domingo, fevereiro 28, 2010

Reciclagem de óleos alimentares - notícia (II)

E você, já recicla o óleo dos fritos?
Por Helena Geraldes (helena.geraldes@publico.pt)


Os oleões têm passado os últimos anos meio escondidos. Hoje, as autarquias estão a levá-los para as ruas... e para as cozinhas.


Centenas de câmaras municipais por todo o país estão a esforçar-se para aumentar a família dos vidrões, papelões, plasticões e pilhões. De Norte a Sul, os munícipes começam a deparar-se com oleões nos passeios, de várias cores e feitios. E estamos só no princípio.

Depois do vidro, papel, metal, plásticos e pilhas, é chegada a vez de recolher o óleo alimentar usado que as cozinhas portuguesas deitam fora, à razão de entre 43 mil e 65 mil toneladas por ano. Desde o óleo que sobra das frituras àquele que escorremos das latas de atum. A maioria vem do sector doméstico (62 por cento), o resto é da hotelaria, restauração e bebidas (37 por cento).

Até há bem pouco tempo, a recolha de óleos alimentares usados era promovida com contentores em escolas, juntas de freguesia, hipermercados ou quartéis dos bombeiros. Mas algo mudou a 1 de Novembro de 2009, quando entrou em vigor o Decreto-Lei n.º 267/2009: a partir desse dia, o desafio deixou de ser voluntário e pontual para se tornar nacional e obrigatório.

"A nossa primeira abordagem, no mandato anterior, foi promover acordos voluntários. Foi um esforço meritório mas não deu os resultados de acordo com a nossa ambição", explica Humberto Rosa, secretário de Estado do Ambiente, em declarações ao Cidades. "Por isso decidimos avançar para um modelo obrigatório. Tínhamos a percepção de que o país já estava maduro."

Hoje em dia, estão instalados 439 pontos de recolha de óleos alimentares usados em Portugal, de acordo com os dados mais recentes da Agência Portuguesa do Ambiente (APA) a que o Cidades teve acesso. A agência que acompanha o cumprimento da legislação ainda não tem dados sobre os Açores, Beja, Évora, Setúbal e Viana do Castelo.

Segundo o Decreto-Lei n.º 267/2009, a primeira meta é o ano de 2011. Até 31 de Dezembro desse ano, os municípios com mais de 300 mil habitantes devem disponibilizar, pelo menos, 40 pontos de recolha. Em 2015, esse número deverá ser o dobro. Consoante o número de habitantes, o número de oleões varia, até chegar aos municípios com menos de 25 mil habitantes. Estes devem disponibilizar oito pontos de recolha até ao final de 2011 e 12 até ao final de 2015.

Os distritos de Lisboa e o arquipélago da Madeira são aqueles que têm, na totalidade, maior número de pontos de recolha, entre 60 e 110. Seis distritos têm menos de 20 pontos de recolha.

Mas Portalegre e Bragança são os distritos com maior número de pontos de recolha por 100 mil habitantes, 146 e 75, respectivamente.

Humberto Rosa está satisfeito com o ritmo a que as autarquias estão a aderir a esta missão. Colocar oleões nas ruas está a acontecer "a um ritmo muito bom. Não encontrámos qualquer resistência" e "várias câmaras têm as suas próprias iniciativas". É o caso do Seixal, onde dez viaturas municipais já são alimentadas graças ao óleo alimentar usado que os moradores entregaram, e de Setúbal, que sensibilizou as escolas para ajudar na recolha destes resíduos. O Barreiro começou em Abril do ano passado, colocando 15 contentores nas escolas e restaurantes. E a Praia da Vitória, nos Açores, lançou uma campanha de recolha porta-a-porta no centro urbano. Mas estas estão longe de serem as únicas câmaras preocupadas com a poluição dos óleos.


Óleo, esse grande poluidor

Na verdade, estes resíduos nada têm de inocente. Segundo a APA, um litro de óleo doméstico deitado no ralo da banca da cozinha chega a contaminar, de uma só vez, um milhão de litros de água.

Cármen Lima, da Quercus, lembra ainda que quando os óleos são deitados pelo ralo e acabam na conduta do prédio, "a acumulação de gorduras causa problemas nas próprias instalações dos edifícios". E quando entram nas estações de tratamento de águas residuais "são mais um resíduo que tem de ser removido, o que acrescenta despesa no tratamento suplementar".

Finalmente, quando chegam aos rios, não deixam de ser um "produto que não é natural. Apesar de não ser um produto perigoso como o óleo das oficinas, aumenta a carga orgânica de tal forma que leva à falta de oxigénio para a vida aquática", explica.

Mas, no final do dia, grande parte do sucesso deve-se aos cidadãos. "Estes vêem com bons olhos os oleões. Isto faz com que as câmaras disponibilizem este serviço aos munícipes", alega Humberto Rosa.

Segundo Cármen Lima, "há três tipos de autarquias: as que já tinham recolha; as que se estão a esforçar com alguma dificuldade por causa dos custos financeiros; e outras que estão completamente perdidas". Mas cada vez há mais câmaras a estabelecer parcerias com empresas que as ajudam a adquirir os oleões e a recolherem os óleos usados, transformando-os em biodiesel. É toda uma nova dinâmica de negócio.

Ao contrário do que acontece com pilhas, medicamentos e pneus, por exemplo, os óleos alimentares usados não terão uma entidade gestora, frisa Humberto Rosa. "Estão muito bem definidas as responsabilidades de cada um dos intervenientes. O fluxo está completo sem necessidade de uma entidade", assevera.

Reciclagem de óleos alimentares - notícia

Quatro exemplos de Norte a Sul

Em Oeiras, o contentor que serve para a recolha de óleos alimentares usados foi pensado de raiz. Cada ponto de recolha, em cor de laranja, dispõe de sensores que medem o nível de enchimento. No início, havia quem pusesse lá dentro outros resíduos, mas agora a população já se habituou

Corria o ano de 2005 quando a câmara e o ISQ (Instituto de Soldadura e Qualidade) entenderam que Oeiras deveria ter um sistema de recolha de óleos alimentares usados, do sector doméstico. Em Outubro arrancou o Oilprodiesel, projecto Life Ambiente que viria a ser escolhido pela Comissão Europeia como um dos 57 melhores que foram concluídos em 2009.

"Queríamos recolher os óleos que iam para o esgoto ou para o lixo", explica Marco António Estrela, do ISQ. Pensaram um oleão de raiz, com sensores para mediar o enchimento. Cor de laranja. Lá dentro, as pessoas deviam colocar o óleo em garrafas de plástico para evitar sujidade.

Os 20 oleões começaram a ser instalados em Junho de 2008. Marco Estrela diz que a iniciativa "teve uma adesão muito grande", mas, de início, "houve enganos". "As pessoas depositavam outras coisas lá dentro". O Oilprodiesel acabou em Março de 2009, mas os oleões continuam na rua. "Os níveis de recolha já são de 14 toneladas por mês". Oeiras não foi a única que se antecipou à legislação. Depois de recolher o óleo dos restaurantes, Vila Real passou a recolher o óleo doméstico, conta o vereador do Ambiente, Miguel Esteves. O primeiro oleão foi colocado nas ruas no início de 2009. "Começámos sem ter em conta a legislação que aí vinha."

Hoje são sete contentores e, garante, "durante o próximo ano serão cumpridas as metas para 2011". A receptividade tem sido "bastante boa". Em 2009 foram recolhidos 1200 litros de óleo.


