sexta-feira, fevereiro 28, 2014

O IPMA e o sismo de 28 de fevereiro de 1969

Os 45 Anos do Sismo de 28.02.1969

Assinalam-se os 45 anos do sismo de 28 de fevereiro de 1969. Este sismo ocorreu às 02.40 horas (UTC), com uma magnitude de 8.0 (MW) e epicentro localizado a SW do Cabo de São Vicente, cerca de 230km a SW de Lisboa, podendo ser considerado como o último grande sismo a ocorrer em Portugal Continental, tendo em atenção a conjugação entre a magnitude e os efeitos macrossismicos. Atingiu principalmente a região Sul do país, tendo-lhe sido atribuída uma intensidade máxima VIII (Escala de Mercalli Modificada, 1956) no Algarve e VI-VII na região de Lisboa e noutras localidades do país.

Esta ocorrência provocou alarme e pânico entre a população, cortes na telecomunicações e no fornecimento de energia elétrica. Registaram-se 13 vítimas mortais em Portugal Continental, 2 como consequência direta do sismo, e 11 indiretas. Em Marrocos estão igualmente reportadas algumas vítimas. Foi sentido até 1.300 km do epicentro, particularmente em Bordéus, e nas Canárias.

O sismo teve várias réplicas, tendo a estação WWSSN da Serra do Pilar, Vila Nova de Gaia, registado 47 réplicas, entre 28 de fevereiro e 24 de março.

O evento foi também sentido em vários navios, principalmente nos que navegavam próximo da zona epicentral, tendo um deles sofrido danos estruturais significativos. Foi ainda gerado um pequeno tsunami que foi observado em diversos marégrafos situados ao longo das costas portuguesas, espanholas e marroquinas, tendo sido registadas amplitudes máximas de 40 cm em Lagos e 45 cm em Cascais.

A rede sísmica nacional que operava na altura tinha uma dimensão bastante reduzida (apenas 3 estações sísmicas e uma estação acelerométrica), tendo este sismo funcionado como factor motivador para um processo de desenvolvimento da mesma, o qual foi feito em diversas etapas até à atualidade.

Sismo sentido na Graciosa - Açores

Recebido via e-mail do IPMA:


O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) informa que, no dia 27.02.2014, pelas 21.19 (hora local) foi registado nas estações da Rede Sísmica do Arquipélago dos Açores, um sismo de magnitude 3,6 (Richter) e cujo epicentro se localizou a cerca de 25 km a oeste da localidade de Vitória (Graciosa).

Este sismo, de acordo com a informação disponí­vel até ao momento, não causou danos pessoais ou materiais e foi sentido com intensidade máxima IV (escala de Mercalli modificada) na região de Guadalupe, e III/IV na região de Santa Cruz da Graciosa.

Se a situação o justificar serão emitidos novos comunicados.

Sugere-se o acompanhamento da evolução da situação através da página do IPMA na Internet (www.ipma.pt) e a obtenção de eventuais recomendações junto do Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores (www.prociv.azores.gov.pt).

NOTA: aqui ficam os dados do IPMA do sismo e mapa interativo do GoogleMaps com o epicentro:

Data (TU)Lat.Lon.Prof.Mag.Ref.GrauLocal
2014-02-27 22:19 39,05 -28,31 5 3,5 Fossa Oeste Graciosa IVGuadalupe

António Livramento nasceu há 71 anos

(imagem daqui)

António José Parreira do Livramento, (São Manços, 28 de fevereiro de 1943Lisboa, 7 de junho de 1999), mais conhecido como António Livramento, foi um jogador de hóquei em patins português, considerado por muitos o melhor jogador do Mundo de todos os tempos. Conquistou incontáveis títulos durante a sua longa carreira, tanto de jogador, como de treinador. Entre esses troféus, destacam-se os 3 Mundiais e 7 Europeus, ganhos pela selecção portuguesa, e a Taça dos Campeões Europeus, ganha ao serviço do Sporting Clube de Portugal. Representou os principais clubes portugueses e a seleção como jogador e/ou treinador, tendo ganho oito Campeonatos Nacionais, sete Campeonatos da Europa, três Campeonatos do Mundo, duas Taças de Portugal e uma Taça dos Campeões Europeus como jogador e três Campeonatos Nacionais, três Campeonatos da Europa, duas Taças de Portugal, dois Campeonatos do Mundo, uma Taça CERS e uma Taça das Taças como treinador.

É-lhe feita uma última homenagem em vida, com o seu nome a ser atribuído à Supertaça de Portugal em hóquei em patins, troféu disputado entre o campeão nacional e o vencedor da Taça de Portugal. Morre repentinamente a 5 de junho de 1999, com apenas 55 anos, vítima de uma trombose, deixando o País em choque e comoção, pela perda de uma das suas grandes estrelas.

