sábado, março 05, 2016

Hoje é preciso recordar Ana Achmatova...

(imagem daqui)

Elegia para Ana Achmatova

Foi em 5 de Março, quase no fim deste Inverno.
Com outra luz gostaria de ter entregue o corpo.

Nevoeiro que nos montes se rasgava, despeda-
çado pelas árvores mais altas, herdara de Emily
Dickinson o deslumbrante hálito sonâmbulo e
de Safo o voo apaixonado.

Safo, Emily Dickinson- duas vezes mortas.


in A Raiz Afectuosa (1972) - António Osório

Enviar um comentário