Reciclar depois do jantar

Engana-se quem pensar que só há uma maneira de resolver o problema dos óleos alimentares usados e que o território dos oleões se limita à rua. Penafiel decidiu pô-los nas cozinhas de cada lar da cidade.

"Há cinco anos já estavam instalados oleões de 50 litros nos restaurantes. Em 2009 quisemos abranger o consumidor final e preparar o terreno para a legislação que aí vinha", explica Antonino de Sousa, vereador com o pelouro da Sustentabilidade Ambiental.

Em Junho de 2009, uma equipa de sete pessoas distribuiu, porta a porta, mais de 2500 minioleões de cinco litros, verdes, de funil incorporado e com tampa antiderrame. Quando estão cheios, as pessoas deslocam-se aos cinco oleões, cada um com capacidade para 200 litros, entretanto espalhados pela cidade.

Além disso, a câmara disponibilizou uma Linha Verde para esclarecimentos sobre os oleões. "A reacção das pessoas foi muito boa", disse o vereador, referindo que existem moradores de zonas não abrangidas pela iniciativa que contactaram a autarquia a pedir minioleões. "Foi interessante ver que havia pessoas de outras freguesias que se deram ao trabalho de vir aqui buscar o seu oleão e que estão dispostas a vir à cidade depositar o seu óleo."

Desde Junho do ano passado, os cinco oleões já foram despejados uma vez. "Se calhar agora já estão outra vez a precisar", estimou o vereador. Este ano, a câmara assinou um protocolo com uma empresa para instalar mais 20 pontos de recolha. Até 2011 haverá um destes contentores ao lado de cada um dos 150 ecopontos de Penafiel.


Do restaurante à nossa casa

A instalação de pontos de recolha para os óleos alimentares usados avança a diferentes velocidades. Ponte de Lima é uma das câmaras municipais que agora está a começar. Porém, não é uma novata no que aos óleos diz respeito.

Desde Novembro de 2008 que há recolha dos óleos produzidos nas cantinas do ensino básico. Agora prepara-se para alargar a recolha ao cidadão comum, ajudando assim a reduzir o "risco de contaminação dos solos e água" que os óleos provocam, quando são eliminados pelos colectores urbanos.

A forma de gestão da rede de recolha selectiva municipal de óleo alimentar usado foi aprovada, por unanimidade, há menos de um mês, a 8 de Fevereiro.

Segundo explicou a vereadora Estela Almeida, com o pelouro do Ambiente, a câmara vai lançar um concurso para uma parceria com uma empresa específica para a gestão de rede de oleões. A autarquia prevê instalar na cidade 16 contentores e sensibilizar as empresas locais a aderir à recolha. Quem aceitar fará parte da rede de empresas amigas do ambiente.

Sismo no Chile - o rescaldo

Música para estes tristes tempos




Smog (Bill Callahan) - Rock Bottom Riser

I love my mother
I love my father
I love my sisters, too.
I bought this guitar
To pledge my love
To pledge my love to you.

I am a rock bottom riser
And I owe it all to you
I am a rock bottom riser
And I owe it all to you

I saw a gold ring
At the bottom of the river
Glinting at my foolish heart
So my foolish heart
Had to go diving
Diving, diving, diving
Into the murk

And from the bottom of the river
I looked up for the sun
Which had shattered in the water
And pieces were rained down
Like gold rings
That passed through my hands
As I thrashed and I grabbed
I started rising, rising, rising

I left my mother
I left my father
I left my sisters, too
I left them standing on the banks
And they pulled me out
Of this mighty, mighty, mighty river

I am a rock bottom riser
And I owe it all to you
I am a rock bottom riser
And I owe it all to you

I love my mother
I love my father
I love my sisters, too.
I bought this guitar
To pledge my love
To pledge my love to you

Museu da Ciência da Universidade de Coimbra - resenha de uma actividade

No passado domingo, dia 21.02.2010, decorreu, conforme por nós aqui anunciado, uma actividade para famílias de divulgação da Geologia no Museu da Ciência da Universidade de Coimbra, intitulada Descobre os Recursos Minerais.

Nós (eu e o meu filhote...) lá fomos e gostámos imenso - as Doutoras (e nossas antigas professoras de curso) Celeste Gomes e Elsa Gomes partilharam um pouco da sua sabedoria com os muitos que pagaram bilhete para esta actividade. Assim vimos primeiro uma apresentação multimédia sobre recursos minerais, seguida de diversas actividades práticas, bem ao gosto dos mais novos, em que descobrimos que em quase tudo há substâncias que os homens tiveram de extrair, com ajuda da Geologia, do interior do nosso planeta. Podemos ainda ver amostras de rochas, fazer um colar com um mineral ou rocha previamente furado, ver rochas ao microscópio petrográfico, desenhar minerais e muitas outras coisas (por exemplo o meu João teve o privilégio de comandar autonomamente o globo em que são projectadas superfícies planetárias do Sistema Solar).

Deu ainda para fazer umas compras na Loja (um livro e um boneco...) e matar saudades da alta de Coimbra - há que dar os parabéns ao Museu e às Doutoras Celeste Gomes e Elsa Gomes, bem como as monitoras (algumas estudantes de Geologia - quase mestras bolonhesas...) pela qualidade da actividade!

Aqui ficam algumas fotos, para memória futura:

Parte dos participantes, com número significativo de escuteiros de Barcouço

Apresentação inicial

Explicação inicial

Atelier com actividades

Lâmina delgada observada em microscópio petrográfico

Um futuro petrólogo?!?

Comandando o sistema de projecção dos principais astros do Sistema Solar

Desenhando minerais na Sala de Exposição principal

Projecto GEOFAR – Geothermal Finance and Awareness in European Regions



A ARENA Agência Regional de Energia e Ambiente dos Açores implementa, a nível nacional, o projecto GEOFAR Geothermal Finance and Awareness in European Regions.

O projecto promovido pela Comissão Europeia no âmbito do Programa IEE Inteligent Energy for Europe tem por objecto a promoção da energia geotérmica e o desenvolvimento de esquemas financeiros para futuros investimentos neste tipo de energia, contando com parceiros de vários países europeus. A página web do projecto pode ser consultada em http://www.geofar.eu/.

Uma das missões da ARENA no Projecto é a elaboração de uma lista de profissionais com experiência técnico-científica em geotermia e termalismo, que possam integrar futuramente um painel de aconselhamento em futuras decisões da União Europeia em matéria de energia geotérmica, no contexto nacional e europeu.

Pretende-se com o presente formulário disponibilizado em http://www.arena.com.pt/geotermal/ que os profissionais que desenvolvam actividade na área da geotermia e termalismo efectuem o seu registo numa base de dados que visa a criação do GEOTERMAL - Plataforma Tecnológica de Geotermia e Termalismo em Portugal, passando desde já a constituir-se como destinatários do Projecto GEOFAR, recebendo, via correio electrónico, documentos resultantes da implementação deste projecto.

Caros leitores, participem e divulguem esta excelente iniciativa junto de outros possíveis interessados!