Rui Reininho - 59 anos

(imagem daqui)

Rui Manuel Reininho Braga mais conhecido por Rui Reininho (Porto, 28 de fevereiro de 1955) é um músico português. É vocalista da banda de pop rock GNR (Grupo Novo Rock) e tirou o curso de Cinema da Escola Superior de Teatro e Cinema, em Lisboa.
Grava em 1977, com Jorge Lima Barreto, no projecto Anar Band. Cria ou colabora nos projectos musicais Espelho e Atitudes.
Em 1981 tornou-se vocalista dos GNR, e depois, o seu principal mentor e figura mais destacada. Com os GNR, Rui Reininho criou uma série de canções que são o espelho de uma geração da juventude que cresceu e se tornou adulta a ouvi-los e a admirá-los ao longo de 30 anos: Dunas, Efectivamente, Bellevue, Pós-Modernos, Vídeo Maria, Pronúncia do Norte, Ana Lee ou Morte ao Sol. Efectuou mais de mil espetáculos na Europa, Brasil, EUA, Canadá e Macau. Obteve prémios dos jornais Sete, Blitz e Nova Era.
Produziu discos dos artistas: Manuela Moura Guedes, Mler Ife Dada, Três Tristes Tigres e Spray.
É autor dos livros Sífilis versus Bilitis pela '''& etc''' e Líricas Come on & Ana, publicado pela Palavra, onde reúne poemas e letras de canções. Sobre as letras dos GNR, há duas publicações, a biografia dos GNR Afectivamente (Assírio & Alvim) e o livro As letras como poesia (Objecto Cardíaco e Afrontamento) de Vitorino Almeida Ventura.
Em 2005 foi agraciado com a Medalha de Mérito Cultural do Estado Português.
Em 2008 lançou o seu primeiro álbum a solo, Companhia das Índias.
Colaborou com os semanários Expresso, Mais Semanário e GQ, na revista Net Parque 98 e no Jornal de Notícias. Trabalhou como actor e criou música para teatro e cinema. Lecionou a disciplina de Música de Cinema na Universidade Moderna de Lisboa e a disciplina de Som e Imagem na Universidade Católica do Porto. É sócio activo do movimento rotário.


Há 45 anos houve o último sismo com mortos em Portugal continental

(imagem daqui)

O Sismo de 1969 ocorreu em 28 de fevereiro de 1969 pelas 02.40.32,5 horas UTC (mais uma hora no tempo local). Atingiu o sul do país e a região de Lisboa, sendo o último grande sismo a ocorrer em Portugal Continental, e o mais forte do século XX. O epicentro do sismo foi determinado como tendo as coordenadas 36.01º N e 10.57º W e a magnitude atribuída foi Ms=7.9 e Mw=8.0. Este evento é interpretado como resultante da compressão interplacas (Africana e Euroasiática) que ocorre na região sudoeste ibérica.
O sismo provocou alarme e pânico entre a população, cortes na telecomunicações e no fornecimento de energia elétrica. Registaram-se 13 vítimas mortais em Portugal Continental, 2 como consequência direta do sismo, e 11 indiretas. A maior intensidade (VIII) foi sentida no Algarve, sendo atribuída a Lisboa uma intensidade VI.

 (imagem daqui)


PS: sugere-se a visita a este fórum de discussão, que tem bastantes informações sobre o sismo:

quinta-feira, fevereiro 27, 2014

O músico Aleksandr Borodin morreu há 127 anos

Busto de Borodin em São Petersburgo


Biografia
Filho ilegítimo do príncipe georgiano Luka Gedevanishvili (ou Gedianov, em russo), teve a sua paternidade atribuída a um servo do nobre, Porfiry Borodin. Apesar de ter recebido lições de piano quando criança, a sua educação foi direcionada para as ciências. Formado em Medicina, interessado pela Química, aperfeiçoou-se em Heidelberg, Alemanha (1859-1862).
Em toda sua vida, Borodin dedicou-se quase inteiramente à química, escrevendo muitos tratados científicos e fazendo muitas descobertas, nomeadamente no campo do benzol e aldeídos. Também foi professor de química orgânica na Academia Militar de São Petersburgo (1864-1887). Considerava-se apenas "um compositor aos domingos".
Vítima da cólera, morreu em 1887, de insuficiência cardíaca, durante um baile de máscaras na Academia de Medicina de São Petersburgo. Sepultado no Cemitério Tikhvin, no Mosteiro Aleksandr Nevsky, em São Petersburgo.

Música
Apesar de já ter noções de música, tendo inclusive escrito um dueto para piano aos nove anos de idade, foi só ao conhecer Mily Balakirev, em 1862, que passou a compor com seriedade. Balakirev convenceu-o a integrar-se ao Grupo dos Cinco, com cujas ideias nacionalistas se identificava. Também o ajudou a compor a sua primeira sinfonia, a qual regeu na estreia, em 1869.
No mesmo ano, começou a compor a segunda sinfonia, que não foi bem recebida na estreia, em 1877, sob a batuta de Eduard Nápravník. Após uma pequena re-orquestração, foi elogiada pelo público na sua nova apresentação, desta vez conduzida por Rimsky-Korsakov, em 1879. Em 1880, na Alemanha, Franz Liszt regeu esta mesma sinfonia, dando a Borodin fama fora da Rússia.
Em 1869 começou a compor a sua obra mais importante: a ópera O Príncipe Igor. Trabalhou nela durante 18 anos, até à sua morte, deixando-a incompleta, e foi terminada por Nikolai Rimsky-Korsakov e Aleksandr Glazunov em 1890.
Borodin também escreveu numerosas peças para piano, melodias, música de câmara, entre outros.


Adrian Smith - 57 anos

Adrian Frederik "H" Smith (Londres, 27 de Fevereiro de 1957) é um guitarrista inglês conhecido por tocar na banda de heavy metal Iron Maiden. É atualmente considerado, juntamente com Dave Murray, um dos melhores e mais influentes guitarristas de rock. Integrou-se na banda Iron Maiden logo após a saída de Dennis Straton, por indicação de seu amigo Dave Murray. Adrian manteve-se na banda durante 9 anos (1981-1990), saindo com a entrada de Janick Gers, e voltou, em conjunto com Bruce Dickinson, em 1999, com quem gravou dois álbuns a solo: Accident of Birth e Chemical Wedding. Antes disso trabalhou em outros projetos como os ASAP, gravando inclusive linhas vocais, e Psycho Motel.


quarta-feira, fevereiro 26, 2014

Mais poesia de aniversariante de hoje...

