quinta-feira, novembro 26, 2015

Há sete anos os atentados de Bombaim mataram 195 pessoas

Ataques de novembro de 2008 em Bombaim
Localização de alguns dos ataques
Local Bombaim, Índia
Data 26 de novembro de 2008, 21h20 - 29 de novembro 2008 (IST, UTC+5:30)
Tipo de ataque Bombas, tiroteios, reféns
Arma(s) RDX, AK-47, e granadas
Mortes 195
Feridos 327+
Suspeito(s) Com controvérsia; alguns do suspeitos são os Mujahidin do Decão, Lashkar-e-Taiba, Dawood Ibrahim, e Al Qaeda.
Participante(s) 10
Força(s) de defesa Polícia de Bombaim, Esquadrão Anti-Terrorismo, MARCOS, Guarda Nacional de Segurança.


Em 26 de novembro de 2008 dez atentados terroristas sincronizados atingiram a cidade indiana de Bombaim, conhecida como capital financeira e maior cidade do país; alguns destes ataques só foram considerados terminados três dias depois, em 29 de novembro, depois das forças de segurança indianas terem conseguido controlar todos os locais atacados. Pelo menos 195 pessoas, incluindo vinte e dois estrangeiros, foram confirmados como mortos, e cerca de 327 pessoas ficaram feridas.
Oito ataques ocorreram no sul da cidade: na estação ferroviária de Chhatrapati Shivaji Terminus (CST); dois hotéis de cinco estrelas, o Oberoi Trident, em Nariman Point, e o Taj Mahal Palace & Tower, próximo do Portal da Índia; no Leopold Café, um restaurante popular com turistas em Colaba; o Hospital Cama; na Casa Nariman, de propriedade de judeus ortodoxos; no cinema Metro Adlabs; no quartel-general da Polícia de Bombaim, onde pelo menos três oficias de alta patente, incluindo o chefe do Esquadrão Anti-Terrorismo de Maharashtra, foram mortos a tiros. O décimo incidente envolveu a explosão de um táxi em Vile Parle, próximo do aeroporto, porém ainda não é claro se este incidente foi ligado aos ataques do resto da cidade. Entre cinquenta e sessenta terroristas teriam participado dos ataques.
Devido ao facto dos alvos aparentes terem sido cidadãos britânicos e americanos, e pelo padrão de ataques simultâneos e coordenados, acredita-se que terroristas islâmicos possam ser responsáveis. Uma organização até então desconhecida, que se identificou como os 'Mujahidin do Decão', alegou a responsabilidade através de um e-mail enviado a diversas organizações jornalísticas. Algumas reportagens têm atribuído estes ataques ao Lashkar-e-Taiba, um grupo militante islâmico que opera a partir do Paquistão. De acordo com algumas versões, alguns terroristas que mantinham reféns no hotel Oberoi teriam afirmado o desejo de que todos os mujahidin em prisões indianas deveriam ser soltos em troca dos reféns; o número de terroristas ainda armados dentro do edifício seria de pelo menos sete. Outras reportagens indicaram que esta exigência teria sido feita através de um dos reféns na Casa Chabad de Bombaim, numa ligação para o consulado israelita em Nova Delhi. Alguns especialistas expressaram visões conflitantes sobre uma possível autoria da Al-Qaeda destes atentados.
Depois de dois dias de tiroteios e explosões, o ataque aparentemente tinha cessado na manhã do dia 28 de novembro; incêndios estavam a ser apagados e soldados carregavam reféns e feridos para a segurança, além dos corpos daqueles que não haviam sobrevivido aos confrontos.
A Casa Nariman e o Oberoi Trident acabaram por ser libertados pelas forças especiais indianas. Cinco reféns teriam sido mortos no centro judaico. A situação no hotel Hotel Taj Mahal também teria terminado, apesar dos incêndios que ainda tomavam conta de partes do edifício; a ação da Guarda Nacional de Segurança teria resultado na morte de ao menos mais dois terroristas.
 

Enviar um comentário