Sismo no Chile - actualização (CM)

28 Fevereiro 2010 - 00h30

Tragédia: Autoridades falam de pelo menos 214 mortos mas consideram que o número final não deverá duplicar
Sismo devastador no Chile causa tsunami no Pacífico

A maior parte dos edifícios nas zonas atingidas ruiu por completo ou sofreu danos consideráveis

Um sismo com uma magnitude de 8,8 graus atingiu na madrugada de sábado o Chile causando a morte a pelo menos 214 pessoas. A violência do abalo, um dos mais intensos dos últimos cem anos, desencadeou um alerta de tsunami nas zonas costeiras do Oceano Pacífico, abrangendo países tão distantes como Rússia, Austrália, Indonésia, Filipinas e Japão.

O abalo fez-se sentir às 03h34 (06h34 em Lisboa), com epicentro a 35 km de profundidade junto a Cauquenes, localidade 75 km a noroeste de Concepción e 325 km a sul de Santiago. A cidade atingida com maior violência foi Concepción, mas o abalo causou estragos em cinco regiões, nomeadamente na capital, Santiago, onde dezenas de edifícios e infra-estruturas ruíram.

A terra tremeu durante quase dois minutos, arrasando edifícios, entre eles alguns hospitais, derrubando viadutos e pontes, arrancando árvores, cortando estradas e desencadeando incêndios. Um deles atingiu uma fábrica química em Lampa, na zona metropolitana de Santiago. Uma imensa nuvem tóxica escureceu o céu e forçou a evacuação de áreas residenciais.

As comunicações telefónicas e as ligações eléctricas deixaram de funcionar, dificultando o apuramento exacto do número de mortos e de feridos. O terramoto forçou ainda o encerramento do aeroporto de Santiago, levando os voos para o Chile que partiram antes da tragédia a serem desviados para a Argentina.

A região norte deste país foi, entretanto, abalada por outro sismo. Com uma magnitude de 6,1 na escala de Richter, foi um abalo superficial que terá causado pelo menos um morto. Refira-se ainda que na véspera o Japão foi também abalado por um sismo de 6,9 de magnitude.

A presidente chilena em fim de mandato, Michelle Bachelet, declarou "zonas de catástrofe" as regiões mais atingidas pelo sismo: Valparaíso, Libertador General Bernardo O’Higgins, Maulem Biobío e Araucanía, bem como a região metropolitana de Santiago. Bachelet e o seu sucessor, Sebastián Piñera, visitarão nos próximos dias as áreas mais atingidas.

Depois de atingir as ilhas chilenas Juan Fernández, onde fez pelo menos cinco mortos, e as cidades portuárias de Valparaíso e Talcahuano, um tsunami causado pelo abalo no Chile tocou terra na Ilha de Páscoa, nas Galápagos e no arquipélago Gambier, na Polinésia Francesa. Apesar de nestes locais não ter causado danos significativos, no Havai as autoridades alertaram as populações para riscos significativos e ordenaram a evacuação das regiões costeiras.


SISMOS VIOLENTOS

12/01/2010 – Haiti: um sismo de magnitude 7,0 matou mais de 230 mil pessoas, arrasando Port-au-Prince.

26/12/2004 – Samatra, Indonésia: um sismo de magnitude 9,2 desencadeia um tsunami de grande envergadura, que faz 250 mil mortos no Sudoeste Asiático.

28/03/1964 – Alasca, EUA: sismo de magnitude 9,2 mata 128 pessoas e causa danos elevados em Anchorage.

22/05/1960 – Chile, a sul de Concepción: sismo de 9,5 (o mais violento desde 1900, data dos primeiros registos de intensidade sísmica) faz mais de 1650 mortos. O tsunami desencadeado atinge o Havai e o Japão.


PORTUGAL SEM REGISTO DE VÍTIMAS

O Governo português não recebeu ontem qualquer indicação de que houvesse cidadãos lusos entre as vítimas mortais do violento terramoto ocorrido ao largo do Chile, país onde cerca de um milhar de pessoas estão registadas na embaixada de Portugal.

"Não temos conhecimento de qualquer vítima portuguesa", declarou fonte do gabinete do secretário de Estado das Comunidades, António Braga. A mesma fonte explicou que a tutela está a acompanhar a situação através do gabinete de emergência, mas adiantou que as comunicações com o país estavam "difíceis".

Perante a tragédia no Chile, o Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, enviou de imediato uma mensagem de condolências à sua homóloga, e "querida amiga" chilena, Michelle Bachelet, afirmando-se "profundamente consternado com os trágicos efeitos" do violento terramoto que sacudiu o território chileno.


FAMÍLIA DE MATÍAS A SALVO

Matías Fernández, o único desportista chileno a actuar em Portugal (jogador de futebol do Sporting), tem pais e irmãos totalmente a salvo do sismo que varreu o seu país natal, pois vivem em Villarreal (Espanha). Já a família da mulher habita em Viña del Mar, no Chile, uma estância de Verão perto de Santiago, mas estão bem de saúde. Pinilla, chileno que jogou no Sporting, disse que não conseguiu contactar com o pai. "No momento do terramoto ele estava em Concepción, na nossa casa. Ligo e não tenho resposta. Estou muito preocupado."


MAIS DADOS


Solidariedade mundial

Líderes políticos de todo mundo exprimiram solidariedade com o Chile e organizações humanitárias preparam ajuda.


Marinha retira navios

A Marinha dos EUA retirou seis navios de Pearl Harbour, Havai, devido à ameaça de tsunami.


Gasolina esgotada

A fuga para o interior do Havai deixou as gasolineiras sem combustível.

in CM - ler notícia

Sismo do Chile - um sismograma português

Feito pelo geofone de Manteigas:

O estado a que isto chegou

1. Há suspeitas fortíssimas de que os socialistas Armando Vara e Paulo Penedos, alvos de escutas da Polícia Judiciária no processo Face Oculta, foram avisados desse facto pelo próprio aparelho institucional que devia proteger a investigação, a 24 ou 25 de Junho de 2009. A 24 de Junho, recorde-se, o Procurador-Geral da República foi oficialmente notificado da existência dessas escutas.

2. Freitas do Amaral, com a sua indiscutível autoridade de professor de Direito, critica o Procurador-Geral da República num artigo demolidor na revista Visão. «O caso das escutas só é 'meramente político', como diz o PGR, porque este optou por uma concepção muito restritiva do conceito de 'atentado ao Estado de Direito'», salienta o ex-ministro dos Negócios Estrangeiros de José Sócrates.

3. Um dos maiores especialistas portugueses em Direito Penal, Manuel da Costa Andrade, acaba de sublinhar, em artigo no Público, que o valor da lilberdade de imprensa e o escrutínio do comportamento dos políticos pelos jornalistas podem afastar a ilicitude da suposta violação do segredo de justiça. Até porque os jornalistas «têm o direito de não ser colocados na mira da fúria e do arbítrio dos detentores do poder».

4. O boy socialista Rui Pedro Soares, que prestava funções no Departamento de Marketing da PT Multimédia, passando depois pelo departamento de gestão de edifícios da mesma empresa, chegou à Comissão Executiva da PT após a vitória socialista nas legislativas de 2005. Uma promoção espectacular. Quem disse que Portugal não é um país de oportunidades?

5. Ricardo Sá Fernandes, que foi secretário de Estado das Finanças com António Guterres, garante em entrevista ao i que deixará de votar PS se Sócrates não esclarecer todo o caso das escutas. «O primeiro-ministro e a sua entourage estão a lidar com isto da pior maneira possível porque estão a esconder-se atrás do segredo de justiça, quando o problema não é de segredo de justiça. Por razões formais que existam, há uma razão substancial que passa por cima de todas essas, que é do escrutínio público da decisão judiciária. Não há justiças secretas.»