(imagem daqui)

Amor à Vista
 


Entras como um punhal
até à minha vida.
Rasgas de estrelas e de sal
a carne da ferida.

Instala-te nas minas.
Dinamita e devora.
Porque quem assassinas
é um monstro de lágrimas que adora.

Dá-me um beijo ou a morte.
Anda. Avança.
Deixa lá a esperança
para quem a suporte.

Mas o mar e os montes...
isso, sim.
Não te amedrontes.
Atira-os sobre mim.

Atira-os de espada.
Porque ficas vencida
ou desta minha vida
não fica nada.

Mar e montes teus beijos, meu amor,
sobre os meus férreos dentes.
Mar e montes esperados com terror
de que te ausentes.

Mar e montes teus beijos, meu amor!...


in Poesia 1956-1979 (1989) - Fernando Echevarría


-+-+-+


Vinham Rosas na Bruma Florescidas


Vinham rosas na bruma florescidas
rodear no teu nome a sua ausência.
E a si se coroavam, e tingiam
a apenas sombra de sua transparência.

Coroavam-se a si. Ou no teu nome
a mágoa que vestiam madrugava
até que a bruma dissipasse o bosque
e ambos surgissem só lugar de mágoa.

Mágoa não de antes ou de depois. Presente
sempre actual de cada bruma ou rosa,
relativos ou não no espelho ausente.

E ausente só porque, se não repousa,
é nome rodopio que, na mente,
em bruma a brisa em que se aviva a rosa.


in Poesia 1956-1979 (1989) - Fernando Echevarría


-+-+-+


Felizes


Felizes. Porque, ao fundo de si mesmos,
cheios andam de quanto vão pensando.
E, disso cheios,
nada mais sabem. Dão para aquele lado
onde o mundo acabou, mas resta o eco
de o haverem pensado até ao cabo
e irem agora criar o movimento
que subsiste no tempo
de o mundo ainda estar a ser criado.
Por isso são felizes. Foram sendo
até, perdido o tempo, só em memória o estarem


in Figuras (1987) - Fernando Echevarría

Há 21 anos um atentado ao World Trade Center provocou seis mortes

O atentado ao World Trade Center, ocorrido a 26 de fevereiro de 1993, foi feito recorrendo a um carro-bomba  que foi detonado por terroristas árabes islâmicos no parque de estacionamento subterrâneo por baixo da Torre Um do World Trade Center, na cidade de Nova Iorque. Os 680 kg do dispositivo de combustível e nitrato mataram 6 e feriram 1042 pessoas. A sua intenção era devastar as fundações (alicerces) da Torre Norte, para que colapsasse por cima da sua gémea (a Torre Sul).
O ataque foi planejado por um grupo de conspiradores que incluiam Ramzi Yousef, o Sheik Omar Abdel-Rahman, El Sayyid Nosair, Mahmud Abouhalima, Mohammad Salameh, Nidal Ayyad, Ahmad Ajaj e Abdul Rahman Yasin. O financiamento foi feito por um membro da Al-Qaeda, Khaled Shaikh Mohammed, tio de Yousef.
A bomba explodiu na garagem subterrânea às 12.17 horas locais (UTC-5), gerando uma pressão estimada de mais de 1 GPa (Giga Pascal) e abrindo um buraco com 30 metros de diâmetro, através de quatro andares de concreto. A velocidade de detonação desta bomba foi cerca de 4,5 km/s.

Adíos, Paco...

Morreu o guitarrista Paco de Lucía


O guitarrista espanhol Paco de Lucía morreu na última madrugada, aos 66 anos. O músico sofreu um enfarte cardíaco enquanto se encontrava numa praia, no México, de acordo com a imprensa espanhola.
Nascido a 21 de dezembro de 1947, em Algeciras, Francisco Sánchez Gómez fez carreira como compositor, produtor e guitarrista, notabilizando-se como um dos principais intérpretes do flamenco, género que tentou reinventar e renovar.
"Não tenho medo que se perca a essência do flamenco", declarou um dia, em agosto de 2004, depois de receber o Prémio Príncipe das Astúrias, distinção maior das artes e da cultura em Espanha. Foi, segundo diz o jornal El País, um "revolucionário da guitarra", alguém que se converteu numa referência mundial.
Começou a subir aos palcos ainda em tenra idade, aos 12 anos, na terra natal. O sucesso comercial chegaria na década de 1970, com uma rumba, Entre dos aguas.


"Um guitarrista tem de ter mais do que ritmo, tem de ter ar. Ar é fundamental", declarou na mesma entrevista de 2004, quando o seu país lhe outorgou o prémio Príncipe das Astúrias. Paco de Lucía tinha esse horizonte largo: mesclou o flamenco com jazz, com bossa nova, com blues, com outros géneros musicais que atravessam o mundo e o planeta como ele atravessou. Fez múltiplas digressões mundiais e depois de viver alguns anos no México, voltaria a fixar-se em Espanha. 
A sua morte foi anunciada pela Câmara de Algeciras, terra natal do músico. Na altura, encontrava-se em Cancun, no México, onde tinha casa. Estava numa praia quando subitamente se sentiu indisposto.

in Público - ler notícia

Corinne Bailey Rae - 35 anos!

