quarta-feira, setembro 16, 2015

Há quarenta anos a Papua-Nova Guiné tornou-se independente


A Papua-Nova Guiné, oficialmente o Estado Independente da Papua-Nova Guiné, é um país da Oceania que ocupa a metade oriental da ilha da Nova Guiné, e uma série de ilhas e arquipélagos, a leste e a nordeste, embora sempre na Melanésia. A única fronteira terrestre que tem é com a Papua, a oeste, da Indonésia, mas tem fronteiras marítimas com Palau e os Estados Federados da Micronésia, a norte, com as Ilhas Salomão, a sudeste, e com a Austrália, através do mar de Coral, estreito de Torres e mar de Arafura, a sul. A sua capital é Port Moresby.
A Papua-Nova Guiné é um dos países com maior diversidade cultural no mundo. De acordo com dados recentes, 848 línguas diferentes são listadas no país, das quais 12 não possuem nenhum falante vivo. A maior parte da população, estimada em pouco mais de 7 milhões de habitantes, vive em comunidades, que são tão diversas quanto os idiomas. Possui, ainda, um dos menores percentuais de população vivendo em centros urbanos, já que 82% de sua população vive em áreas rurais. O país ainda é pouco explorado, cultural e geograficamente, e muitas espécies existentes na sua flora e fauna ainda são desconhecidas.
O forte crescimento da atividade mineira e os recursos provenientes da exploração deste setor levaram o país a tornar-se uma das economias de mais rápido crescimento no mundo, a partir de 2011. Apesar disso, o país enfrente inúmeros problemas sociais, como a extrema pobreza, e cerca de um terço da população vive com menos de  1,25 dólares americanos por dia.
Depois de ter sido governada por três poderes externos desde 1884, a Papua-Nova Guiné estabeleceu a sua soberania em 16 de setembro de 1975, após 70 anos de administração australiana. Tornou-se um reino da Commonwealth em separado, com a rainha Isabel II como chefe de Estado, além de ser um membro da Comunidade das Nações pelo seu próprio direito.

Moedas do Estado Independente da Papua-Nova Guiné

Enviar um comentário