6. José Medeiros Ferreira assinala no Correio da Manhã, com a argúcia habitual: «Portugal deve ser o único país em que o 'segredo de justiça' é um problema nacional. É, pois, um assunto bem português. Experimentem falar do segredo de justiça e de arguido numa capital do mundo e verão a dificuldade de tradução.»

7. Desta vez a pressão para que fale não vem dos jornais, mas da Assembleia da República. José Sócrates será o primeiro chefe de um Governo em Portugal a depor no Parlamento. Sem face oculta.

8. João Cravinho, um dos mais respeitados senadores do PS, sem papas na língua aos microfones da Rádio Renascença: «Não se pode ter uma golden share, nomear o presidente de uma empresa e dois em sete administradores da Comissão Executiva e fingir que o que se passa na PT não é da responsabilidade também do grande accionista Estado.» O destinatário destas palavras, obviamente, é o primeiro-ministro.

9. A entrevista à SIC em que José Sócrates passou todo o tempo a evitar responder a Miguel Sousa Tavares não contribuiu um milímetro para que recuperasse a popularidade. Pelo contrário: segundo uma sondagem da Marktest para o Económico e a TSF, hoje divulgada, a popularidade do primeiro-ministro cai a pique. Não admira. Outra coisa é que seria de espantar.

10. Atenção à reunião de amanhã da Comissão Nacional do PS. O alerta vem de Ana Gomes.



in Delito de Opinião - post de Pedro Correia (27.02.2010)

sábado, fevereiro 27, 2010

Mais um sismo - desta vez na Argentina

Segundo o NEIC/USGS, desta vez foi no norte da Argentina:

Earthquake Details

Magnitude6.3
Date-Time
Location24.588°S, 65.432°W
Depth38.2 km (23.7 miles)
RegionSALTA, ARGENTINA
Distances20 km (15 miles) N of Salta, Argentina
45 km (30 miles) SSW of San Salvador de Jujuy, Argentina
250 km (155 miles) N of San Miguel de Tucuman, Argentina
1290 km (800 miles) NNW of BUENOS AIRES, Argentina
Location Uncertaintyhorizontal +/- 16 km (9.9 miles); depth +/- 19.1 km (11.9 miles)
ParametersNST=226, Nph=226, Dmin=417.4 km, Rmss=0.86 sec, Gp=187°,
M-type=teleseismic moment magnitude (Mw), Version=6
Source
  • USGS NEIC (WDCS-D)
Event IDus2010tfc3


Sempre um Pioneiro...

Uma espécie de Nixon, mas sem o degelo com a China. Ele prefere a Venezuela e a Líbia.

Sócrates vai ser o primeiro chefe do Governo a depor na AR

Apenas tenho uma dúvida: há consequências para o caso de se descobrirem declarações do tipo ruipedro desmentido uma hora depois por Carlos Barbosa?

Ou é só tudo para tuga ver?



in A Educação do meu Umbigo - post de Paulo Guinote

Efeitos do sismo do Chile no DN

Tragédia no Chile pode ser muito superior à do Haiti


O sismo de 8,8 que abalou o Chile pode ter feito mais mortes e causado mais destruição que o do Haiti, há mês e meio, em que morreram 300 mil pessoas.O sismo foi 500 a mil vez mais forte que o do Haiti. Já há 85 vítimas mortais confirmadas

Um sismo registado ao largo do Chile - e que o Instituto Geológico dos EUA estima ser de 8,8 na escala de Richter - causou pelo menos 86 mortos, segundo a primeira avaliação anunciada pela presidência do país. Entre as vítimas não há, para já, registo de portugueses. A presidente chilena já declarou o estado de catástrofe.

O sismo que, segundo o observatório norte-americano teve uma dimensão com "potencial para gerar um tsunami destrutivo que pode atingir a costa mais próxima do epicentro em minutos e as zonas de litoral mais afastadas em horas", foi seguido de uma réplica de 6,2 graus na escala de Richter.

Embora não seja ainda possível verificar a amplitude dos estragos, as agências internacionais descrevem um cenário de ampla destruição com muitos danos materiais.
O fenómeno, com maior intensidade junto à costa do Chile, foi sentido também em países próximos, tendo sido dado o alerta de tsunami nesse país, no Peru e no Equador tendo o Japão reactivado o alerta também.

Segundo o observatório US Geological Survey, dos Estados Unidos, o terramoto ocorreu às 03:34 locais (06:34 em Lisboa), com epicentro a 317 quilómetros a sudoeste da capital do Chile, Santiago, a 59,4 quilómetros de profundidade.

in DN - ler notícia

O Tsunami - antevisão no Público

Depois do sismo no Chile
Havai e dezenas de regiões temem consequências de um tsunami
27.02.2010 - 13:30 Por PÚBLICO

Um tsunami poderá causar estragos ao longo das costas de todas as ilhas do Havai, avisou o Centro de Prevenção de Tsunamis do Pacífico.

"Deve-se actuar com urgência para proteger vidas e propriedades", disse aquele centro, na sequência do abalo sísmico com a magnitude de 8,8 que causou pelo menos 78 mortos no Norte e no Sul do Chile.

"Toda a gente está avisada, porque a vaga está a caminho", disse à Reuters o geofísico Victor Sardina, numa altura em que 53 países se encontram preocupados com esta possibilidade de um tsunami, susceptível de afectar zonas tão distantes umas das outras como a América do Sul e a ilha Sacalina, no Extremo Oriente russo.

A primeira série de ondas que constitui um tsunami deverá atingir o Hawai pelas 11h19 locais (21h19 em Lisboa), calculou o Centro de Prevenção, onde se admitiu que algumas vagas tenham dois metros de altura.

O pior dos cenários admitidos é Hilo Bay, na ilha do Havai, pois a forma da baía favorece aí o crescimento das ondas.

A Califórnia e o Alasca também poderão ser afectados, mas numa proporção mínima.

O sismo de hoje de madrugada derrubou casas e hospitais, nomeadamente na cidade de Conceição, e obrigou a encerrar o aeroporto de Santiago do Chile, com os voos desviados para o aeroporto argentino de Mendoza e para a capital peruana, Lima.

O epicentro foi 90 quilómetros a nordeste de Conceição (sic), a uma profundidade de 35 quilómetros. E uma grande vaga atingiu o arquipélago de Juan Fernandez, ao largo da Costa chilena.

Vinte anos de sismos no Público

Mais de 600 mil mortos
Os piores sismos nos últimos 20 anos
27.02.2010 - 10:47 Por PÚBLICO

13 Dezembro 1992
A ilha das Flores, na Indonésia, foi arrasada por um tremor de 7,5 graus, que matou 2500 pessoas.

30 Setembro 1993
Um terramoto de 6,4 graus causa 7.601 mortos e faz 15.846 feridos no Estado indiano de Maharastra.

17 Janeiro 1995
Na cidade de Kobe, no Ocidente do Japão, um tremor de terra de 7,2 deixa 6400 vítimas mortais.

30 Maio 1998
A província de Tajar, no Noroeste do Afeganistão, sofre um sismo de 7,1 graus que deixa 5000 mortos.

17 Agosto 1999
No Noroeste da Turquia, incluindo Istambul, um terramoto de 7,4 graus mata mais de 17 mil pessoas e faz uns 30 mil feridos.