Corinne Bailey Rae (nascida Corinne Jacqueline Bailey; Leeds, 26 de Fevereiro de 1979) é uma cantora britânica de soul music. Atualmente, Bailey Rae está a fazer The Sea Tour pela Europa e América do Norte, para divulgar o álbum do mesmo nome.

Biografia
Corinne nasceu e se criou na cidade de Leeds, na Inglaterra, filha de pai de São Cristóvão e Nevis e mãe inglesa, sendo a mais velha de três irmãs. Canta desde criança. Começou como muitas cantoras de Soul Music, cantando em coros de Igreja. Na escola, chegou a estudar violino clássico, mas não levou tal aprendizagem muito adiante, pois tinha ambições diferentes.
Uma delas, foi sua primeira aventura fora dos coros: uma banda indie que formou, aos 15 anos, com jovens da sua cidade, que foi batizada de Helen. O som possuía influências estilísticas de Led Zeppelin unida com a vontade der obter o mesmo sucesso de bandas femininas anteriores, como Veruca Salt e L7. Corinne era a vocalista e autora das letras que embalavam os hits da banda. Helen chegou a destacar-se localmente, dando visibilidade ao talento daquela jovem vocalista.
A banda durou pouco mais de 3 anos, dissolvendo-se após a gravidez da guitarrista.
Depois do fim da banda Helen, Rae estudou Literatura Inglesa, na Universidade de Leeds, licenciando-se em 2000. Enquanto estava a estudar, trabalhava à noite na chapelaria de um clube de jazz local. Ali, nos dias de menor movimento, subia ao palco para cantar, acompanhada pela banda do clube. Foi lá que descobriu um tipo diferente de música, que a levou a uma outra direção: "Eu ficava ouvindo jazz e soul e descobri que adorava música também."
Nessa época, conheceu Jason Rae (n. 1976), um saxofonista escocês, com quem se casou em 2001, aos vinte e dois anos. Jason foi encontrado morto em 22 de março de 2008, por overdose de metadona e álcool.
Depois de 10 anos, cantando com algumas componentes da banda, ou então em festas de família, Corinne já possuía material suficiente para lançar um CD. Foi então que a gravadora EMI a descobriu e decidiu apostar em seu reportório. Porém, meses antes do lançamento do álbum, a gravadora fez com que Corinne apresentasse ao público o single "Like a Star". O retorno não poderia ser melhor. O sucesso da música lhe concedeu o prémio "Som de 2006" da BBC, muitas capas de revista e diversas entrevistas em programas de rádio.
Em 27 de fevereiro de 2006, Corinne lançou o seu álbum a solo. Com influências de jazz (de que se declara fã), de música clássica e da soul music, Corinne então consolidou a sua imagem e encantou o Reino Unido com a sua voz doce e suave, arrancando da crítica jornalística artigos absolutamente positivos, e aplausos do público.
A principal marca de Corinne, como cantora, é o profundo sentimento que põe nas letras das suas músicas, unido ao fantástico poder de encantar e prender o ouvinte. As músicas do CD tem um toque de leveza, confirmado pela própria aparência angelical da cantora, mas que não foge das suas influências de black music, fazendo uma mistura de estilos sem se perder nos arranjos. A individualidade do seu trabalho reflete-se em cada estrofe das letras musicais, que, embora sentimentais, não pecam por excesso.


Fernando Echevarría - 85 anos!

(imagem daqui)

Fernando Echevarría (Cabezón de la Sal, Santander, Espanha, 26 de fevereiro de 1929) é um poeta português. Nascido na Cantábria, filho de pai português e mãe espanhola, veio com dois anos para Portugal, para Vila Nova de Gaia, onde fez os seus estudos de ensino secundário e cursou Humanidades. Aos dezassete anos voltou para Espanha, onde estudou Filosofia e Teologia, sem concluir qualquer curso. Optou pela carreira docente, primeiro no Porto e depois, já exilado em Paris, para onde parte em 1961 e onde passou novamente a residir desde 1966, após ter estado em Argel, entre 1963 e 1966, residindo desde então na cidade-luz. Embora sendo fluente noutras línguas, escreveu sempre em português e só ocasionalmente nas línguas castelhana e francesa (parte da sua obra está traduzida em francês, castelhano, inglês e romeno). Colaborou em várias revistas literárias portuguesas como Anto, Graal, Cavalo Azul, Eros, Colóquio/Letras, A Phala, Hífen e Limiar. A sua poesia, com um barroquismo intenso, que lhe caldeia o estilo, faz adivinhar o seu fascínio pela poesia de Gôngora e pelas “analogias truncadas” de Mallarmé. Já a busca de um lirismo abstracto e essencial aproximava-o de dois grupos de poetas espanhóis: a Geração de 98, com poetas como António Machado e Juan Ramón Jiménez, e da Geração de 27, com Jorge Guillén e Pedro Salinas como exemplos. Pode dizer-se que a poesia de Echevarría se se insere na corrente antirrealista dos anos 50 do século XX, marcada sobretudo pela sensibilidade metafísica e artística e pelo "imaginismo". Já com uma idade avançada, continua escrever com uma pujança que não se esperava, como o prova o seu último livro, Categorias e Outras Paisagens, livro de poesia lançado em outubro de 2013, com 511 páginas.

