudiaram.


Feita de angústia,
saíste dos olhos
para a estrada áspera
das rugas.


Ergues tua bandeira vermelha
no peito dos apunhalados.


Água,
hei-de beber-te comovido
na inodora volúpia
da tua acomodada transparência.
Embebes de esquecimento
os suicidas.


Tuas mãos rudes
agarram os continentes,
dissolvem os náufragos,
projectam no céu
os velames e as quilhas.
Bojo surdo e verde
cofre de algas e flibusteiros,
bactérias e diamantes.


Quero-te agora
inerte de presságios,
mera adolescente
nascida na terra,
filha perdida do azul. 


André Carneiro

Enviar um comentário