26 Janeiro 2001
Pelo menos 15.500 pessoas morrem num sismo de 6,9 graus com epicentro em Bhuj, em Gurajat, na Índia.

26 Dezembro 2003
Um terramoto de 6,3 graus causa 26.271 mortos em Bam, no Irão, que fica destruída a 70 por cento. Mais de um terço dos 200 mil habitantes fica sem casa.

26 Dezembro 2004
A ilha indonésia de Sumatra é varrida por um sismo de 8,9 graus, com epicentro em Aceh, que causa mais de 280 mil mortos em doze países da Ásia e de África.

8 Outubro 2005
Caxemira, fronteiriça com o Paquistão e a Índia, diz ter sofrido 86 mil mortos e 40 mil feridos num sismo de 7,6 graus. Do lado indiano, há milhares de vítimas mortais.

27 Maio 2006
Na ilha de Java, Indonésia, um sismo de 6,2 deixa 6234 mortos, 20 mil feridos e 340 mil deslocados.

12 Maio 2008
Wenchuan, na China, é o epicentro de um sismo de 7,8 graus, que deixa 90 mil mortos.

12 Janeiro 2010
No Haiti, um sismo com a magnitude 7, fez aproximadamente 220.000 mortos.

Sismo no Chile - notícia no CM

Atingiu 8,8 na escala de Richter
Chile: Forte sismo faz vítimas e gera tsunami (EM ACTUALIZAÇÃO)
27 Fevereiro 2010 - 10h57


Um forte tremor de terra provocou pelo menos 78 mortes no Chile e originou um alerta de tsunami no Oceano Pacífico esta madrugada. O abalo, que atingiu 8,8 na escala de Richter, foi sentido durante cerca de um minuto quando eram 03h34 no país sul-americano (06h34 em Portugal Continental).

Segundo os primeiros relatos, vários edifícios ruíram, houve cortes de energia e foram confirmadas 78 mortes, prevendo-se que o número oficial de vítimas vá disparar durante este sábado.

A presidente chilena Michelle Bachelet, que está prestes a ceder o lugar a Sebastian Piñera, dirigiu-se à população, apelando para que fiquem calmos apesar do “enorme terramoto”.

O epicentro do terramoto localizou-se no Pacífico, 325 quilómetros a sudoeste de Santiago do Chile, mas a apenas 90 quilómetros de Concepción, a segunda cidade chilena, onde vivem mais de 200 mil pessoas.

Relatos no Twitter indicam que a cidade de Chillán já foi considerada uma zona de catástrofe.

O sismo que arrasou o Haiti a 12 de Janeiro, provocando mais de 100 mil mortos, chegou a apenas 7,0 na escala de Richter.


GOVERNO DECLARA ESTADO DE CATÁSTROFE

Duas réplicas, de intensidade 6,2 e 5,6 levaram o governo do Chile a decretar já o estado de catástrofe no país.

Na sequência do abalo principal, de 8,8 na escala de Richter, o Instituto Geológico dos Estados Unidos emitiu um alerta de tsunami ao Chile e ao Peru, enquanto o Japão optou também por reactivá-lo, depois de o ter levantado na sexta-feira à noite, após o seu território ter sido abalado por um terramoto de grau 7,7.

As autoridades norte-americanas colocaram também a Colômbia, a Antárctida, toda a América Central e a Polinésia em vigilância.

De acordo com o Instituto Geológico dos EUA, o abalo teve uma dimensão para gerar um tsunami destrutivo que pode atingir a costa mais próxima do epicentro em minutos e as zonas de litoral mais afastadas em horas'.

Embora não seja ainda possível verificar a amplitude dos estragos, as agências internacionais descrevem um cenário de ampla destruição com muitos danos materiais.


'ONDA DE 40 METROS' NA ILHA DE JUAN FERNÁNDEZ

Ainda que a Presidente do país, Michelle Bachelet, tenha descartado a hipótese de tsunami, na ilha de Juan Fernández foi registada uma onda de grandes proporções que avançou até metade do seu território, tendo os habitantes sido obrigados a refugiarem-se em zonas mais elevadas.

A cadeia de televisão norte-americana CNN avança que a onde pode ter atingido uma altura de “40 metros”, embora não exista, para já, registo de vítimas.

Por seu turno, as zonas costeiras da Ilha de Páscoa foram evacuadas perante a possibilidade de ser atingida por ondas gigantes.


DIRECTO DE CANAL CHILENO:

O sismo do Chile no NEIC

Os dados actuais do NEIC/USGS aqui ficam, enquanto não há mais novidades:

Earthquake Details

Magnitude8.8
Date-Time
Location35.846°S, 72.719°W
Depth35 km (21.7 miles) set by location program
RegionOFFSHORE MAULE, CHILE
Distances100 km (60 miles) NNW of Chillan, Chile
105 km (65 miles) WSW of Talca, Chile
115 km (70 miles) NNE of Concepcion, Chile
325 km (200 miles) SW of SANTIAGO, Chile
Location Uncertaintyhorizontal +/- 7.2 km (4.5 miles); depth fixed by location program
ParametersNST=255, Nph=255, Dmin=988 km, Rmss=1.12 sec, Gp= 36°,
M-type=teleseismic moment magnitude (Mw), Version=7
Source
  • USGS NEIC (WDCS-D)
Event IDus2010tfan


NOTA: localização no GoogleMaps, feita pelo NEIC:


View Larger Map

O sismo do Chile no Público - primeira notícia

Abalo provocou alerta de tsunami para vários países
Sismo ao largo da costa chilena com magnitude de 8,8 causa pelo menos seis mortos

Imagem divulgada pelo USGS que mostra a localização do abalo

Pelo menos seis pessoas morreram depois do violento tremor de terra que ocorreu esta manhã no Oceano Pacífico ao largo da costa do Chile e que registou uma magnitude de 8,8 na escala de Richter, de acordo com a última actualização feita pelo USGS (U.S. Geological Survey). Foi lançado um alerta de tsunami para as costas do Chile, Peru, Panamá, Costa Rica, Antárctida e Japão.

O mesmo serviço tinha anunciado em relatórios anteriores magnitudes de 8,3 e 8,5. O epicentro do abalo, registado às 03h34 locais (06h34 em Lisboa) e a uma profundidade de 35 quilómetros, localizou-se a 115 quilómetros a norte da cidade chilena de Conceição e a 325 quilómetros a sudoeste da capital, Santiago, refere o USGS.

O primeiro balanço foi dado pela Presidente Michelle Bachelet. A chefe de Estado teme que para além dos seis mortos já contabilizados o número de vítimas mortais possa vir a subir.

As linhas de telefone e energia eléctrica sofreram perturbações o que torna as comunicações mais difíceis para avaliar a proporção dos danos provocados pelo sismo.

Os canais de televisão locais avançam que houve danos no centro histórico de Santiago, a capital localizada a cerca de 325 quilómetros do epicentro. Muitas pessoas saíram para as ruas com medo dos efeitos do abalo. Algumas zonas da cidade ficaram totalmente às escuras.

Um sismo de magnitude superior a 8 na escala de Richter - que foi seguido de uma réplica de 6,2 - pode causar "enorme destruição", de acordo com o USGS. O abalo que destruiu a capital do Haiti, Port-au-Prince, a 12 de Janeiro, registou 7 na mesma escala.