Obras
  • Entre Dois Anjos (1956)
  • Tréguas para o Amor (1958)
  • Sobre as Horas (1963)
  • Ritmo real (1971)
  • A Base e o Timbre (1974)
  • Media Vita (1979)
  • Introdução à Filosofia (1981)
  • Fenomenologia (1984)
  • Figuras (1987)
  • Poesia (1956-1979) (1989)
  • Livro (1991)
  • Sobre os Mortos (1991)
  • Poesia (1980-1984) (1993)
  • Uso da penumbra (1995)
  • Geórgicas (1998)
  • Poesia (1987-1991) (2001)
  • Introdução à Poesia (2001)
  • Corpo Intenso (2003)
  • Epifanías (2006)
  • Obra Inacabada [Poesia Completa 1956-2006] (2006)
  • Lugar de Estudo (2009)
  • Antologia (2010)
  • In Terra Viventium (2011)
  • Categorias e Outras Paisagens (2013)
Prémios
  • Grande Prémio de Poesia do Pen Club (1981 e 1998), por Introdução à Filosofia
  • Grande Prémio de Poesia Inasset (1987), por Figuras
  • Grande Prémio de Poesia da Associação Portuguesa de Escritores (1991), por Sobre os Mortos
  • Prémio de Eça de Queiroz (1995)
  • Prémio de Poesia António Ramos Rosa (1998)
  • Prémio Luís Miguel Nava (1999)
  • Prémio Teixeira de Pascoaes (2002)
  • Prémio Padre Manuel Antunes (2005), pelo Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura
  • Prémio D. Dinis (2007), pela Casa de Mateus
  • Grande Prémio Sophia de Mello Breyner Andresen (2008) por toda sua trajetória poética compilada em 'Obra Inacabada'
Condecorado, pelo Presidente de República Portuguesa, com a Ordem do Infante D. Henrique, Grande Oficial, em 8 de junho de 2007.



Escrevemos Docemente

Escrevemos docemente. Se a figura
sobe de estar tão funda a essa mesa
é que escrever se lembra. E só da altura
de se lembrar percorre a linha acesa

a ponta de escrever, que traça a pura
forma de rosto que abre na tristeza.
E a tristeza ilumina de escultura
penumbras de volumes com que pesa.

Por isso é docemente que da linha
de estar ali aonde sempre esteve
aparece figura de rainha

que sempre foi e agora só se escreve.
E escrevermos é como se na vinha
o sol se iluminasse. E fosse breve.

 

in Figuras (1987) - Fernando Echevarría

Johnny Cash nasceu há 82 anos

John R. Cash, mais conhecido como Johnny Cash, (Kingsland, 26 de fevereiro de 1932 - Nashville, 12 de setembro de 2003) foi um cantor e compositor norte-americano de música country, conhecido por seus fãs como "O Homem de Preto". Em uma carreira que durou quase cinco décadas ele foi para muitas pessoas a personificação do country. A sua voz sepulcral e o distintivo som "boom chicka boom" da sua banda de apoio, os "Tennessee Three", dão às canções de Johnny Cash o seu som característico.


Fats Domino faz hoje 86 anos

Fats Domino (Nova Orleans, Louisiana, 26 de fevereiro de 1928) é um dos mais importantes cantores, compositores e pianistas do rock e R&B em todos os tempos. O seu nome completo de batismo é Antoine Dominique Domino.

Domino atraiu a atenção nacional com a música "The Fat Man" em 1949, gravada pela Imperial Records. Essa música é uma das primeiras gravações de rock and roll, apresentando piano ritmado e Domino cantando "wah-wah" acompanhado de uma batida forte. A gravação vendeu mais de um milhão de cópias, e é tida como a primeira gravação de rock n roll a fazer isso.
Fats Domino lançou uma série de hits com o produtor e co-compositor Dave Bartholomew, os saxofonistas Herbert Hardesty e Alvin "Red" Tyler e o baterista Earl Palmer. Outros músicos notáveis e companheiros de longa data na banda de Fats foram os saxofonistas Reggie Houston, Lee Allen, e Fred Kemp. Fats finalmente passou para o mainstream da música pop com "Ain't That a Shame" (1955), que alcançou o top 10, mais tarde Pat Boone alcançou a primeira posição com uma versão cover da música que obteve um alcance maior de audiência tocando em rádios na época da segregação racial. Domino teve 37 singles no Top 40.
O primeiro álbum de Fats Domino, "Carry on Rockin", foi lançado em novembro de 1955 e subsequentemente relançado como Rock and Rollin' with Fats Domino in 1956. Combinando uma quantidade de hits e algumas faixas que ainda não haviam sido lançadas como single o álbum alcançou com seu título alternativo o número 17 no Top 200 de álbuns pop da Billboard. A sua versão para a música de 1940 de Vincent Rose, Al Lewis e Larry Stock, "Blueberry Hill" alcançou o segundo lugar no Top 40, foi primeiro lugar nas paradas R&B durante 11 semanas, e foi seu maior hit. "Blueberry Hill" vendeu mais de 5 milhões de copias no mundo entre 1956 e 1957. A música havia sido gravada anteriormente por Gene Autry e Louis Armstrong entre outros. Ainda teve outros singles que viraram hits entre 1956 e 1959, incluindo "When My Dreamboat Comes Home" (#14 Pop), "I'm Walkin'" (#4 Pop), "Valley of Tears" (#8 Pop), "It's You I Love" (#6 Pop), "Whole Lotta Loving" (#6 Pop), "I Want to Walk You Home" (#8 Pop), e "Be My Guest" (#8 Pop).
Fats aparece em dois filmes lançados em 1956: Shake, Rattle & Rock! e The Girl Can't Help it.
Em 2 de janeiro de 1956 um tumulto acabou com um show de Fats Domino em Fayetteville, Carolina do Norte, e a polícia teve que utilizar bombas de gás para controlar a multidão. Fats pulou de uma janela para evitar a luta; ele e outros dois componentes da banda tiveram ferimentos superficiais.
Até o começo de 1962 Fats continuou lançando uma série de sucessos pela Imperial Records, incluindo "Walkin' to New Orleans" (1960) (#6 Pop), co-escrita por Bobby Charles, e "My Girl Josephine" (#14 Pop) no mesmo ano. Depois que a gravadora foi vendida no começo de 1963, Fats abandonou o selo. "Fiquei preso a eles até eles serem vendidos" foi o que declarou em 1979. Ao todo, Domino gravou mais de 60 singles pelo selo, colocando 40 músicas no top 10 das paradas R&B, e 11 singles no top 10 das paradas Pop. Vinte e dois dos singles por Fats na Imperial Records foram hits double-side.