O The Pacific Tsunami Warning Center gerou um alerta de tsunami que pode ter sido destrutivo ao longo da costa mais próxima do epicentro e que pode também ter atingido outras costas mais distantes.

O sismo do ano ocorreu no Chile

Dificilmente haverá este ano um sismo tão forte como o que ocorreu hoje no Chile às 03.34 horas locais (06.34 horas em Lisboa, que nesta altura tem o Tempo Universal Coordenado). O Anel de Fogo da Pacífico a mexer nos seus dois extremos - ontem a sul do Japão, hoje na mártir costa oeste da América do Sul - com uma brutalidade a que já não estávamos acostumados - 8,8 de magnitude e aviso de tsunami...

A batalha de Jarama terminou há 73 anos


sexta-feira, fevereiro 26, 2010

Poema alusivo à época de esgoto em que alguns políticos nos submergiram

Poema Pouco Original do Medo


O medo vai ter tudo
pernas
ambulâncias
e o luxo blindado
de alguns automóveis
Vai ter olhos onde ninguém o veja
mãozinhas cautelosas
enredos quase inocentes
ouvidos não só nas paredes
mas também no chão
no teto
no murmúrio dos esgotos
e talvez até (cautela!)
ouvidos nos teus ouvidos

O medo vai ter tudo
fantasmas na ópera
sessões contínuas de espiritismo
milagres
cortejos
frases corajosas
meninas exemplares
seguras casas de penhor
maliciosas casas de passe
conferências várias
congressos muitos
óptimos empregos
poemas originais
e poemas como este
projectos altamente porcos
heróis
(o medo vai ter heróis!)
costureiras reais e irreais
operários
(assim assim)
escriturários
(muitos)
intelectuais
(o que se sabe)
a tua voz talvez
talvez a minha
com a certeza a deles

Vai ter capitais
países
suspeitas como toda a gente
muitíssimos amigos
beijos
namorados esverdeados
amantes silenciosos
ardentes
e angustiados

Ah o medo vai ter tudo
tudo
(Penso no que o medo vai ter
e tenho medo
que é justamente
o que o medo quer)

O medo vai ter tudo
quase tudo
e cada um por seu caminho
havemos todos de chegar
quase todos
a ratos

Sim
a ratos

Alexandre O'Neil

Sismo de magnitude 7,0 no sul do Japão

Atenção que os dados preliminares indicam não haver tsunami nem mortos nas ilhas próximas...



ADENDA - ver mais dados no site do NEIC - AQUI.

Os último sismos em território nacional

1. Sismos nos Açores



Houve um sismo sentido pelas populações, em 13.02.2010, pelas 23.40 horas (TU - menos uma hora no tempo local açoriano), com epicentro a SE da Terceira (Castromar - latitude 38,60º e longitude -27,27º), com magnitude 1,7 e intensidade II (em São Mateus - Terceira).

Outro sismo ocorreu em 02.02.2010, pelas 16.28 horas (TU), cujo epicentro foi no Canal Faial-Pico (latitude 38,59º e -28,56º), tendo o hipocentro a 12 km de profundidade, a magnitude de 2,7 e a intensidade II na Madalena (Pico).


2. Sismo em Portugal Continental


Mais recentemente houve um sismo sentido no Alentejo, em 22.02.2010, pelas 22.12 horas (TU e hora no continente), com epicentro a W de Viana do Alentejo (num ponto com latitude 38,29º e longitude -8,24º), tendo magnitude 2,7 e intensidade II (em Alcáçovas).

Fonte: Instituto de Meteorologia (IM)

Alerta vermelho em Portugal


Informa-se que se aproxima da Madeira e de Portugal continental uma depressão extra-tropical que deve ser acompanhada com muita atenção.


Assim, esta chegará amanhã a Portugal Continental e à Madeira, podendo o vento atingir rajadas superiores a 150km/h no litoral e terras altas, segundo o último comunicado do Instituto de Meteorologia. Haverá ainda forte precipitação e o mar terá vagas com altura significativa.

Podem acompanhar em pormenor a situação num fórum meteorológico que eu recomendo:

http://www.meteopt.com

Aproveite e envie por e-mail esta informação aos seus conhecidos para alertá-los para este evento perigoso.

E, já agora, alguns conselhos úteis para os temporais em que o vento é perigoso:

  • Evite viagens ou andar na rua
  • Evite árvores, postes e outras estruturas que possam ser derrubadas
  • Evite estaleiros de obras com gruas, chapas e outros objectos que podem ser arremessados
  • Salvaguarde objectos das suas propriedades de modo a não causarem danos a outros


Consulte obrigatoriamente os sites das entidades oficiais como o Instituto de Meteorologia e a Protecção Civil para se manter informado dos últimos avisos e alertas :

Instituto de Meteorologia: http://www.meteo.pt
Protecção Civil: http://www.proteccaocivil.pt/

Recordar Augusto Gil

santo-antonio

O passeio de Santo António


Saíra Santo António do convento,
a dar o seu passeio costumado
e a decorar, num tom rezado e lento,
um cândido sermão sobre o pecado.

Andando, andando sempre, repetia
o divino sermão piedoso e brando,
e nem notou que a tarde esmorecia,
que vinha a noite plácida baixando...

E andando, andando, viu-se num outeiro,
com árvores e casas espalhadas,
que ficava distante do mosteiro
uma légua das fartas, das puxadas..

Surpreendido por se ver tão longe,
e fraco por haver andado tanto,
sentou-se a descansar o bom do monge,
com a resignação de quem é santo...

O luar, um luar claríssimo nasceu.
Num raio dessa linda claridade,
o Menino Jesus baixou do céu,
pôs-se a brincar com o capuz do frade.

Perto, uma bica de água murmurante
juntava o seu murmúrio ao dos pinhais.
Os rouxinóis ouviam-se distante.
O luar, mais alto, iluminava mais.

De braço dado, para a fonte, vinha
um par de noivos todo satisfeito.
Ela trazia ao ombro a cantarinha,
ele trazia... o coração no peito.

Sem suspeitarem de que alguém os visse,
trocaram beijos ao luar tranquilo.
O Menino, porém, ouviu e disse:
— Ó Frei António, o que foi aquilo?...

O santo, erguendo a manga do burel
para tapar o noivo e a namorada,
mentiu numa voz doce como o mel:
— Não sei que fosse. Eu cá não ouvi nada...

Uma risada límpida, sonora,
vibrou em notas de oiro no caminho.
— Ouviste, Frei António? Ouviste agora?
— Ouvi, Senhor, ouvi. É um passarinho...

— Tu não estás com a cabeça boa...
Um passarinho a cantar assim!...
E o pobre Santo António de Lisboa
calou-se embaraçado, mas, por fim,

Corado como as vestes dos cardeais,
achou esta saída redentora:
— Se o Menino Jesus pergunta mais,
... queixo-me à sua mãe, Nossa Senhora!

Voltando-lhe a carinha contra a luz
e contra aquele amor sem casamento,
pegou-lhe ao colo e acrescentou: — Jesus,
são horas...
------------ E abalaram prò convento.

Augusto Gil, Luar de Janeiro

Augusto Gil morreu há 81 anos



Augusto César Ferreira Gil (Lordelo do Ouro, 31 de Julho de 1873 - Guarda, 26 de Fevereiro de 1929) advogado e poeta português, viveu praticamente toda a sua vida na Cidade da Guarda onde colaborou e dirigiu alguns jornais locais.