terça-feira, fevereiro 25, 2014

Há 50 anos, Cassius Clay tornou-se campeão do Mundo de Pesos Pesados de Boxe antes de se tornar Muhammad Ali

1964-02-25 : Sonny Liston 218 lbs lost to Muhammad Ali 210½ lbs by RTD in round 6 of 15

  • Location: Convention Center, Miami Beach, Florida, USA
  • Referee: Barney Felix 57-57
  • Judge: Bernie Lovett 58-56
  • Judge: Gus Jacobson 56-58 
  • World Heavyweight Title (2nd defense by Liston)

The fight was held on February 25, 1964, in Miami Beach, Florida, where Clay was residing at the time and where his trainer, Angelo Dundee, operated The 5th Street Gym. There was a crowd of 8,297 at the Convention Center.
The fight began with Clay showing a lot of movement, using his fast and effective jab and quick combinations, making it difficult for Liston to score with his slower jab and heavy punches. In the third round, Clay opened up his attack and hit Liston with several combinations that caused a bruise under Liston's right eye and a cut under his left. During the fourth round, Clay coasted, keeping his distance. However, when he returned to his corner, he started complaining that there was something burning in his eyes and that he could not see. Angelo Dundee rinsed Clay's eyes with a sponge and pushed him off his stool to begin the fifth round, telling him to stay away from Liston.
Many theorized that a substance used to stop Liston's cuts from bleeding (possibly Monsel's Solution) may have inadvertently caused the irritation. However, one of Liston's cornermen, Joe Pollino, confessed to reporter Jack McKinney years later that Liston ordered him to rub an astringent compound on his gloves before the fourth round. Pollino complied, and Liston shoved his gloves into Clay's face in the fourth.
Clay managed to survive the fifth round and by the sixth, his eyes had cleared and he resumed control of the fight. During the sixth, Clay landed several effective combinations, seemingly at will. On his stool following the sixth round, Liston told his cornermen that he couldn't continue, complaining of a shoulder injury. He failed to answer the bell for the seventh round and Clay was declared the winner by technical knockout. Clay sprang to the center of the ring and did a victory dance with his hands held high. He then quickly ran to the ropes and began yelling at the ringside media, saying, "I am the greatest" and "I shook up the world!"
Because Liston was a prohibitive favorite and had ties to organized crime, many speculated that the fight was fixed. However, there was no evidence to support that claim.

in BoxRec

Luísa LoveFoxxx, a vocalista da banda Cansei de Ser Sexy, fez hoje 30 anos!

LoveFoxxx ou Luísa LoveFoxxx, nomes artísticos de Luísa Hanaê Matsushita, (Campinas, 25 de fevereiro de 1984) é uma cantora brasileira, líder do grupo brasileiro de S. Paulo de rock Cansei de Ser Sexy.

Biografia
O seu Pai é descendente de japoneses e a sua mãe é descendente de alemães.
Aos 16 anos, foi morar em São Paulo e na mesma época, quando começou a trabalhar com ilustrações, passando a assinar os seus trabalhos como Luísa LoveFoxxx.
Em 2003, enquanto trabalhava como designer gráfica de estilo para as marcas Triton e Fórum, entrou para a banda Cansei de Ser Sexy e, posteriormente, deixou o emprego para dedicar-se unicamente ao grupo. O sexteto foi contratado em 2005 pela Trama e no ano seguinte, pelo selo americano Sub Pop, berço de bandas como Nirvana e Mudhoney.
Foi apresentadora do programa Music Box no SBT e em 2006, assinou as ilustrações de uma coleção de sandálias Melissa, assim como o novo design da fachada das lojas. Também ganhou uma coluna na revista Capricho.
Foi escolhida em 2007 pela revista especializada NME como uma das três personalidades mais "cool" do mundo. Em 2008 foi capa de abril da importante revista inglesa de cultura jovem Dazed & Confused.


Molotov morreu há 28 anos

Viatcheslav Mikhailovitch Molotov, nascido Viatcheslav Mikhailovitch Scriábin (Sovietsk, 9 de março de 1890 - Moscovo, 8 de novembro de 1986), foi um diplomata e político da União Soviética com destaque entre os anos 20 e 50 do século XX.
Nascido na pequena aldeia de Kukarka (atual Sovietsk, no Óblast de Kirov), Molotov era filho de um pequeno comerciante judeu, e foi educado numa escola secundária em Kazan, onde se juntou à facção bolchevique do Partido Operário Social-Democrata Russo, em 1906. Adotou o pseudónimo de Molotov (do russo molot, "martelo"). Foi preso em 1909 e passou dois anos no exílio na Sibéria. Em 1911 se inscreveu na Universidade Politécnica de São Petersburgo, e tornou-se um dos editores do Pravda, o jornal bolchevique clandestino do qual Estaline também era editor. Em 1913 Molotov foi preso novamente, e deportado para Irkutsk, de onde escapou em 1915 e regressou à capital. Em 1920 ingressou no Comité Central do PCUS, foi dirigente da Internacional Socialista no período 1928-1934.
Na qualidade de membro do Politburo, foi responsável pela campanha de requisições das colheitas na Ucrânia, causando a fome-genocídio de 1932-1933, o Holodomor. Sendo um dos principais colaboradores de Estaline, foi Ministro de Relações Exteriores da URSS no período 1939-1949 e 1953-1956. Em 1957, foi afastado da direção do Partido por Nikita Khrushchov, em virtude da sua oposição à "desestalinização" e nomeado embaixador na Mongólia, cargo que exerceu entre 1957 e 1960 tendo logo após sido indicado para chefiar a representação da URSS na Organização Internacional de Energia Atómica, sediada em Viena, tendo permanecido neste cargo até 1962, até ser excluído do Partido Comunista. Foi readmitido no Partido em 1984.
O seu nome tornou-se célebre pela popularidade do Cocktail Molotov, arma química artesanal incendiária muito utilizada em guerrilhas e manifestações urbanas, batizada humoristicamente com o seu nome.
Mas a sua mais relevante participação na história mundial foi a assinatura do Tratado Molotov-Ribbentrop, o pacto de não-agressão firmado entre a União Soviética e a Alemanha Nazi em 1939. O tratado perdurou até o dia 22 de junho de 1941, quando Adolf Hitler quebrou o pacto, ordenando a invasão do território soviético na chamada Operação Barbarossa.

 
Soldado finlandês com um Cocktail Molotov durante a Guerra de Inverno
 
O Cocktail Molotov é uma arma química incendiária geralmente utilizada em protestos e guerrilhas urbanas.
A sua composição inclui uma mistura líquida inflamável e perigosa ao ser transportada, como petróleo, gasolina, ácido sulfúrico, clorato de potássio, álcool e éter etílico, misturados no interior de uma garrafa de vidro, e pano embebido do mesmo combustível na mistura dum pavio. O pavio pode ser desnecessário dependendo da mistura se for arremessado sobre o alvo, devido à composição química no interior e a faísca produzida no choque da garrafa ao se arremessar contra o alvo.
O nome deriva do diplomata soviético Vyacheslav Mikhailovich Molotov. Esse nome foi atribuído, por ironia, pelos finlandeses durante a invasão da Finlândia pela União Soviética, na Guerra de Inverno em 1939. O então comissário de Relações Exteriores afirmou em programas de rádio que os soviéticos não estavam jogando bombas sobre os finlandeses, e sim lhes fornecendo alimentos. Esses últimos passaram a chamar às suas bombas de cesto de pães de Molotov, e a denominar as suas bombas artesanais de "Cocktails Molotov".
 

George Harrison nasceu há 71anos

George Harrison (Liverpool, 25 de fevereiro de 1943 - Los Angeles, 29 de novembro de 2001) foi um artista inglês, cuja carreira abrangeu diversas áreas. Músico, compositor, ator e produtor de cinema, Harrison atingiu fama internacional como guitarrista dos Beatles. Por vezes referido como "o Beatle calmo", Harrison, com o passar do tempo, tornou-se um admirador do misticismo indiano, introduzindo-o nos Beatles, assim como aos seus fãs no Ocidente. Após a dissolução da banda, ele teve uma bem-sucedida carreira a solo; posteriormente, também obteve sucesso como membro dos Traveling Wilburys e como produtor de cinema e musical. Harrison ocupa a 11ª posição da lista "Os 100 Maiores Guitarristas de Todos os Tempos", da revista Rolling Stone.
Ainda que a maioria das músicas dos Beatles tenham sido sobretudo compostas por Lennon e McCartney, os álbuns do grupo, a partir de With the Beatles (1963), geralmente incluíam uma ou duas músicas da autoria de Harrison. As suas últimas composições com o grupo incluíram "Here Comes the Sun", "Something" e "While My Guitar Gently Weeps". À época do fim da banda, Harrison havia acumulado uma grande quantidade de material, lançado em seu aclamado álbum triplo All Things Must Pass, de 1970, do qual saíria o single "My Sweet Lord". Em complemento à sua carreira solo, Harrison co-escreveu, junto de Ringo Starr, duas músicas de sucesso, assim como músicas para os Traveling Wilburys - o supergrupo formado por ele, Bob Dylan, Tom Petty, Jeff Lynne e Roy Orbison, em 1988.
Harrison envolveu-se com a cultura indiana e o hinduísmo em meados dos anos 60, ajudando a expandir e disseminar, pelo Ocidente, um instrumentos como o sitar e o movimento Hare Krishna. Juntamente de Ravi Shankar, ele organizou um grande evento de caridade em 1971, o Concerto para o Bangladesh.
Além de músico, Harrison também foi um produtor musical e co-fundador da HandMade Films. No seu trabalho como produtor de cinema, ele colaborou com artistas como os Monty Phyton e a cantora e atriz Madonna.
Casou-se duas vezes, com a modelo Pattie Boyd, de 1966 a 1974, e durante 24 anos, com Olivia Trinidad Arias, com quem teve um filho, Dhani Harrison. Era amigo íntimo de Eric Clapton. É o único Beatle, até hoje, a ter publicado uma autobiografia, I Me Mine, em 1980. Harrison morreu de cancro do pulmão, em 2001.