Estudou inicialmente na Guarda, a "sagrada Beira", de cuja paisagem encontramos reflexos em muitos dos seus poemas e de onde os pais eram oriundos, e formou-se em Direito na Universidade de Coimbra.

Começou a exercer advocacia em Lisboa, tornando-se mais tarde director-geral das Belas-Artes. Na sua poesia notam-se influências do Parnasianismo e do Simbolismo. Influenciado por Guerra Junqueiro, João de Deus e pelo lirismo de António Nobre, a sua poesia insere-se numa perspectiva neo-romântica nacionalista.

in Wikipédia




Balada da Neve

Batem leve, levemente,
como quem chama por mim.
Será chuva? Será gente?
Gente não é, certamente
e a chuva não bate assim.

É talvez a ventania:
mas há pouco, há poucochinho,
nem uma agulha bulia
na quieta melancolia
dos pinheiros do caminho…

Quem bate, assim, levemente,
com tão estranha leveza,
que mal se ouve, mal se sente?
Não é chuva, nem é gente,
nem é vento com certeza.

Fui ver. A neve caía
do azul cinzento do céu,
branca e leve, branca e fria…
. Há quanto tempo a não via!
E que saudades, Deus meu!

Olho-a através da vidraça.
Pôs tudo da cor do linho.
Passa gente e, quando passa,
os passos imprime e traça
na brancura do caminho…

Fico olhando esses sinais
da pobre gente que avança,
e noto, por entre os mais,
os traços miniaturais
duns pezitos de criança…

E descalcinhos, doridos…
a neve deixa inda vê-los,
primeiro, bem definidos,
depois, em sulcos compridos,
porque não podia erguê-los!…

Que quem já é pecador
sofra tormentos, enfim!
Mas as crianças, Senhor,
porque lhes dais tanta dor?!…
Porque padecem assim?!…

E uma infinita tristeza,
uma funda turbação
entra em mim, fica em mim presa.
Cai neve na Natureza
e cai no meu coração.

in Luar de Janeiro (1909) - Augusto Gil

quinta-feira, fevereiro 25, 2010

Uma subida ao Pico

Com a devida vénia, publicamos o seguinte post, de autoria do meu amigo guia de montanha Valter Medeiros:

Pois é, na passada Quinta feira (18 de Fevereiro) fiz algo que já não fazia há alguns anos: uma subida ao Pico com neve!

O tempo estava quase perfeito, estávamos na crista de uma alta-pressão, e aproveitámos a janela de bom tempo para dar lá um saltinho.

Tudo começou na quarta-feira, quando o meu irmão, que tem estado cá com a minha cunhada de férias, me sugeriu que, caso o tempo estivesse bom no dia seguinte, fossemos pela montanha acima até à neve. Claro que disse logo que sim! Então fiz uma chamada para o meu meteorologista de confiança - o Rui Medeiros e, após alguns minutos a consultar cartas meteorológicas e imagens de satélite recebi a mensagem dele: "manda-te para cima! amanhã vai estar bom pelo menos até às 6 da tarde"

Mais uma chamada, desta vez para os irmãos do Rui - Duarte e João - e já tínhamos o nosso grupo feito!

Na quinta feira de manhã o Pico ainda nos fez algumas caretas, mostrando um chapéu de abas bem largas, que depressa se dissipou, mas não foi o suficiente para nos demover da nossa aventura!

A subida iniciou-se por volta das 11.00 horas, e começámos a encontrar gelo, formado na noite anterior, logo após os primeiros metros de trilho. Fomos nas calmas, "pole pole" como nos dizia o guia no Kilimanjaro. O objectivo era irmos até onde desse, e passar um bom bocado na neve.

Começámos a encontrar os primeiros "bardos" de neve a partir dos 1400 metros de altitude. Daí para cima foi-nos aparecendo cada vez mais neve. Era uma neve escorregadia, já tinha derretido bastante no dia anterior, voltado a gelar durante a noite, e já começava a derreter de novo, por isso tivemos de redobrar os cuidados à medida que fomos subindo.



Como já referi, o objectivo era chegar até onde desse... Deu para chegar à Cratera! Demorámos 4 horas, mas não tínhamos grandes pressas. Pelo caminho foram voando bolas de neve, piadas e tolices e as máquinas fotográficas tiveram pouco descanso!





O Piquinho estava tímido, escondido por uma neblina ténue, mas muito teimosa e que nos estragava as hipóteses de tirar fotografias nítidas do cume. Ao menos as formações de gelo na parede da Cratera eram fantásticas, o que já dava para animar um pouco.





Lanchámos e esperámos só mais um pouco na esperança que a neblina se dissipasse... e tivemos sorte! Lá ficaram as máquinas fotográficas sem descanso outra vez!



Era altura de descer, já estávamos há muito tempo lá em cima, o frio já se fazia sentir, e de que maneira! A hora já estava a ficar avançada também, já passava das 3 e ainda tínhamos a descida sobre aquela neve escorregadia pela frente.

Após 3 horas de descida, escorregadelas e muita galhofa lá chegámos ao fim desta pequena aventura.

Para a maior parte do grupo esta já não era a sua primeira subida com neve, mas para a minha cunhada foi a primeira subida ao Pico, e ainda por cima com neve! Para mim deverá ter sido a vigésima subida com neve, mas desde 2005 que não subia de inverno. Por mais subidas que faça com neve, em todas fico surpreendido pelas formações de gelo e pela Cratera cheia de neve!

Espero que este inverno hajam mais janelas de bom tempo como esta, para poder fazer mais algumas subidas e captar imagens como estas!

Tertúlia “Aspectos Geológicos do Litoral da Nazaré” com Galopim de Carvalho


O ciclo "Conversas na Biblioteca - Tertúlias Nazarenas" regressa no próximo dia 27 de Fevereiro de 2010 à Biblioteca Municipal da Nazaré, para falar dos “Aspectos Geológicos da Nazaré”.

O professor e geólogo Galopim de Carvalho, considerado um símbolo nacional da defesa e preservação do património cultural e científico, nomeadamente de sinais da evolução da história natural, é o convidado desta sessão, com início marcado para as 16.00 horas.

O ciclo de Tertúlias, uma actividade desenvolvida pela Biblioteca Municipal da Nazaré, visa, por um lado, fomentar o debate de ideias e, por outro, dinamizar este espaço de conhecimento, de cultura e de saber, visando a sua aproximação a públicos alargados, através da presença de figuras de destaque nacional.

Dirigidas ao público em geral, as “Conversas na Biblioteca” pretendem, ainda, fomentar o debate de ideias a partir da temática escolhida para cada sessão.

in CM Nazaré - ver aqui

Notícia sobre Espeleologia


Equipa de espeleólogos procura novas galerias em Mira de Aire

O que têm em comum um polvo, uma alforreca, uma velha, um órgão e o Pão de Açúcar? São algumas das imagens que vemos nas formações calcárias das Grutas de Mira de Aire, que continuam na corrida às Sete Maravilhas Naturais de Portugal e que no próximo Verão recebem uma equipa de geólogos em busca de novas galerias. Carlos Alberto Jorge, administrador das grutas, disse ao JORNAL DE LEIRIA que a equipa, liderada pelo geólogo e professor da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, José Crispim virá equipada com material de mergulho e bombagem na esperança de descobrir novas ramificações da gigantesca gruta, que já se estende por três concelhos (Porto de Mós, Batalha e Alcanena) afectos a dois distritos (Leiria e Santarém). As Grutas de Mira de Aire têm 11.400 metros de área reconhecida, 600 dos quais são visitáveis. Numa visita/conferência, realizada na passada segunda-feira, às Grutas de Alvados e Mira de Aire João Salgueiro, presidente da Câmara de Porto de Mós, não escondeu as “fortes expectativas de continuar em frente na próxima etapa do concurso (dia 7 de Março) e ficar classificada como uma das Sete Maravilhas Naturais de Portugal”.

in Jornal de Leiria - Edição 1337, de 25 de Fevereiro de 2010

Ética republicana explicada de viva voz


Audição na Comissão de Ética
José Sócrates pressionou o director do "Expresso" para não publicar notícia sobre licenciatura

Foi uma tarde de opostos no Parlamento: se o director do semanário denunciou pressões, Paulo Penedos fez juramento de inocência.

José Sócrates terá pressionado o director do Expresso para que o jornal não publicasse a notícia sobre os atropelos do processo da sua licenciatura, revelou ontem Henrique Monteiro na Comissão Parlamentar de Ética. Na véspera da saída do artigo, o director recebeu "um telefonema de uma hora, bastante desagradável", do primeiro-ministro, em que este lhe pediu "por tudo para não publicar", mas nem sequer quis fazer um desmentido ou alguma correcção, salientou Henrique Monteiro.

Esta e a retirada de publicidade por parte do BES durante ano e meio por causa de um artigo de opinião publicado pelo jornal foram as maiores pressões que sofreu. Mas disse que "a verdadeira pressão" é "estar com uma pistola apontada à cabeça e dizerem-me se publicas isso eu dou-te um tiro", como lhe aconteceu há 18 anos em Angola. País onde, aliás, nenhum jornalista do seu grupo ou do PÚBLICO pode entrar, salientou.

Monteiro afirmou-se convencido que Sócrates sabia do negócio de compra da TVI pela PT e teria sido informado por Henrique Granadeiro numa reunião, em São Bento, na véspera de ir ao Parlamento, ou seja, no dia 23 de Junho. E que já na cimeira de Zamora, em Janeiro, o assunto fora abordado com o Governo espanhol. "Nunca houve uma compra ou venda de uma TV sem o primeiro-ministro saber", frisou. Monteiro deixou no ar as suas desconfianças quanto às intenções da Ongoing na Impresa, e considerou "um erro político" Sócrates apontar um jornal ou uma TV como inimigo, dizendo que o chefe do Governo tem um problema de "obsessão com a imagem".

Instado a comentar declarações em artigos de opinião antigos, Henrique Monteiro não quis concretizar a que títulos se referia ao dizer que "o gabinete do primeiro-ministro teve sempre a estratégia de secar a informação aos jornais que não controlava em detrimento dos jornais amigos".

Penedos invoca segredo

A audição do assessor jurídico da Portugal Telecom, Paulo Penedos, foi pouco conclusiva - a centrista Cecília Meireles chegou mesmo a queixar-se de que saía "mais confusa" do que entrou. Penedos multiplicou-se em justificações com a sua obrigação de segredo de justiça - por as escutas estarem ainda incluídas no processo Face Oculta - e de sigilo profissional para não responder a questões vindas de todos os partidos, fosse acerca do processo da compra da TVI ou do caso que envolve Figo e o Taguspark.

"Ninguém mais do que eu desejaria falar livremente sobre este assunto", garantiu, disponibilizando-se para voltar ao Parlamento quando o segredo de justiça for levantado, pedindo até dispensa do sigilo profissional - mas também "dependendo do que a PT me deixa ou não revelar", avisou. Questionado sobre as questões que vieram a público na transcrição de escutas no Sol, limitou-se a recusar o pressuposto de que se estaria a "esconder ou a proteger interesses estranhos ou menos respeitáveis".

Penedos afirmou que não participava em decisões, já que era um mero assessor jurídico que foi levado para a PT pelo amigo Rui Pedro Soares, a quem reportava. Que foi quem lhe passou a documentação sobre o negócio de compra da TVI para analisar em Maio.

Não quis revelar que bancos estariam envolvidos no financiamento - mas apressou-se a confirmar que nunca falou com Armando Vara "sobre a questão, nem sobre qualquer outro tipo de operação que tivesse a ver com tentativa de controlo ou manipulação de órgãos da comunicação social".

O zombie criminoso



Fidel Castro tomou o poder em Cuba em 1959, substituindo uma ditadura por outra ditadura – a sua – a qual, em meio século, provocou a morte de dezenas de milhar de cubanos.

Os números da morte daquele regime comunista impressionam, variando os cálculos entre os 77 mil e os 136 mil: só na década de 60 do século passado, as cifras apontam para mais de 10 mil fuzilamentos, sendo certo que muitos outros houve. Milhares de cubanos foram assassinados extrajudicialmente e outros milhares de presos políticos foram mortos por maus tratos nas prisões. Dezenas, muitas dezenas de milhar de cubanos morreram a tentar fugir da colónia penal em que Cuba se transformou.


Nada que incomode o politiburo estalinista cá do burgo, que continua a dizer loas sobre o abjecto mundo comunista.


Esta segunda-feira o zombie Fidel e o mano Raúl voltaram a matar. Friamente, implacavelmente, impunemente.


Desta vez foi mais um preso político, Orlando Zapata Tamayo, condenado em 2003 a penas sucessivas que acabaram por totalizar 36 anos de prisão, morreu após 85 dias em greve de fome.
Como pode alguém decente pactuar com tais criminosos?

(na imagem, "fidel zombie", escultura de Eugenio Merino, 2008)



in Corta-fitas - post de Rui Crull Tabosa

quarta-feira, fevereiro 24, 2010

Humor político

"Ele já era director da PT"

Sócrates.

in 31 da Armada - post de Carlos Nunes Lopes

terça-feira, fevereiro 23, 2010

Palestra - What energy future after the world oil peak?


No dia 24 de Fevereiro de 2010 o Prof. Pierre-René Beauquis, professor do Instituto Francês do Petróleo e antigo consultor do presidente da TOTAL, irá proferir uma aula/palestra com o título What energy future after the world oil peak?. A aula iniciar-se-á às 14.00 e terminará às 17.00 horas no anfiteatro A1 do Departamento de Ciências da Terra da Universidade de Coimbra (Largo Marquês de Pombal, 3000-272 Coimbra).

A participação é gratuita mas é recomendável que os participantes façam a pré-inscrição em www.eage.org/students

O geólogo José Fernando Monteiro morreu há 5 anos


Faz hoje 5 anos que o promissor professor (assistente e doutorando...) do Departamento de Geologia da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa nos deixou. Estava a terminar a sua Tese, intitulada “O Registo de Impactos Cósmicos na História da Terra: O Caso da Fronteira Cenomaniano-Turoniano e a Montanha Submarina de Tore”, que já não pode defender. Brilhante divulgador científico, penso que um dos mais prolíficos em Portugal, deixa saudades e alguns materiais e ensinamentos que ainda podemos ler, vide estes três exemplos - 1, 2 e 3.

Porque os geólogos têm memória e recordam os que, dentre eles, foram importantes para a divulgação da sua área, pois uma ciência eminentemente histórica como é a Geologia não pode esquecer os que por ela labutaram e tanto lhe deram, hoje só podemos dizer:

- Obrigado, José Fernando Monteiro!