Renoir nasceu há 173 anos

Desde o princípio que a sua obra foi influenciada pela sensualidade e pela elegância do rococó, embora não faltasse um pouco da delicadeza do seu ofício anterior, como decorador de porcelana. O seu principal objetivo, como ele próprio afirmava, era conseguir realizar uma obra agradável para o olhar. Apesar de sua técnica ser essencialmente impressionista, Renoir nunca deixou de dar importância à forma - de facto, teve um período de rebeldia diante das obras de seus amigos, no qual se voltou para uma pintura mais figurativa, evidente na longa série Banhistas. Mais tarde retomaria a plenitude da cor e recuperaria a sua pincelada enérgica e ligeira, com motivos que lembram o mestre Ingres, pela sua beleza e sensualidade.
A sua obra de maior impacto é Le Moulin de la Galette, em que conseguiu elaborar uma atmosfera de vivacidade e alegria à sombra refrescante de algumas árvores, aqui e ali intensamente azuis. Percebendo que traço firme e riqueza de colorido eram coisas incompatíveis, Renoir concentrou-se em combinar o que tinha aprendido sobre cor, durante o seu período impressionista, com métodos tradicionais de aplicação de tinta. O resultado foi uma série de obras-primas bem ao estilo de Ticiano, assim como de Fragonard e Boucher, pintores a quem ele admirava. Os trabalhos que Renoir incluiu numa mostra individual de 1870, organizada pelo marchand Paul Durand-Ruel, foram elogiados, e seu primeiro reconhecimento oficial veio quando o governo francês comprou Ao Piano, em 1892.

Retrato de Madame Henriot, 1876

Cesário Verde nasceu há 159 anos

José Joaquim Cesário Verde (Lisboa, 25 de fevereiro de 1855 - Lumiar, 19 de julho de 1886) foi um poeta português, sendo considerado um dos precursores da poesia que seria feita em Portugal no século XX.
Filho do lavrador e comerciante José Anastácio Verde e de Maria da Piedade dos Santos Verde, Cesário matriculou-se no Curso Superior de Letras em 1873, mas apenas o frequentou alguns meses. Ali conheceu Silva Pinto, que ficou seu amigo para o resto da vida. Dividia-se entre a produção de poesias (publicadas em jornais, destacando-se a revista Branco e Negro, entre 1896 e 1898) e as actividades de comerciante, herdadas do pai.
Em 1877 começou a ter sintomas de tuberculose, doença que já lhe tirara o irmão e a irmã. Estas mortes inspiraram contudo um de seus principais poemas, Nós (1884).
Tenta curar-se da tuberculose, mas sem sucesso, vem a falecer no dia 19 de julho de 1886. No ano seguinte Silva Pinto organiza O Livro de Cesário Verde, compilação da sua poesia publicada em 1887.
No seu estilo delicado, Cesário empregou técnicas impressionistas, com extrema sensibilidade ao retratar a Cidade e o Campo, que são os seus cenários predilectos. Evitou o lirismo tradicional, expressando-se de uma forma mais natural.


Impossível

Nós podemos viver alegremente,
Sem que venham com fórmulas legais,
Unir as nossas mãos, eternamente,
As mãos sacerdotais.

Eu posso ver os ombros teus desnudos,
Palpá-los, contemplar-lhes a brancura,
E até beijar teus olhos tão ramudos,
Cor de azeitona escura.

Eu posso, se quiser, cheio de manha,
Sondar, quando vestida, pra dar fé,
A tua camisinha de bretanha,
Ornada de crochet.

Posso sentir-te em fogo, escandescida,
De faces cor-de-rosa e vermelhão,
Junto a mim, com langor, entredormida,
Nas noites de verão.

Eu posso, com valor que nada teme,
Contigo preparar lautos festins,
E ajudar-te a fazer o leite-creme,
E os mélicos pudins.

Eu tudo posso dar-te, tudo, tudo,
Dar-te a vida, o calor, dar-te cognac,
Hinos de amor, vestidos de veludo,
E botas de duraque

E até posso com ar de rei, que o sou!
Dar-te cautelas brancas, minha rola,
Da grande loteria que passou,
Da boa, da espanhola,

Já vês, pois, que podemos viver juntos,
Nos mesmos aposentos confortáveis,
Comer dos mesmos bolos e presuntos,
E rir dos miseráveis.

Nós podemos, nós dois, por nossa sina,
Quando o Sol é mais rúbido e escarlate,
Beber na mesma chávena da China,
O nosso chocolate.

E podemos até, noites amadas!
Dormir juntos dum modo galhofeiro,
Com as nossas cabeças repousadas,
No mesmo travesseiro.

Posso ser teu amigo até à morte,
Sumamente amigo! Mas por lei,
Ligar a minha sorte à tua sorte,
Eu nunca poderei!

Eu posso amar-te como o Dante amou,
Seguir-te sempre como a luz ao raio,
Mas ir, contigo, à igreja, isso não vou,
Lá essa é que eu não caio!

 

in O Livro de Cesário Verde (1887) - Cesário Verde